O Sinal Wow!: Uma conexão alienígena perdida?

Tempo de leitura: 5 min.
O Sinal Wow!: Uma conexão alienígena perdida?


Teria o primeiro contato da humanidade com alienígenas acontecido em 1977? Provavelmente não, mas nunca saberemos com certeza.

Poucas anomalias na astronomia permanecem tão misteriosas quanto o Sinal “Wow!” de 1977.

Em 15 de agosto de 1977, o Big Ear Radio Telescope em Delaware, Ohio, recebeu o sinal mais poderoso que já detectou durante suas décadas de observações. O sinal durou apenas 72 segundos, mas quando um astrônomo o viu em uma impressão de computador dias depois, ele ficou tão impressionado que rabiscou rapidamente “Wow!” (Uau!) em caneta vermelha na página. Os dados se pareciam muito com o que os astrônomos do SETI esperavam ver de uma inteligência alienígena. No entanto, apesar das muitas tentativas de acompanhar a descoberta, o chamado “Sinal Wow!” nunca mais reapareceu.

Poucos momentos na busca por inteligência extraterrestre (SETI) cativaram a imaginação do público como o Sinal Wow!. Para alguns, é o potencial de detecção de vida alienígena mais promissor de todos os tempos. Mas outros vêem isso como um triunfo da publicidade sobre a ciência.

“Era ele E.T. ou não era E.T.? Ninguém sabe”, disse Seth Shostak, astrônomo sênior do Instituto SETI, ao site Astronomy.

Ele ainda disse:

Ninguém jamais encontrou outra explicação para o que poderia ter sido. É como se você ouvisse correntes chacoalhando em seu sótão e pensasse ‘Meu deus fantasmas são reais’. Mas você nunca mais os ouve, então o que você acha?

Mais importante ainda, Shostak diz que se o sinal não tivesse “Wow!” escrito nele, ninguém jamais teria ouvido falar dele. Sinais pontuais como este eram comuns nos primeiros dias do SETI, quando os computadores do observatório eram muito primitivos para notificar os astrônomos sobre as descobertas em tempo real ou realizar acompanhamentos rápidos.

Mas isso não impediu os astrônomos de retornarem repetidamente a este pedaço de céu em busca do retorno do Sinal Wow!.

Um estranho sinal de Sagitário

No final do verão de 1977, Jerry Ehman sentou-se para revisar o último lote de impressões de computador detalhando dados coletados pelo Big Ear Radio Observatory, onde ele foi voluntário como astrônomo. O observatório era controlado remotamente e podia coletar vários dias de dados antes que o computador ficasse sem espaço de armazenamento. Nesse ponto, um técnico iria aparecer, reiniciar as coisas e começar a próxima execução de observação focando em um novo pedaço de céu.

O Big Ear Radio Observatory era bem conhecido entre os astrônomos de sua época. O telescópio foi projetado pelo pioneiro rádio astrônomo da Ohio State University, John Kraus, e foi construído por funcionários da universidade, voluntários e trabalhadores de meio período na década de 1960. Originalmente, foi construído com fundos da National Science Foundation para realizar a tarefa dedicada de criar o mapa de rádio do céu mais preciso de todos os tempos.

O Sinal Wow!: Uma conexão alienígena perdida?
O projeto exclusivo do Big Ear Radio Telescope permitiu que a equipe o construísse de maneira relativamente econômica, mas ainda assim era capaz de fazer descobertas fundamentais na radioastronomia. NRAO / John Daniel Kraus

Mas Big Ear não se parecia com outros radiotelescópios. Parecia que alguém cobriu um campo de futebol com tinta branca e instalou arquibancadas em ambas as extremidades atrás dos postes. Essas “arquibancadas” eram, na verdade, chifres de alimentação para canalizar os sinais de rádio do grande refletor do telescópio para seu receptor.

No entanto, depois que Big Ear completou o mapeamento do céu por rádio em 1972, o telescópio precisava de uma nova tarefa.

A partir de 1973, a NASA concordou em financiar um esforço em grande parte com equipes de voluntários para pesquisar no céu sinais de rádio de alienígenas tecnologicamente avançados. Além dos astrônomos profissionais por trás do projeto, um grupo de médicos, advogados e professores universitários de profissões totalmente não relacionadas também contribuíram ao longo das décadas.

Ehman disse ao site Astronomy em 2016:

Estávamos operando com um orçamento apertado. Não tínhamos dinheiro para pagar as pessoas, e é por isso que os envolvidos eram voluntários.

Para Ehman, revisar grandes impressões de dados a cada poucos dias fazia parte da rotina de ser um voluntário. E em 17 de agosto de 1977, enquanto olhava a última pilha de papéis, ele viu um conjunto de números e letras: 6EQUJ5.

Para o olho destreinado, parece um absurdo. Mas, para Ehman, os dados significavam que o Big Ear havia captado um sinal muito forte que começou baixo, aumentou de força e depois diminuiu novamente. Isso significa que o sinal provavelmente foi captado quando uma determinada região do céu passou pelo detector. Não foi terreno. O sinal também só apareceu em um dos 50 canais possíveis.

Ehman disse:

Era um sinal de banda estreita, exatamente o que estávamos procurando [com o SETI]. Não demorou muito para eu reconhecer que isso era extremamente interessante. E a palavra ‘Wow!’ Veio à minha mente muito rapidamente, então eu a anotei.

Mas enquanto ele examinava os dados dos dias seguintes, ele ficou surpreso ao descobrir que o sinal não reapareceu. Sua intriga só se aprofundou depois de se encontrar com o diretor e a equipe do observatório. Juntos, eles procuraram no céu por quaisquer objetos possíveis naquela região do céu que pudessem explicar o sinal. Os astrônomos verificaram tudo, desde cometas e planetas a satélites e muito mais. Nada combinava.

A equipe manteve o Big Ear observando o mesmo local celestial por um mês, mas não encontraram nada. E um ano depois, quando eles tentaram novamente, eles ainda se depararam com resultados vazios. O projeto SETI em Big Ear durou 24 anos, tornando-se a busca contínua de SETI mais longa da história. Mas durante esse tempo, os investigadores nunca detectaram nada parecido com o Sinal Wow!. Da parte de Ehman, ele também afirma que talvez nunca saibamos exatamente o que ele descobriu naquele dia.

Ele disse:

Nenhuma conclusão foi possível, exceto que certamente tinha o potencial de ser um sinal de inteligência extraterrestre.

No final, a desativação do Big Ear veio apenas alguns anos depois que o Congresso considerou a busca por inteligência extraterrestre indigna de fundos do contribuinte em 1993. O observatório perdeu US $ 100.000 em financiamento anual da NASA, mais outros US $ 50.000 previstos para um instrumento que poderia ter dado Big Ear, um novo sopro de vida.

Em 1998, a Ohio State University demoliu o telescópio.

Se o Sinal Wow! fosse detectado hoje, o Allen Telescope Array do SETI Institute na Califórnia poderia alertar os astrônomos instantaneamente, permitindo que eles voltem atrás em tempo real para procurar a fonte da anomalia.

Acompanhamento do Sinal Wow!

Ao longo dos anos, muitos outros astrônomos fizeram o acompanhamento do projeto Sinal Wow!, seja tentando explicá-lo ou reencontrá-lo. Mas para astrônomos como Shostak, o sinal é realmente apenas uma das muitas detecções semelhantes feitas ao longo dos anos.

Ele diz:

Naquela época, era muito comum captar esses tipos de sinais apenas uma vez. Os computadores não tinham o poder de fazer acompanhamentos em tempo real. Se você o captasse hoje, o computador diria ‘Uau!’, e os astrônomos começariam a apontar o telescópio na direção do Sinal Wow! para tentar descobrir o que era.

Depois que os computadores do observatório se tornaram sofisticados o suficiente para acompanhamentos em tempo real, o número de sinais misteriosos caiu.

Shistak diz brincando:

Os alienígenas sabiam que agora temos um equipamento melhor.

Por exemplo, nos últimos anos, os astrônomos descobriram Rajadas Rápidas de Rádio (de sigla em inglês, FRBs), que inicialmente eram vistas como fortes sinais de rádio que apareciam apenas uma vez. A descoberta das FRBs, assim como o progresso no rastreamento de suas origens, foi um dos maiores avanços recentes da astronomia.

Enquanto isso, Shostak vê a fixação sobre o Sinal Wow! como algo em que o público está muito mais interessado do que os astrônomos.

Ele diz:

Recebo e-mails pelo menos uma vez por mês de pessoas que olham para aquela impressão e interpretam esses dados de todas as maneiras.

As pessoas costumam ver isso como um código alienígena que está sendo enviado como uma mensagem direta aos humanos. Eles não percebem que a combinação de números e letras na impressão era apenas uma convenção estabelecida por astrônomos [humanos] que trabalhavam no observatório. As impressões não conseguiam lidar com números maiores do que nove, então a exibição circula pelas letras, começando com “B”, para cada ordem crescente de intensidade.

Shostak acrescentou:

As pessoas pensam que descobriram qual é a mensagem ou quão grandes são os alienígenas. E é como uma dúzia de números, e tudo o que a impressão faz é fornecer o nível de intensidade.

Mas mesmo que tenha sido a primeira mensagem de alienígenas da humanidade, Ehman ainda não tem ideia do que ela poderia ter dito.

Ele diz:

Quem sabe? Não tenho ideia do que pode estar contido na mensagem, se é que existe alguma coisa.

(Fonte)


n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Compartilhe este artigo com a galáxia!



PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS:

O OVNI Hoje precisa de sua ajuda. Você pode ajudar na manutenção do site. Clique aqui para informações de como fazê-lo, ou use o botão abaixo:


(Obs.: Se preferir utilizar depósito bancário, favor enviar e-mail para n3m3@ovnihoje.com para obter as informações. Obrigado.)



ÁREA DE COMENTÁRIOS:

Em 2016, um cientista diz ter provado que o Sinal Wow! foi originado por cometas e deu o caso como encerrado. Contudo, o próprio Seth Shostak tem dúvidas quanto isto, com pode ser visto num artigo que ele próprio escreveu em 2017 e foi publicado aqui no OH:

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.