O lado oculto da Lua é um lugar ideal para ouvir civilizações alienígenas

Tempo de leitura: 3 min.
O lado oculto da Lua é um lugar ideal para ouvir civilizações alienígenas
Querem montar um radiotelescópio dentro de uma cratera no lado ocuto da Lua. Crédito da imagem: Saptarshi Bandyopadhyay / NASA JPL

Nós estamos sozinhos no universo? É uma pergunta cuja resposta – seja sim ou não – filosófica e cientificamente abalaria nosso mundo até o âmago.

Para descobrir, os cientistas há muito tempo usam radiotelescópios poderosos para o cosmos. A teoria é que, como nós, outras espécies inteligentes talvez estejam transmitindo sinais de rádio com a assinatura distintamente “não natural” de uma civilização tecnológica.

Mas apesar de décadas de escuta atenta, ainda não captamos nada. Mesmo em uma pesquisa recente de 10 milhões de estrelas feita pelo radiotelescópio Murchison Widefield Array na Austrália Ocidental – uma das mais extensas até hoje – os cientistas não encontraram nada digno de nota.

Onde está todo mundo?

Existem muitas teorias, mas uma possibilidade é que simplesmente não procuramos o suficiente. Nossa galáxia, com suas centenas de bilhões de estrelas e incontáveis ​​planetas, é um lugar muito grande. Os cientistas que realizaram a pesquisa Murchison disseram que era como vasculhar uma área do tamanho de uma piscina dentro do oceano. Em nossa busca por uma agulha, talvez precisemos apenas peneirar mais palha.

Mas há um problema.

A tagarelice incessante de nossa própria civilização – que, pelo menos em teoria, seria semelhante aos sinais que o SETI está procurando – está ficando mais alta, tornando muito mais difícil para os cientistas filtrarem o ruído local. Embora os pesquisadores tenham técnicas e softwares para remover sinais humanos, alguns estão sugerindo uma solução mais radical. Poderíamos escapar totalmente do barulho?

Quanto mais longe você vai da civilização – o outback da Austrália ou o deserto do Atacama no Chile – mais a conversa desvanece. E se você continuar seguindo essa linha de raciocínio até o fim, você pousará em um lugar com o silêncio mais profundo de todos: o lado oculto da Lua.

Não é nenhuma surpresa, então, que os cientistas sonham com um observatório na Lua há anos. Igualmente não surpreendente é o fato de ainda não existir tal observatório.

Mas um artigo recente – escrito pelos pesquisadores patrocinados pela Breakthrough Listen, Eric Michaud, Andrew Siemion, Jamie Drew e Pete Worden – defende um observatório SETI (busca por inteligência extraterrestre) na Lua ou em órbita lunar. E, notavelmente, eles sugerem que tal projeto está, talvez, pela primeira vez se aproximando da viabilidade.

SETI no lado oculto

O lado oculto da Lua é um lugar ideal para procurar sinais de rádio de outras civilizações por alguns motivos.

O primeiro, conforme observado, é seu requintado silêncio de rádio. O astrônomo Phillipe Zarka, citado pelos autores, disse:

O lado oculto da Lua durante a noite lunar é o lugar mais silencioso em nosso universo local.

E para sinais de rádio de origem humana, esta é uma condição permanente. A Lua está travada pela gravidade, então um de seus lados fica sempre fica voltado para longe da Terra.

Quão silencioso é lá?

De acordo com os autores, um orbitador da NASA no início da década de 1970 descobriu que o ruído de rádio da Terra diminuiu de uma a três ordens de magnitude quando o satélite passou atrás da Lua. Simulações sugerem que esse efeito seria ainda maior na superfície lunar. Um estudo descobriu que perto da cratera Daedalus alguns sinais de rádio da Terra seriam reduzidos em até 10 ordens de magnitude (10 bilhões de vezes). A única interferência de rádio remanescente de origem humana seria de jipes-sondas e sondas em outras partes do Sistema Solar – dos quais existem, é claro, muito menos do que na órbita da Terra.

Somadas a um ambiente amplamente desprovido de interferência de rádio humana, as noites lunares duram duas semanas, permitindo grupos de visualização prolongados. E a cereja no topo: um observatório na Lua pode detectar comprimentos de onda em partes do espectro de rádio que são bloqueadas pela ionosfera da Terra.

Juntos, esses atributos tornam a Lua um destino excepcionalmente desejável para SETI – se você puder, de fato, descobrir como financiar e construir um observatório que tire proveito deles…

…Não há como dizer quando (ou se) teremos um observatório SETI no lado oculto da Lua, mas a busca pelo silêncio é uma causa válida. Seria uma pena perder a chamada do ET simplesmente porque não podemos ouvir o telefone.

(Fonte)


Minha opinião? Trata-se de mais um exercício em futilidade. Ondas de rádio vindas de civilizações extraterrestres que estão no nosso patamar tecnológico dificilmente chegam até aqui. Além disso, outras civilizações mais adiantadas provavelmente nem mesmo usam mais ondas de rádio, que estão limitadas pela velocidade da luz, pois seria inviável para comunicação entre as gigantescas distâncias interestelares.

E o que eles poderiam usar ao invés do rádio?

Uma possível dica: Cientistas que estudam a física quântica descobriram que quando dois átomos estão juntos, mesmo se você os separar por distâncias imensas, ao atuar sobre um desses átomos o outro reage instantaneamente como se os dois ainda estivessem juntos.

Posso ter escrito uma grande besteira acima, mas imaginar possibilidades é um ótimo exercício.

n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Compartilhe este artigo com a galáxia!



PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS:

O OVNI Hoje precisa de sua ajuda. Você pode ajudar na manutenção do site. Clique aqui para informações de como fazê-lo, ou use o botão abaixo:


(Obs.: Se preferir utilizar depósito bancário, favor enviar e-mail para n3m3@ovnihoje.com para obter as informações. Obrigado.)



ÁREA DE COMENTÁRIOS:

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.