Pedaços de rocha totalmente diferentes são descobertos no asteroide Bennu

Tempo de leitura: 2 min.
Pedaços de rocha totalmente diferentes são descobertos no asteroide Bennu
Rochas estranhas foram encontradas na superfície do asteroide Bennu. Crédito: NASA


Como que isso foi parar alí?

A espaçonave OSIRIS-REx da NASA avistou algumas rochas de cor estranhamente clara na superfície do asteroide Bennu – e depois de algumas investigações, os cientistas descobriram de onde elas são mais prováveis: de um asteroide totalmente diferente e muito maior.

Desde dezembro de 2018, a pequena espaçonave tem dado uma olhada de perto em Bennu, um asteróide próximo à Terra com apenas 500 metros de diâmetro. Em outubro, a Osiris-Rex tentará mergulhar em direção à superfície do asteroide para coletar uma amostra.

Mas durante suas investigações analisando uma série de varreduras de superfície, a equipe do OSIRIS-REx ficou intrigada com as rochas estranhas.

Daniella DellaGiustina do Laboratório Lunar & Planetário da Universidade do Arizona, em Tucson, e autora principal do artigo publicado na Nature Astronomy, disse em um comunicado da NASA:

Encontramos seis rochas com tamanhos de cerca de 1,5 a 4,3 metros espalhadas pelo hemisfério sul de Bennu e perto do equador.

Essas rochas são muito mais brilhantes do que o resto de Bennu e combinam com o material de [asteroide] Vesta.

Na verdade, de acordo com as varreduras feitas pelo conjunto de câmeras do OSIRIS-REx, as rochas pareciam ser dez vezes mais brilhantes do que seus arredores.

Vesta, descoberto há mais de 200 anos pelo astrônomo alemão Heinrich Wilhelm Matthias Olbers, é um dos maiores objetos no cinturão de asteroides, medindo mais de 500 quilômetros de ponta a ponta. Os cientistas preveem que é responsável por cerca de nove por cento da massa de todo o cinturão de asteroides.

Ao analisar as leituras do espectrômetro do OSIRIS, a equipe descobriu que as rochas claras provavelmente eram feitas de piroxênio mineral, exatamente o tipo de material que havia sido visto em Vesta e seus fragmentos menores – conhecidos como vestoides – que foram liberados quando Vesta foi bombardeado por asteroides menores.

A equipe concluiu que era improvável que as rochas brilhantes se formaram no próprio Bennu, porque o piroxênio se forma em temperaturas extremamente altas. As rochas de Bennu, que contêm principalmente minerais contendo água, não teriam passado por esse tipo de temperatura.

Um impacto poderoso também não poderia ter resultado nessas temperaturas. Na verdade, tal impacto teria destroçado Bennu.

Não seria a primeira vez que astrônomos avistaram pedaços de um asteroide na superfície de outro. Por exemplo, a nave espacial Hayabusa 2 da agência espacial japonesa avistou material mais escuro de um asteroide “tipo S” no asteroide “tipo C”, Ryugu, muito mais escuro, em 2018.

Graças à descoberta, os cientistas puderam obter detalhes sobre a trajetória de Bennu – a forma como a órbita da rocha é afetada por fatores que incluem forças gravitacionais de planetas próximos e pequenos impactos de asteroides.

Dante Lauretta, investigador principal da OSIRIS-REx na Universidade do Arizona em Tucson, disse no comunicado:

Estudos futuros de famílias de asteroides, bem como a origem de Bennu, devem reconciliar a presença de material semelhante ao Vesta, bem como a aparente falta de outros tipos de asteroides.

Lauretta acrescentou:

Se tudo correr conforme o planejado, o OSIRIS-REx fará sua primeira tentativa de coleta de amostra em outubro e a trará de volta à Terra em 2023. Estamos ansiosos pela amostra retornada, que esperançosamente contém pedaços desses tipos de rochas intrigantes.

(Fonte)


Seria muito legal se essas rochas mais claras fossem ouro. Imagine só a corrida espacial que isso desencadearia se descobrissem grandes quantidades do precioso metal flutuando lá fora no espaço.

n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Compartilhe este artigo com a galáxia!



PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS:

O OVNI Hoje precisa de sua ajuda. Você pode ajudar na manutenção do site. Clique aqui para informações de como fazê-lo, ou use o botão abaixo:


(Obs.: Se preferir utilizar depósito bancário, favor enviar e-mail para n3m3@ovnihoje.com para obter as informações. Obrigado.)



ÁREA DE COMENTÁRIOS:

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.