E se pudéssemos construir uma megaestrutura espacial como o Disco Alderson?

E se pudéssemos construir uma megaestrutura espacial como o Disco Alderson?
Um hipotético Disco de Alderson.

A Terra pode não permanecer habitável para sempre. Ela pode ser engolfada por uma explosão solar maciça, ou ficar muito quente devido à mudança climática, ou ter toda a sua vida destruída por um enorme asteroide. E se pudêssemos sobreviver a todos esses desastres? E que poderíamos fazer isso construindo uma megaestrutura espacial maior que o próprio Sol?

O Disco de Alderson é uma tal megaestrutura espacial (hipotética) artificial, como a Esfera de Dyson, que um dia pode se tornar o lar da humanidade. O disco é um prato gigante com uma espessura de vários milhares de quilômetros, mas como seria a vida em uma estrutura como essa?

O Sol repousa no buraco no centro do disco. O perímetro externo de um disco de Alderson seria aproximadamente equivalente à órbita de Marte ou Júpiter. De acordo com a proposta, um disco suficientemente grande teria uma massa maior que seu Sol.

O buraco seria cercado por um muro de 1.600 quilômetros de altura para evitar que a atmosfera escapasse para o Sol. A borda externa cuidaria de si mesma.

As tensões mecânicas dentro do disco estariam muito além do que qualquer material conhecido poderia suportar, relegando tal estrutura ao reino da engenharia exploratória até que os materiais e a ciência da construção se tornem suficientemente avançados.

Construir uma megaestrutura dessa magnitude exigiria uma quantidade de material que ultrapassa em muito a quantidade de material encontrada no Sistema Solar.

A vida poderia existir em ambos os lados do disco, embora perto do Sol o calor tornasse a vida impossível sem proteção. Por outro lado, mais longe do Sol, os seres vivos congelariam. Portanto, para que toda essa estrutura se torne habitável, ela teria que incluir um grande número de sistemas de suporte de vida. Mesmo sem esses sistemas, a área de superfície habitável seria equivalente a dezenas de milhões de Terras.

Como o Sol permanece estacionário, não há ciclo dia/noite, apenas um crepúsculo perpétuo. Isso poderia ser resolvido forçando o Sol a balançar para cima e para baixo dentro do disco, iluminando primeiro um lado e depois o outro.

[Para informações de como ativar a legenda em português do(s) vídeo(s) abaixo, embora ela não seja precisa e possa não funcionar em dispositivos móveis, clique aqui.
(Macete: algumas legendas são melhores acompanhadas lendo-se somente a última linha)]

(Fonte)

Trata-se somente de uma tremenda “viagem na maionese” que nunca será conseguida pela civilização humana. E, de qualquer forma, ela não protegeria a humanidade se o Sol decidisse virar uma supernova.

Para preservar a humanidade, ao invés de criar tal estrutura, seria muito mais fácil simplesmente se mudar para outros planetas e colonizar a Via Láctea desta forma (quando a tecnologia nos permitir tal façanha). Mas fica aqui o registro para sua apreciação.

n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Compartilhe este artigo com a galáxia!



PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS:

O OVNI Hoje precisa de sua ajuda. Você pode ajudar na manutenção do site. Clique aqui para informações de como fazê-lo, ou use o botão abaixo:


(Obs.: Se preferir utilizar depósito bancário, favor enviar e-mail para n3m3@ovnihoje.com para obter as informações. Obrigado.)



ÁREA DE COMENTÁRIOS:

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.