web analytics
OVNI Hoje!
Notícias diárias sobre OVNIs / UFOs, vida extraterrestre, bem como assuntos impactantes relacionados ao Universo e à Terra.

Um aviso da história: o Evento Carrington não foi único

Tempo de leitura: 3 min.
Um aviso da história: o Evento Carrington não foi único
Desenhos da mancha solar de Carrington por Richard Carrington, em 1º de setembro de 1859 e (inserção) Heinrich Schwabe em 27 de agosto de 1859. [Ref]

Em 1 de setembro de 1859, a tempestade solar mais feroz da história oficial registrada engolfou nosso planeta. Foi o “Evento Carrington”, em homenagem ao cientista britânico Richard Carrington, que testemunhou a ejeção solar que a iniciou. A tempestade abalou o campo magnético da Terra, gerou auroras em Cuba, nas Bahamas e no Havaí, incendiou estações de telégrafo e se inscreveu nos livros de história como a Maior Tempestadde Solar já registrada.

Mas, às vezes, o que você lê nos livros de história está errado.

Hisashi Hayakawa, da Universidade de Nagoya, no Japão, cujo estudo recente sobre tempestades solares descobriu outros eventos de intensidade comparável, informou:

O Evento Carrington não foi o único. Embora o evento Carrington tenha sido considerado uma catástrofe que ocorre uma vez a cada século, as observações históricas nos avisam que isto pode ocorrer com muito mais frequência.

Para gerações de meteorologistas espaciais que aprenderam na escola que o Evento Carrington foi único, esses são pensamentos inquietantes. A tecnologia moderna é muito mais vulnerável às tempestades solares do que os telégrafos do século XIX. Pense no GPS, na Internet e nas redes elétricas transcontinentais que podem transmitir tempestades geomagnéticas de costa a costa em questão de minutos. Um evento moderno como o de Carrington poderia causar quedas de energia generalizadas, juntamente com interrupções na navegação, viagens aéreas, bancos e todas as formas de comunicação digital.

Muitos estudos anteriores de supertempestades solares apoiaram-se fortemente nos relatos do hemisfério ocidental, omitindo dados do hemisfério oriental. Esta percepção distorcida do Evento Carrington, destacando sua importância, faz com que outras supertempestades sejam ignoradas.

Um bom exemplo é a grande tempestade de meados de setembro de 1770, quando auroras vermelhas extremamente brilhantes cobriram o Japão e partes da China. O próprio Capitão Cook viu a exibição perto da Ilha de Timor, ao sul da Indonésia. Hayakawa e seus colegas encontraram recentemente desenhos da manchas solares instigantes, e ela tem o dobro do tamanho do grupo de manchas solares de Carrington. Pinturas, diários e outros registros recém-descobertos, especialmente da China, retratam algumas das auroras de latitude mais baixa de todos os tempos, espalhadas por um período de 9 dias.

Um aviso da história: o Evento Carrington não foi único
Esboço de uma testemunha ocular de auroras vermelhas sobre o Japão em meados de setembro de 1770. [Ref]

Hayakawa e colegas escreveram em 2017 no Astrophysical Journal Letter:

Concluímos que a tempestade magnética de 1770 era comparável ao Evento Carrington, pelo menos em termos de visibilidade auroral. Além disso, a duração da atividade da tempestade foi muito mais longa do que o normal.

A equipe de Hayakawa investigou a história de outras tempestades também, examinando diários japoneses, registros do governo chinês e coreano, arquivos do Observatório Central Russo e diários de bordo de navios no mar – todos ajudando a formar uma imagem mais completa dos eventos.

Eles descobriram que as supertempestades em fevereiro de 1872 e maio de 1921 também foram comparáveis ​​ao Evento Carrington, com amplitudes magnéticas semelhantes e auroras generalizadas. Mais duas tempestades estão atingindo os calcanhares de Carrington: O apagão de Quebec em 13 de março de 1989 e uma tempestade sem nome em 25 de setembro de 1909 tiveram apenas um fator de aproximadamente 2 de menor intensidade. (Verifique a Tabela 1 do artigo de Hayakawa et al. 2019 para obter detalhes.)

Contextualizar o Evento Carrington tornou-se um nicho ocupado na pesquisa do clima espacial. Uma equipe liderada por Jeff Love do USGS confirmou recentemente a quase igualdade do Evento Carrington com a supertempestade de maio de 1921. E a equipe de Hayakawa acaba de descobrir novos registros de auroras extremas na América do Sul.

Estamos atrasados ​​para outro evento Carrington? Talvez. Na verdade, podemos ter se safado de um pouco tempo atrás.

Em julho de 2012, a NASA e as espaçonaves europeias assistiram a uma tempestade solar extrema irromper do Sol e por pouco impactar a Terra.

Daniel Baker, da Universidade do Colorado, anunciou em um seminário do clima espacial da NOAA, 2 anos depois:

Se tivesse acontecido, ainda estaríamos juntando os cacos. Pode ter sido mais forte do que o próprio Evento Carrington.

Livros de história, vamos começar a reescrever.

(Fonte)


Você já imaginou no mundo de hoje, onde dependemos pela maior parte da Internet para a condução dos negócios, comunicação, navegação, ensino, saúde, etc.? Se um evento similar ocorresse hoje em dia ao ponto de “apagar” a Internet, seria um caos mundial muito maior do que a “pandemia” do momento.

E ainda tem gente lutando para tornar toda a moeda mundial em criptomoeda. É muita confiança num sistema que pode apagar de um minuto para o outro devido a algo que é somente uma questão de tempo para nos atingir, como tempestades solares, ou até mesmo sabotagens por “forças do mal”.

E, não querendo ser o “bicho do mal agouro”, não custa lembrar que duas das maiores tempestades solares que atingiram a Terra ocorreram exatamente no mês de setembro e, para complementar, estamos em setembro de… 2020! 🤣 (risada de vilão, embora eu esteja longe de ser um.)

n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.



PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS:

O OVNI Hoje precisa de sua ajuda. Você pode ajudar na manutenção do site.

Clique aqui para apoiar através do site Apoia.se, ou use o botão abaixo:


*Agora você também pode apoiar o OVNI Hoje através de uma transferência PIX, clicando aqui, ou utilizando o QR Code abaixo:

(Obs.: Se preferir utilizar depósito bancário, favor enviar e-mail para n3m3@ovnihoje.com para obter as informações. Obrigado.)



ÁREA DE COMENTÁRIOS

Atenção:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta. O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com ética, sempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores. Pessoas que insistirem em burlar as regras serão banidas dos comentários.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More