Explosão de estrela provavelmente causou extinção em massa na Terra

Tempo de leitura: 2 min.
Explosão de estrela provavelmente causou extinção em massa na Terra


Os cientistas estão começando a suspeitar que uma antiga supernova irradiou todo o nosso planeta – matando grande parte de sua vida.

De acordo com pesquisadores da Universidade de Illinois, uma supernova a 65 anos-luz da Terra provavelmente causou um evento de extinção em massa durante o período Devoniano Superior, 359 milhões de anos atrás.

Os pesquisadores encontraram isótopos radioativos em rochas que podem ser capazes de confirmar tal evento, conforme detalhado em um novo artigo publicado na revista Proceedings of the National Academy of Sciences.

Durante o período Devoniano Superior, quando a maior parte da vida foi encontrada nos oceanos, uma das piores extinções em massa na história da Terra danificou gravemente seu ecossistema. No entanto, nunca ficou claro o que o causou.

Para explicar o evento, a equipe examinou rochas que contêm esporos de plantas antigas. Esses esporos parecem ter sido gravemente queimados pela luz ultravioleta do Sol, provavelmente a consequência de uma falta de ozônio na atmosfera a longo prazo.

O professor de astronomia e física Brian Fields, autor principal do estudo, disse em um comunicado:

Catástrofes com base na Terra, como vulcanismo em grande escala e aquecimento global, também podem destruir a camada de ozônio, mas as evidências para essas são inconclusivas para o intervalo de tempo em questão. Em vez disso, propomos que uma ou mais explosões de supernovas, a cerca de 65 anos-luz de distância da Terra, poderiam ter sido responsáveis ​​pela perda prolongada de ozônio.

Teria sido um evento e tanto, iluminando os céus.

A aluna de graduação e coautora do estudo, Adrienne Ertel, acrescentou:

Para colocar isso em perspectiva, uma das ameaças de supernova mais próximas hoje é da estrela Betelgeuse, que está a mais de 600 anos-luz de distância e bem fora da distância de morte de 25 anos-luz,

A equipe também analisou outras causas de destruição da camada de ozônio, incluindo impactos de meteoritos e explosões de raios gama, mas isso não teria causado uma redução a longo prazo.

Eles sugerem que a violenta supernova inundou nosso planeta com perigosos raios UV, X- e gama, irradiando a camada de ozônio com efeitos que teriam durado por até 100.000 anos, de acordo com os pesquisadores.

Para confirmar suas suspeitas, a equipe está agora em busca da “arma fumegante” (prova) – dois isótopos radioativos específicos do plutônio, originários do período Devoniano Superior, que só poderiam ter vindo para a Terra a partir de explosões cósmicas.

Fields explica:

A mensagem abrangente de nosso estudo é que a vida na Terra não existe isoladamente. Somos cidadãos de um cosmos maior, e o cosmos intervém em nossas vidas – muitas vezes de forma imperceptível, mas às vezes ferozmente.

(Fonte)


Pelo menos é confortante o fato da estrela mais próxima da Terra que pode se tornar uma supernova em nossas vidas está longe demais para causar quaisquer danos por aqui (ou pelo menos é isso que os cientistas acham).

n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Compartilhe este artigo com a galáxia!



PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS:

O OVNI Hoje precisa de sua ajuda. Você pode ajudar na manutenção do site. Clique aqui para informações de como fazê-lo, ou use o botão abaixo:


(Obs.: Se preferir utilizar depósito bancário, favor enviar e-mail para n3m3@ovnihoje.com para obter as informações. Obrigado.)



ÁREA DE COMENTÁRIOS:

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.