A “Invasão Alienígena” e pânico em Massa em Jafr, Jordânia

Tempo de leitura: 3 min.
A "Invasão Alienígena" e pânico em Massa em Jafr, Jordânia

Na cidade rural do deserto de Jafr, no leste da Jordânia, a cerca de 300 quilômetros a leste de Amã, nada realmente acontece. Este é um lugar simples e esquecido no terreno desértico implacável bem longe do resto do mundo, um lugar que nem mesmo as pessoas na Jordânia jamais ouviram falar. Mas isso mudaria em 2010, quando esta cidade de 13.000 habitantes repentinamente recebeu grande cobertura de notícias nacionais quando Jafr foi supostamente invadida por alienígenas ameaçadores e malévolos de outro mundo. E assim começaria um pânico diferente da região jamais vista antes, que na mente das pessoas pelo menos envolvia alienígenas gigantescos e suas máquinas de morte para matá-los a todos.

Em 1º de abril de 2010, uma grande história foi publicada na primeira página do jornal jordaniano Al-Ghad. De acordo com a reportagem, os OVNIs desceram do céu para pousar no deserto ao redor da cidade empoeirada, pilotados por alienígenas enormes e saqueadores que foram descritos como tendo 3 metros de altura que falavam em uma linguagem estridente. Durante a noite, os OVNIs, que supostamente podiam disparar feixes de calor intenso, teriam voado sobre a cidade, iluminando prédios e ruas da cidade como se fosse dia, deixando marcas de queimadura no solo. Também foi dito que alguma força que eles estavam gerando interrompiam as comunicações na área. Moradores em pânico supostamente correram para as ruas com medo por suas vidas e, quando o artigo circulou, a população estava em pânico frenético, pensando que o mundo estava acabando.

A "Invasão Alienígena" e pânico em Massa em Jafr, Jordânia
Rua principal de Jafr, Jordan

Por tudo isso, os pais se recusaram a mandar seus filhos para a escola, muitas lojas fechadas e o prefeito da cidade, Mohammed Mleihan, estava se preparando para evacuar toda a população. Ele disse sobre isso:

Os alunos não iam à escola, seus pais ficaram com medo e quase evacuei os 13.000 residentes da cidade. As pessoas estavam com medo de que os alienígenas as atacassem.

Quando outros meios de comunicação divulgaram a história, ela pareceu adquirir vida própria, com alguns dizendo que militares estavam sendo mobilizados e que uma força de invasão alienígena estava se preparando para lançar um ataque do deserto. Nesse ínterim, o prefeito fez patrulhar as forças de segurança nos arredores da cidade, mas eles não conseguiram localizar nenhum OVNI ou alienígena gigante.

Assim que o jornal Al-Ghad percebeu o que estava acontecendo e ficou ciente da gravidade do alvoroço que seu artigo havia causado, Moussa Barhoumeh, o editor-chefe do Al Ghad, adiantou-se para dizer que tudo não passara de uma pegadinha de 1º de abril, algo que muitos leitores astutos aqui já devem ter imaginado ao ler a data da publicação. De acordo com o editor, isto tinha sido apenas uma brincadeira boba e bem-humorada “destinada a entreter, não assustar as pessoas”.

O jornal emitiu um pedido formal de desculpas pelo inconveniente que isso causou, mas muitas pessoas de Jafr, que tiveram suas vidas reviradas momentaneamente, ficaram furiosas, principalmente o prefeito Mleihan. Ele estava tão enfurecido que ameaçou processar o jornal por sua “grande mentira” de mau gosto, especialmente porque ele havia alocado recursos valiosos para se preparar para uma invasão alienígena que nunca aconteceu.

Parece estranho que Al-Ghad decidisse tentar fazer tal proeza. Afinal, enquanto alguém do Ocidente pode estar acostumado a ver notícias falsas de 1º de abril impressas e lançar um olhar cético para manchetes espetaculares desse dia, na Jordânia é diferente. Eles não têm esse costume, especialmente em uma região rural e supersticiosa como Jafr, onde a maioria das pessoas nem saberia o que era uma pegadinha de 1º de abril.

Considerando isso, parece muito estranho que o jornal não apenas publicasse um artigo de pegadinha na primeira página, mas também o baseasse em Jafr. Nos EUA ou na Grã-Bretanha, provavelmente não teria sido um grande negócio, mas na Jordânia isso levou a um pânico em massa e uma emergência regional entre uma população não versada nessas coisas.

Em alguns aspectos lembra bastante a infame transmissão da Guerra dos Mundos de 30 de outubro de 1938, em que o futuro cineasta Orson Welles adaptou o clássico de HG Wells de mesmo nome como um programa de rádio de Halloween na rede de rádio Columbia Broadcasting System. A transmissão foi feita para soar como se estivesse ocorrendo quando a invasão alienígena do romance aconteceu. Ela foi claramente anunciado como uma dramatização, mas apresentada em um estilo muito realista de outro programa sendo interrompido por notícias dos invasores de Marte. Assim algumas pessoas que assistiram ao programa no meio do caminho disseram que acreditaram tudo como sendo real e entraram em pânico devido ao estilo realista de “notícias de última hora” usado.

A extensão desse pânico foi contestada nos últimos anos, visto que o programa não foi ouvido por tantas pessoas e a maioria delas o enfrentou com curiosidade em vez de medo, mas sem dúvida algumas pessoas acreditaram que fosse real e não ficaram muito felizes por terem sido enganadas. Mesmo que o pânico causado pela transmissão não tenha sido tão ruim quanto tradicionalmente é retratado, ele ainda ganhou um pouco de reação de pessoas que não gostaram do uso de seu formato de boletim de notícias enganoso, levando a uma regulamentação mais estrita de tais programas pela Comissão Federal de Comunicações.

O susto da invasão alienígena Jafr é o pior cenário para notícias falsas e ética jornalística questionável, misturada com brincalhões que talvez tenham ido longe demais. Esta única história lançou esta pequena cidade em um turbilhão absoluto de medo e apreensão, e é um conto de advertência sobre como as pessoas podem ser ariscas e crédulas, especialmente em uma área fora do caminho e subdesenvolvida, onde a população é especialmente suscetível.

Este é certamente um pequeno conto intrigante, e mostra que as notícias convencionais provavelmente não são o melhor lugar para fazer piadas.

(Fonte)


Interessante notar que este artigo acima é publicado quase que ao mesmo tempo que se começa a falar na Internet sobre uma possível invasão alienígena de bandeira falsa para outubro/novembro.

Bem, como não acredito em eventos impactantes à humanidade com data marcada, fico aqui no meu cantinho solitário à frente do meu computador, comendo minha pipoca e esperando os eventos ocorrerem.

n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Compartilhe este artigo com a galáxia!



PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS:

O OVNI Hoje precisa de sua ajuda. Você pode ajudar na manutenção do site. Clique aqui para informações de como fazê-lo, ou use o botão abaixo:


(Obs.: Se preferir utilizar depósito bancário, favor enviar e-mail para n3m3@ovnihoje.com para obter as informações. Obrigado.)



ÁREA DE COMENTÁRIOS:

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.