A Terra terá grande declínio populacional, dizem pesquisadores

Tempo de leitura: 2 min.

Pessoas em todo o mundo estão tendo muito menos bebês. Até o ano 2100, isso pode se transformar em um grande problema para a humanidade – e não no alívio que se poderia esperar.

Se já não estiverem, a população de dezenas de países entrará em declínio neste século, de acordo com um novo estudo publicado no Lancet. Espera-se que 23 países sintam que esse efeito se intensificará, com suas populações caindo para metade do que são agora até o ano 2100.

A população global atingirá o pico de 9,7 bilhões em 2064, de acordo com a nova projeção, e depois cairá para 8,8 bilhões no final do século.

Christopher Murray, co-autor e pesquisador da Universidade de Washington, Seattle, disse à BBC:

Isso é algo muito grande; a maior parte do mundo está em transição para o declínio natural da população. Eu acho incrivelmente difícil pensar nisso e reconhecer o quão grande isso é; é extraordinário, teremos que reorganizar as sociedades.

A realidade é que, com mais mulheres recebendo educação e ingressando na força de trabalho, combinadas com a ampla disponibilidade de métodos contraceptivos, as taxas de fertilidade estão caindo, às vezes precipitadamente, em todo o mundo – uma forte reversão do boom de bebês após a Segunda Guerra Mundial.

Países como Espanha, Portugal e Tailândia terão suas populações reduzidas pela metade até o final do século – “de cair o queixo”, segundo Murray.

Mas não haverá menos humanos melhores para o mundo devastado? Os pesquisadores sugerem que pode haver menos bebês nascendo, mas quaisquer consequências positivas para o meio ambiente seriam anuladas pelos desafios de uma população que envelhece rapidamente.

Populações muito mais velhas “criarão enormes mudanças sociais”, disse Murray à BBC:

Quem pagará os impostos em um mundo massivamente envelhecido? Quem paga pelos cuidados de saúde para os idosos? Quem cuida dos idosos? As pessoas ainda poderão se aposentar do trabalho?

Precisamos de um pouso suave.

As populações em declínio ao redor do mundo nos forçarão a encontrar soluções. O sucesso das economias em todo o mundo se tornará cada vez mais dependente de imigrantes e fronteiras abertas.

A África só sentirá os efeitos de populações em declínio muito mais tarde, com populações em várias nações africanas aumentando, em vez de encolher, em 2100. De fato, os pesquisadores observam que a Nigéria está projetada para se tornar o segundo país mais populoso do mundo, com 791 milhões de pessoas até 2100…

Não está claro como o mundo deve se adaptar a essas realidades iminentes. Vimos apenas um sucesso limitado na promoção do parto, usando ferramentas de políticas como licença maternidade e paternidade mais longa, assistência à infância e incentivos financeiros.

Murray disse:

Se você não conseguirmos [encontrar uma solução], eventualmente a espécie desaparece, mas isso é daqui a alguns séculos.

(Fonte)


Penso eu que alguns desses cientistas sempre subestimam a capacidade humana de sobrevivência. Tenho certeza que se a população humana diminuir drasticamente no planeta, logo estaremos fabricando bebês como se fosse uma linha de produção. A própria natureza se encarregará disso.

n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Compartilhe este artigo com a galáxia!



PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS:

O OVNI Hoje precisa de sua ajuda. Você pode ajudar na manutenção do site. Clique aqui para informações de como fazê-lo, ou use o botão abaixo:


(Obs.: Se preferir utilizar depósito bancário, favor enviar e-mail para n3m3@ovnihoje.com para obter as informações. Obrigado.)



ÁREA DE COMENTÁRIOS:

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.