Foguete chinês pode ter caído em cidade da Costa do Marfim

Tempo de leitura: 2 min.

Na semana passada, o programa espacial da China estreou um novo foguete que expande sua capacidade de realizar grandes projetos em órbita baixa da Terra. O lançamento do Long March 5B demonstrou uma nova cápsula espacial para transportar astronautas para a órbita. Mas ele também parece ter jogado um grande objeto de metal em uma cidade na Costa do Marfim.

Foguete chinês pode ter feito caído em cidade da Costa do Marfim
O Long March 5B indo para a plataforma de lançamento em 29 de abril.

Fontes de notícias locais informaram que os moradores ouviram um estrondo e descobriram a parte do foguete. Felizmente, ninguém ficou ferido.

O astrofísico do Instituto Harvard-Smithsonian, Jonathan McDowell, que rastreia a atividade em órbita, observou que o trajeto do foguete, abandonado após o sucesso da entrega da cápsula em órbita, teria passado pela cidade em questão.

Normalmente, os corpos dos foguetes que concluíram seu trabalho são descartados em mar aberto ou manobrados em órbitas de descarte de longo prazo, onde não afetarão pessoas ou outras naves espaciais. No entanto, a China tem uma história instável com isso, frequentemente deixando os estágios de foguetes em áreas povoadas perto de seus próprios locais de lançamento.

Nesse caso, o projeto do foguete tornou as coisas ainda mais difíceis. Em vez de usar dois estágios, o veículo possui apenas um núcleo e quatro propulsores descartáveis. Isso significa que o corpo do foguete que atinge a órbita e depois entra novamente é incomumente grande.

Normalmente, o primeiro estágio maior é eliminado no início da missão, deixando apenas o segundo estágio menor em órbita. Os engenheiros espaciais chineses provavelmente enfrentarão pressão internacional para ajustar o perfil de voo do foguete para garantir que missões futuras não espalhem detritos por outros países – nesse caso, o veículo passou por Nova Iorque menos de uma hora antes de voltar à atmosfera.

McDowell diz que esta é provavelmente a maior reentrada descontrolada desde que uma estação espacial soviética explodiu em 1991.

Quando satélites maiores ou estações espaciais são retirados de órbita, os engenheiros tentam levá-los a uma seção remota do Pacífico Sul chamada cemitério de naves espaciais. Os “moradores” dessa região incluem a antiga estação espacial Mir, inúmeras naves espaciais desmontadas e – quase – a primeira estação espacial chinesa, Tiangong-1, que colidiu com o Pacífico a alguns milhares de quilômetros do cemitério aquático.

(Fonte)

Colaboração: Pazifico


n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Compartilhe este artigo com a galáxia!



PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS:

O OVNI Hoje precisa de sua ajuda. Você pode ajudar na manutenção do site. Clique aqui para informações de como fazê-lo, ou use o botão abaixo:


(Obs.: Se preferir utilizar depósito bancário, favor enviar e-mail para n3m3@ovnihoje.com para obter as informações. Obrigado.)



ÁREA DE COMENTÁRIOS:

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.