Estados Unidos e Reino Unido reconhecem que OVNIs existem

Tempo de leitura: 2 min.

Um relatório publicado pela Autoridade de Aviação Civil da Grã-Bretanha e as declarações de um porta-voz da Marinha dos EUA e vários pilotos de caça apontam para a mesma coisa: o fenômeno OVNI é real e os governos não têm respostas.

Estados Unidos e Reino Unido reconhecem que OVNIs existem

A Autoridade de Aviação Civil da Grã-Bretanha registrou, de 2017 até o presente, 36 casos em que a presença de OVNIs estava prestes a causar acidentes aéreos. Vinte e cinco por cento desses incidentes foram classificados como sendo de “alto risco de colisão”, e a grande maioria deles ocorreu entre 5.000 e 16.000 pés (1,500 e 4.800m)de altura.

Um dos casos mais espetaculares aconteceu durante o vôo de vários combatentes em formação. De repente, um pequeno objeto de aparência metálica apareceu, passando muito perto do avião que voava na primeira posição. De acordo com o arquivo do caso, tinha o formato de um charuto e refletia a luz do Sol.

Outro dos incidentes ocorreu a 4.800 pés (1.400 m) de altitude, quando um OVNI se aproximou de um Boeing 757 que estava iniciando uma manobra de pouso. Como observou o piloto:

Era um objeto voador irregular e escuro que passava à esquerda do avião, a menos de 200 pés (60 m) de distância dele.

O ufólogo Nick Pope, que durante anos chefiou um departamento de investigação de OVNIs do Ministério da Defesa britânico, garantiu que o governo de seu país não possui atualmente recursos suficientes para estudar a questão ufológica, pois, de acordo com suas informações, em 2009, o corpo que coletou todos os casos de OVNIs ocorridos em território britânico foi fechado.

Pope disse:

Atualmente, a Defesa continua estudando a questão, mas os pilotos são obrigados a evitar o termo OVNI o máximo possível em seus relatórios. Depois de investigar a questão dos OVNIs para o Ministério da Defesa entre 1991 e 1994, estou convencido de que, qualquer que seja a natureza do fenômeno, levanta questões importantes relacionadas à segurança nacional e à segurança da aviação.

Nós não sabemos de onde eles vêm.

Essas informações se juntam às declarações recentes de Joseph Gradisher, porta-voz do vice-chefe de operações navais da Marinha dos EUA, que admitiu que as imagens vazadas nos últimos meses por vários meios de comunicação, nos quais o deslocamento de objetos é observado…

Joseph Gradisher revelou que os relatórios de avistamento não usam o termo OVNI, mas sim o de Fenômenos Aéreos Não Identificados.

Ele disse:

Usamos essa terminologia porque fornece uma descrição mais precisa para os avistamentos de objetos não identificados que foram observados entrando ou operando no espaço aéreo de várias áreas de treinamento controladas por militares.

Em maio de 2019, o porta-voz da Marinha já havia admitido:

Desde 2014, várias vezes por mês uma série de aeronaves não autorizadas e não identificadas entraram no espaço aéreo controlado pelo Exército. Esses tipos de incursões representam um risco à segurança nacional e às aeronaves da Marinha e da Força Aérea. Por razões de segurança e proteção, a Marinha e a Força Aérea levam esses relatórios muito a sério e investigam cada um deles (…) Precisamos chegar ao fundo desse assunto para determinar quem está por trás dos avistamentos, de onde eles vêm. E qual é a sua intenção.

(Fonte)

Colaboração: MaryH


Será que estamos agora passando por uma nova onda de tentativas de desacobertamento? Só acredito se realmente acontecer.

E não esqueça: clique aqui para acessar nossa página principal, a qual é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia.

n3m3

Compartilhe este artigo com a galáxia!



PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS:

O OVNI Hoje precisa de sua ajuda. Você pode ajudar na manutenção do site. Clique aqui para informações de como fazê-lo, ou use o botão abaixo:


(Obs.: Se preferir utilizar depósito bancário, favor enviar e-mail para n3m3@ovnihoje.com para obter as informações. Obrigado.)



ÁREA DE COMENTÁRIOS:

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.