Documento de 1888 registrou o primeiro caso de morte por impacto de meteoro

Tempo de leitura: 2 min.

Quais são as chances de uma pessoa que está na Terra ser atingida por um meteoro?

Documento de 1888 registrou o primeiro caso de morte por impacto de meteoro
Renderização artística de um meteorito caindo no oceano. Shutterstock.

Se você perguntar a Stephen A. Nelson, professor de ciências ambientais da Universidade de Tulane, as chances de ser morto por um meteoro são de aproximadamente 1 em 250.000. A análise estatística nos diz que assassinatos é de (1 em 185), tornado (1 em 60.000), inundação (1 em 27.000), um acidente de avião (1 em 30.000), o que significa que todos esses são muito mais prováveis ​​assassinos em comparação com um impacto de meteoro.

Nelson explica em seu estudo:

Estima-se que, em qualquer ano, as chances de que você morra com o impacto de um asteroide ou cometa estão entre 1 em 3.000 e 1 em 250.000.

No entanto, não é impossível. Acontece que agora os cientistas descobriram o que acreditam ser o relato mais antigo de morte e ferimentos causados ​​por um meteoro. De acordo com um novo estudo publicado na revista Meteoritics & Planetary Science, em 1888, um homem foi morto e outro ferido depois que um meteoro atingiu a Terra.

Cientistas da Universidade Ege (Turquia) apresentaram o que acreditam ser a primeira evidência de um evento em que um meteoro atingiu e matou um homem e paralisou outro. Os eventos ocorreram em 22 de agosto de 1888, em Sulaymaniyah, Iraque, com base em três manuscritos escritos em turco otomano que foram extraídos da Direção Geral de Arquivos do Estado da Presidência da República da Turquia. Esse evento também foi relatado ao então sultão do Império Otomano, Abdul Hamid II, pelo governador de Sulaymaniyah.

Essas descobertas sugerem que outros registros históricos podem existir, documentando outros eventos que causaram mortes e lesões por meteoros, de acordo com a equipe científica.

Um caso bem documentado de um meteoro impactando uma pessoa ocorreu em novembro de 1954, quando uma rocha espacial atravessou o teto da casa de Ann Hodges, que tinha 34 anos na época, ricocheteou no rádio e a atingiu na coxa. Felizmente, isso a deixou apenas com uma contusão na perna.

Nosso planeta experimenta impactos de meteoros com diferentes riscos de explosões no ar e impactos no solo. Alguns desses meteoros podem sobreviver após a passagem atmosférica, finalmente impactando a superfície do planeta. Embora existam várias alegações de que as pessoas foram atingidas e mortas por meteoros na história, elas não foram creditadas com precisão em registros históricos específicos, isto é, até agora.

Esse problema pode ser devido ao fato de muitos manuscritos antigos terem sido escritos em outro idioma que não o inglês, ou de um interesse insuficiente pelos registros históricos, alertam os pesquisadores em seu estudo, publicado na Meteoritics & Planetary Science.

De acordo com a NASA, mais de 13.500 asteroides e cometas foram identificados, variando em tamanho de alguns metros a vários quilômetros, todos localizados a 48 milhões de quilômetros da órbita da Terra. A agência relata que cerca de 1.500 peças de detritos espaciais são detectadas a cada ano. Portanto, nenhum dos asteroides ou cometas identificados apresenta qualquer ameaça mensurável à Terra… por enquanto.

A NASA explica:

A probabilidade de um asteroide atingir a Terra e causar sérios danos é muito remota, mas as consequências devastadoras de tal impacto sugerem que devemos estudar de perto os diferentes tipos de asteroides para entender suas composições, estruturas, tamanhos e trajetórias futuras.

(Fonte)


Quem não lembra o meteoro que explodiu no céu da cidade russa de Chelyabinsk há poucos anos? Aquela rocha espacial pegou todos de surpresa mas, felizmente, os estragos foram pela maior parte material.

Daqui três dias, em 29 de abril, um grande asteroide denominado 1998 OR2 irá fazer sua aproximação da Terra, e há pessoas dizendo que a NASA mente quando diz que ele passará à uma distância segura de nós.

Eu, particularmente, acho que estarei aqui no dia 30 publicando mais artigos, como sempre.

E não esqueça que na nossa página principal várias notícias são publicas todos os dias. Clique aqui para acessá-la.

n3m3

Compartilhe este artigo com a galáxia!

_______

ATENÇÃO: Este site publica notícias que estão sendo disponibilizadas na Internet a respeito do fenômeno OVNI, bem como assuntos alternativos relevantes ao nosso planeta/Universo e à raça humana. Antes de criticar um artigo aqui publicado, entenda nossa missão clicando neste link.

O OVNI Hoje precisa de sua ajuda. Você pode ajudar na manutenção do site. Clique aqui para informações de como fazê-lo, ou use o botão abaixo:


(Obs.: Se preferir utilizar depósito bancário, favor enviar e-mail para n3m3@ovnihoje.com para obter as informações. Obrigado.)

_______

O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS:


PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…

[Devido a problemas técnicos, dispositivos móveis que acessam a versão amp (Accelerated Mobile Pages) do OVNI Hoje não terão acesso ao sistema de comentários Disqus. Neste caso, para acessar os comentários simplesmente acesse o site ovnihoje.com diretamente, e não por intermédio do sistema de procura. Estou trabalhando para tentar resolver esta questão.]

-------
-------

AVISO: Todos são bem-vindos a participar da área de comentários abaixo. Contudo, os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprios autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências ou conflitos por eles causados.

Também informamos que, a fim de não causar distrações e conflitos desnecessários, comentários, avatares e pseudônimos com viés político, seja de qual ideologia for, serão prontamente apagados quando encontrados pelos moderadores. O foco dos comentários deve ser mantido no assunto de cada artigo e somente desviado quando for pertinente ao tema do OVNI Hoje.

Assim, colabore com o bom andamento dos comentários, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando comentários fora do padrão como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado direito de cada comentário.

Obrigado.