Astrônomos fazem descoberta surpreendente sobre o cometa 2I/Borisov

Tempo de leitura: 2 min.

Os cientistas descobriram que um cometa chamado 2I/Borisov – apenas o segundo objeto interestelar já detectado passando pelo sistema solar – é surpreendentemente diferente em sua composição dos cometas vindos de nossa vizinhança celeste.

Astrônomos fazem descoberta surpreendente sobre cometa 2I/Borisov
O cometa interestelar 2I/Borisov viaja através do nosso sistema solar em uma impressão artística obtida pela Reuters em 20 de abril de 2020. NRAO / AUI / NSF, S. Dagnello / Divulgação via REUTERS.

O gás que sai do 2I/Borisov contém grandes quantidades de monóxido de carbono – muito mais do que os cometas formados em nosso sistema solar – indicando que o objeto tinha grandes concentrações de gelo de monóxido de carbono, disseram pesquisadores na segunda-feira.

O monóxido de carbono, venenoso para os seres humanos, é comum como gás no espaço e se forma como gelo apenas nos locais mais frios. A presença de tanto monóxido de carbono, disseram os pesquisadores, sugere que o 2I/Borisov se formou de maneira diferente dos cometas em nosso sistema solar – em uma região externa muito fria de seu sistema estelar doméstico, ou em torno de uma estrela mais fria que o Sol.

Os cometas são essencialmente bolas de neve sujas, compostas por gases congelados, rochas e poeira que orbitam estrelas.

O cientista planetário Dennis Bodewits, da Universidade de Auburn, no Alabama, principal autor de um dos dois estudos do 2I/Borisov publicados na revista Nature Astronomy, informou:

Gostamos de nos referir ao 2I/Borisov como um boneco de neve de um lugar escuro e frio.

Os cometas são elementos remanescentes da época da formação de planetas. Pela primeira vez, fomos capazes de medir a composição química de um bloco de construção de outro sistema planetário enquanto ele voava através de nosso próprio sistema solar.

O cometa, detectado em agosto de 2019 pelo astrônomo amador Gennady Borisov e estimado em cerca de um quilômetro de largura, percorreu o espaço interestelar depois de ser expulso de seu sistema estelar original.

Ele nasceu há muito tempo em um disco rotativo de gás e poeira em torno de uma estrela recém-formada em um lugar que deve ter sido rico em monóxido de carbono, disse Bodewits. Essa estrela pode ter sido o que é chamado de anã M, muito menor e mais fria que o Sol e o menor tipo de estrela conhecido, disse Bodewits.

Os cientistas concluíram inicialmente no ano passado que o 2I/Borisov era semelhante aos cometas do nosso sistema solar, mas os dados do Telescópio Espacial Hubble e de um observatório no Chile revelaram suas diferenças.

Os pesquisadores também descobriram uma abundância de cianeto de hidrogênio em níveis semelhantes aos cometas do nosso sistema solar.

Martin Cordiner, astrobiólogo que trabalha na Goddard Space Flight Center da NASA em Maryland e principal autor do outro estudo, disse:

Isso mostra que 2I/Borisov não é um objeto completamente alienígena e confirma alguma semelhança com nossos cometas ‘normais’; portanto, os processos que o modelaram são comparáveis ​​à forma como nossos próprios cometas se formaram.

O único outro visitante interestelar descoberto em nosso sistema solar foi um objeto em forma de charuto chamado um Oumuamua, avistado em 2017.

(Fonte)


n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Compartilhe este artigo com a galáxia!



PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS:

O OVNI Hoje precisa de sua ajuda. Você pode ajudar na manutenção do site. Clique aqui para informações de como fazê-lo, ou use o botão abaixo:


(Obs.: Se preferir utilizar depósito bancário, favor enviar e-mail para n3m3@ovnihoje.com para obter as informações. Obrigado.)



ÁREA DE COMENTÁRIOS:

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.