O Oumuamua é um fragmento de um planeta destruído, alega novo estudo

Tempo de leitura: 2 min.

Simulações levaram a essa nova história de origem para o primeiro visitante conhecido de fora do nosso sistema solar.

O Oumuamua é um fragmento de um planeta destruído, alega novo estudo
Oumuamua (ilustrado), um corpo celeste enigmático que passou pelo sistema solar em 2017, pode ter sido parte de um planeta destruído, sugere um novo estudo. JOY POLLARD / GEMINI OBSERVATÓRIO, AURA, NSF

O primeiro visitante interestelar registrado do sistema solar tem uma nova história de origem proposta. O enigmático objeto celeste conhecido como Oumuamua pode ser um fragmento de um planeta destruído pela gravidade de sua estrela, sugeriram os pesquisadores em 13 de abril na Nature Astronomy.

Desde que o Oumuamua apareceu em nosso sistema solar em 2017, os astrônomos têm se esforçado para explicar sua origem, sugerindo que pode ser um asteroide rebelde, um cometa ou até uma espaçonave alienígena.

Procurando outras explicações, os astrônomos Yun Zhang, no Observatório Côte d’Azur, em Nice, França, e Douglas Lin, da Universidade da Califórnia, Santa Cruz desenvolveram simulações em computador nas quais os corpos planetários se aproximavam demais de suas estrelas-mãe.

Nessas simulações, objetos com tamanhos variando de cometas a planetas rochosos orbitam estrelas relativamente leves. Os cientistas descobriram que, se esses corpos repetidamente chegam a cerca de 600.000 quilômetros de sua estrela – quase 80 vezes mais perto do que Mercúrio está do nosso Sol -, a gravidade da estrela destrói os objetos e lança os fragmentos no espaço interestelar.

Se o Oumuamua fosse um fragmento assim, isso poderia explicar sua forma estranha, seu movimento de queda e porque ele acelerou ao deixar o sistema solar. Os fragmentos planetários simulados caem e tendem a ter a forma de charuto, semelhante ao Oumuamua. E esse fragmento pode reter o gelo da água no seu interior, dizem os pesquisadores. O gelo enterrado poderia ter produzido vapor de água quando um Oumuamua foi aquecido pelo Sol. Se esse gás escapasse através de rochas porosas, poderia ter agido como um foguete natural, dando um empurrãozinho ao nosso passageiro ao contornar o Sol.

“Essa história de origem é plausível, a qual vincula as estranhas propriedades de Oumuamua à formação de planetas em toda a galáxia”, diz Gregory Laughlin, astrônomo da Universidade de Yale que não participou do estudo.

No entanto, o astrônomo de Harvard, Avi Loeb, vê um buraco na trama nessa narrativa. Para explicar o número estimado de “objetos semelhantes a Oumuamua que devem estar zunindo pela galáxia, é preciso que cada estrela produza aproximadamente um quatrilhão de objetos”. Mas a fragmentação planetária deveria ser rara, exigindo que os corpos passassem por uma pequena fatia de espaço ao redor de uma estrela, diz ele.

E isso supondo que um objeto condenado não evapore e não se quebre.

Loeb diz:

As estatísticas de tais eventos tornam o cenário proposto improvável.

(Fonte)

Colaboração: Vário leitores


E também há uma outra forma de desconsiderar isso: o gás sob pressão só escapou da traseira do objeto, impulsionando-o como um foguete, somente quando ele já estava bem mais afastado do Sol, viajando no espaço gélido? Então por que esse mesmo gás não começou a entrar em ação quando o objeto chegou à sua distância mais próxima do nosso astro rei, quando o calor seria muito mais intenso?

E não esqueça que na nossa página principal várias notícias são publicas todos os dias. Clique aqui para acessá-la.

n3m3

Compartilhe este artigo com a galáxia!

_______

ATENÇÃO: Este site publica notícias que estão sendo disponibilizadas na Internet a respeito do fenômeno OVNI, bem como assuntos alternativos relevantes ao nosso planeta/Universo e à raça humana. Antes de criticar um artigo aqui publicado, entenda nossa missão clicando neste link.

O OVNI Hoje precisa de sua ajuda. Você pode ajudar na manutenção do site. Clique aqui para informações de como fazê-lo, ou use o botão abaixo:


(Obs.: Se preferir utilizar depósito bancário, favor enviar e-mail para n3m3@ovnihoje.com para obter as informações. Obrigado.)

_______

O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS:


PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…

[Devido a problemas técnicos, dispositivos móveis que acessam a versão amp (Accelerated Mobile Pages) do OVNI Hoje não terão acesso ao sistema de comentários Disqus. Neste caso, para acessar os comentários simplesmente acesse o site ovnihoje.com diretamente, e não por intermédio do sistema de procura. Estou trabalhando para tentar resolver esta questão.]

-------
-------

AVISO: Todos são bem-vindos a participar da área de comentários abaixo. Contudo, os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprios autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências ou conflitos por eles causados.

Também informamos que, a fim de não causar distrações e conflitos desnecessários, comentários, avatares e pseudônimos com viés político, seja de qual ideologia for, serão prontamente apagados quando encontrados pelos moderadores. O foco dos comentários deve ser mantido no assunto de cada artigo e somente desviado quando for pertinente ao tema do OVNI Hoje.

Assim, colabore com o bom andamento dos comentários, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando comentários fora do padrão como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado direito de cada comentário.

Obrigado.