Trump assina ordem executiva para a mineração na Lua e asteroides

O gelo da água e outros recursos lunares que ajudarão os Estados Unidos a estabelecer uma presença humana de longo prazo na Lua estão lá para serem utilizados, acredita a Casa Branca.

Trump assina ordem executiva para  a mineração na Lua e recursos de asteroides
Ilustração artística da atividade de mineração na Lua. (Imagem: © James Vaughan)

O presidente Donald Trump assinou uma ordem executiva em 6 de abril passado, estabelecendo a política dos EUA sobre a exploração de recursos fora da Terra. Essa política enfatiza que o atual regime regulatório – notadamente o Tratado do Espaço Exterior de 1967 – permite o uso de tais recursos.

Essa visão sempre dominou os círculos do governo dos EUA. Por exemplo, os Estados Unidos, como os outros principais países que viajam no espaço, não assinaram o Tratado da Lua de 1979, que estipula que o uso não científico de recursos espaciais seja governado por uma estrutura reguladora internacional. E em 2015, o Congresso aprovou uma lei explicitamente permitindo que empresas e cidadãos americanos usassem recursos lunares e de asteroides.

A nova ordem executiva torna as coisas ainda mais oficiais, enfatizando que os Estados Unidos não vêem o espaço como um ‘bem comum global’ e vê um caminho claro para a mineração fora da Terra, sem a necessidade de mais acordos internacionais em nível de tratado.

A ordem executiva, chamada “Encouraging International Support for the Recovery and Use of Space Resources” (Incentivando o Apoio Internacional à Recuperação e Uso dos Recursos Espaciais), está em andamento há cerca de um ano, disse um alto funcionário do governo durante uma teleconferência com repórteres. A ordem foi motivada, pelo menos em parte, pelo desejo de esclarecer a posição dos Estados Unidos ao negociar com parceiros internacionais para ajudar a avançar o programa Artemis da NASA para exploração lunar tripulada, acrescentou o funcionário. (O envolvimento com parceiros internacionais continua sendo importante, disse o funcionário.)

Artemis pretende pousar dois astronautas na Lua em 2024 e estabelecer uma presença humana sustentável em torno do vizinho mais próximo da Terra até 2028. Recursos lunares, especialmente o gelo d’água considerado abundante nos pisos permanentemente sombreados das crateras polares, são fundamentais para as grandes ambições da missão Artemis, disseram funcionários da NASA.

A Lua não é o destino final para essas ambições, a propósito. A missão Artemis foi projetada para ajudar a NASA e seus parceiros a aprenderem como apoiar os astronautas no espaço profundo por longos períodos, lições que serão fundamentais para colocar botas em Marte, o que a NASA quer fazer na década de 2030.

Scott Pace, vice-assistente do presidente e secretário executivo do Conselho Nacional do Espaço dos EUA, disse em comunicado:

Enquanto os Estados Unidos se preparam para devolver os humanos à Lua e viajar para Marte, essa ordem executiva estabelece a política dos EUA para a recuperação e o uso de recursos espaciais, como água e certos minerais, a fim de incentivar o desenvolvimento comercial do espaço.

O presidente Trump mostrou um interesse considerável em moldar a política espacial dos EUA. Em dezembro de 2017, por exemplo, ele assinou a Diretiva de Política Espacial-1, que lançou as bases para a missão Artemis. Duas outras diretivas objetivaram otimizar a regulamentação do espaço comercial e os protocolos para controle de tráfego espacial. E a Diretiva de Política Espacial-4, assinada pelo presidente em fevereiro de 2019, pedia a criação da Força Espacial, o primeiro novo ramo militar dos EUA desde que a Força Aérea foi fundada em 1947.

(Fonte)


Agora, antes de que seja criticada essa iniciativa dos EUA, vocês acham que a China, a Rússia, a Índia, ou qualquer outro país do mundo não fará o mesmo assim que tiverem uma chance?

Lembrem-se também que há vestígios (embora não haja provas concretas) de que alguns corpos celestes em nosso próprio sistema solar poderiam estar sendo explorados por seus minérios por possíveis visitantes de outros mundos.

Se, de qualquer forma, você acha isso “imoral”, lembre-se de que se um corpo celeste não possui vida nativa e pode trazer riquezas para nosso planeta, por que não explorar seus minérios, já que isso possivelmente salvaguardaria o nosso próprio planeta de ser explorado até sua exaustão?

n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Compartilhe este artigo com a galáxia!



PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS:

O OVNI Hoje precisa de sua ajuda. Você pode ajudar na manutenção do site. Clique aqui para informações de como fazê-lo, ou use o botão abaixo:


(Obs.: Se preferir utilizar depósito bancário, favor enviar e-mail para n3m3@ovnihoje.com para obter as informações. Obrigado.)



ÁREA DE COMENTÁRIOS:

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.