Novo método pode descobrir oxigênio em planetas distantes – sinal de vida

Tempo de leitura: 2 min.

Cientistas descobriram uma nova maneira de encontrar oxigênio em planetas distantes, e isto poderia ajudá-los a descobrir vida alienígena.

Novo método pode descobrir oxigênio em planetas distantes - sinal de vida
Imagem conceitual de exoplaneta com atmosferas ricas em oxigênio. Crescentes são outros planetas no sistema, e a esfera vermelha é a estrela anã M em torno da qual os exoplanetas orbitam. Créditos: NASA / GSFC / Friedlander-Griswold

A técnica pode ser usada pelo Telescópio Espacial James Webb da NASA para “cheirar” oxigênio em planetas de sistemas solares distantes.

Isso, por sua vez, poderia ajudar a descobrir planetas vivos que poderiam abrigar vida extraterrestre.

Um dos possíveis indicadores de vida em outros planetas é o oxigênio em sua atmosfera. Na Terra, o oxigênio é criado quando os organismos vivos convertem a luz solar em energia química – e os cientistas pensam que o mesmo pode acontecer em outros planetas.

Agora, os cientistas esperam que a nova técnica possa permitir que eles encontrem o mesmo sinal vindo de outros planetas e, ao fazê-lo, talvez encontrem planetas que possam abrigar vida alienígena.

A descoberta, descrita em um novo artigo publicado na Nature Astronomy, permite que o telescópio da NASA detecte um dos sinais que provém das moléculas de oxigênio quando colidem umas com as outras. Enquanto isso, eles bloqueiam uma parte específica do espectro infravermelho, e o novo telescópio poderá ver isso e dar aos cientistas uma pista a respeito da atmosfera de mundos distantes.

Tecnologia como a do Telescópio Espacial James Webb é a melhor esperança para examinar planetas tão distantes, já que estão muito longe para serem visitados ou mesmo para serem vistos em muitos detalhes, mas exige uma tecnologia avançada incrível por causa da fraqueza dos sinais.

Thomas Fauchez, do Goddard Space Flight Center da NASA e principal autor do estudo, disse em comunicado:

Antes do nosso trabalho, o oxigênio em níveis semelhantes aos da Terra era indetectável com o Webb.

Esse sinal de oxigênio é conhecido desde o início dos anos 80 pelos estudos atmosféricos da Terra, mas nunca foi estudado para pesquisas com exoplanetas.

Detectar oxigênio em um planeta pode não ser uma garantia de que algo mora lá. Os cientistas propuseram explicações alternativas que poderiam criar oxigênio nos exoplanetas e, portanto, pode não ser uma indicação definitiva de que o mundo esteja vivo.

(Fonte)

Colaboração: Lênio


De qualquer maneira, aqui mesmo na Terra já foram encontrados organismos que não necessitam de oxigênio para existirem, vivendo em locais imensamente inóspitos para a maioria da fauna e flora do nosso planeta. Mesmo assim, o Telescópio Espacial James Webb poderá nos trazer muitas surpresas, isto é, se é que vão conseguir lança-lo ao espaço, já que seu cronograma conta com atrasos homéricos – já deveria ter sido lançado em 2018.

n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Compartilhe este artigo com a galáxia!



PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS:

O OVNI Hoje precisa de sua ajuda. Você pode ajudar na manutenção do site. Clique aqui para informações de como fazê-lo, ou use o botão abaixo:


(Obs.: Se preferir utilizar depósito bancário, favor enviar e-mail para n3m3@ovnihoje.com para obter as informações. Obrigado.)



ÁREA DE COMENTÁRIOS:

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.