A vida pode evoluir em pequenos planetas com 3% da massa da Terra

Tempo de leitura: 2 min.

Poderia um planeta minúsculo, com gravidade fraca, abrigar vida?

A vida pode evoluir em pequenos planetas com 3% da massa da Terra
Crédito: dribbble.com

Uma equipe de cientistas da Universidade de Harvard diz ter encontrado a menor massa possível de um planeta antes que sua falta de forças gravitacionais fizesse com que ele perdesse sua atmosfera e qualquer água líquida.

Eles descobriram que o menor planeta possível que poderia manter essas propriedades que possibilitariam a vida seria cerca de 2,7% da massa da Terra. Isso é um pouco mais que o dobro da massa da Lua e aproximadamente metade da massa de Mercúrio.

Diz-se que um exoplaneta está na zona habitável de uma estrela se estiver à distância certa para suportar água líquida. Se estiver muito perto, receberá muita radiação de sua estrela, tornando-o muito quente. Muito longe e estaria muito frio para a água se manter no estado líquido.

O astrônomo Constantin Arnscheidt, principal autor do artigo que descreve a pesquisa, publicado no Astrophysical Journal em agosto, disse à Astrobiology Magazine:

Quando as pessoas pensam nas bordas interna e externa da zona habitável, elas tendem a pensar apenas espacialmente, significando o quão perto o planeta está da estrela. Mas, na verdade, existem muitas outras variáveis ​​de habitabilidade, inclusive a massa [de um planeta].

Se os exoplanetas são grandes o suficiente, os pesquisadores descobriram que há um efeito estufa suficiente para mantê-los na temperatura certa, independentemente de suas posições dentro da zona habitável. Isso ocorre porque a atmosfera desses planetas relativamente pequenos se expandiria para fora, graças à gravidade relativamente baixa, o que por sua vez faria com que ele absorvesse mais radiação de sua estrela e deste modo estabilizaria as temperaturas em sua superfície.

Curiosamente, a pesquisa descartaria minúsculos mundos de gelo na órbita de Júpiter – eles seriam muito pequenos. Essas luas geladas deixaram os cientistas entusiasmados com a possibilidade de vida graças aos enormes oceanos subterrâneos.

Mas a pesquisa sugere que pode haver muitos outros lugares que ainda não descobrimos e que são do tamanho certo.

(Fonte)


Então, agora este estudo indica que seria improvável ter vida nas pequenas luas geladas de Júpiter, como tantos astrônomos têm teorizado. Na verdade, penso eu, todos terão uma grande surpresa no futuro ao descobrirem que a vida pode estar presente até mesmo nos locais que eles pensam ser os mais improváveis.

n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Compartilhe este artigo com a galáxia!



PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS:

O OVNI Hoje precisa de sua ajuda. Você pode ajudar na manutenção do site. Clique aqui para informações de como fazê-lo, ou use o botão abaixo:


(Obs.: Se preferir utilizar depósito bancário, favor enviar e-mail para n3m3@ovnihoje.com para obter as informações. Obrigado.)



ÁREA DE COMENTÁRIOS:

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.