Esta startup quer transformar lixo espacial em hotéis orbitais

Tempo de leitura: 2 min.

A startup canadense de lançamentos espaciais, Maritime Launch Services (MLS), fez parceria com a empresa comercial de serviços espaciais Nanoracks para desenvolver uma maneira de reutilizar peças antigas de foguetes no espaço, informa a CBC.

Esta startup quer transformar lixo espacial em hotéis orbitais
Crédito: futurism.com

A ideia é um dia transformar os estágios superiores dos foguetes – as peças que são preenchidas com combustível para lançá-los em órbita – em instalações orbitais, incluindo hotéis, centros de pesquisa e depósitos de armazenamento.

Jeffrey Manber, CEO da Nanoracks, disse à CBC:

Há muitas coisas que você pode fazer nos estágios superiores e nossa crença principal na Nanoracks é que você não desperdiça algo no espaço – é precioso demais.

Soldadores espaciais

A Nanoracks quer usar os foguetes da MLS para abrigar robôs de soldagem que recondicionarão estágios superiores abandonados em ‘postos avançados’ enquanto eles já estão no espaço, em vez de montá-los de volta na Terra primeiro.

Mas essa visão ainda tem muitos anos. Atualmente, os foguetes que a MLS está usando, que são os 4Ms do Ciclone, não são grandes o suficiente para serem transformados em hotéis espaciais ou outras instalações destinadas ao uso humano, e Manber não tem “certeza de que seria seguro”.

Ponto verde

Outra vantagem dessa abordagem: reutilizar peças antigas de foguetes no espaço significa menos lixo. O lixo espacial é um problema crescente e os estágios superiores que não são enviados para queimarem na atmosfera da Terra contribuem para ele, de acordo com a NASA.

O presidente e CEO da MLS, Stephen Matier, disse à CBC:

De qualquer maneira, temos essas coisas lá em cima, então por que não pegá-las, reutilizá-las e adaptá-las para algo que tenha um segundo benefício […] que faça mais ciência?

(Fonte)


O lixo espacial se tornou agora – talvez um pouco tarde demais – uma preocupação real das empresas espaciais, pois apresentam um grande risco para equipamentos e vida humana.

Quem sabe essa solução seja um começo para a erradicação dessa praga espacial, mas certamente não é suficiente.

n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Compartilhe este artigo com a galáxia!



PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS:

O OVNI Hoje precisa de sua ajuda. Você pode ajudar na manutenção do site. Clique aqui para informações de como fazê-lo, ou use o botão abaixo:


(Obs.: Se preferir utilizar depósito bancário, favor enviar e-mail para n3m3@ovnihoje.com para obter as informações. Obrigado.)



ÁREA DE COMENTÁRIOS:

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.