Oficiais da Marinha dizem que ‘indivíduos desconhecidos’ os fizeram apagar evidências do encontro com OVNIs

Tempo de leitura: 2 min.

Por vários dias em novembro de 2004, um cruzador de mísseis da Marinha navegando a cerca de 160 quilômetros da costa do sul da Califórnia detectou estranhos sinais de radar emanando de um objeto no céu.

encontro com OVNIs

Os sinais eram erráticos e não pareciam coincidir com os emitidos por aeronaves conhecidas. A Marinha então despachou caças para examinar mais de perto o objeto estranho, e um conseguiu gravar um vídeo embaçado em preto e branco que, para desgosto do governo, foi divulgado publicamente em 2017, juntamente com outros dois vídeos de encontro com OVNIs de anos depois.

Cinco veteranos da Marinha recentemente conversaram com a Popular Mechanics sobre o que testemunharam na época. Os veteranos faziam parte do Strike Carrier Group 11 da Marinha dos EUA e estavam navegando no USS Princeton em uma missão de treinamento antes de sua próxima missão no Mar Arábico.

Os estranhos sinais de radar vinham de um objeto que mudava rapidamente de altitude, às vezes espreitando a 80.000 pés (24.000 metros) e outras vezes pairando a 30.000 pés (9.000 metros), disseram à Popular Mechanics. O OVNI (um ‘objeto voador não identificado’, que não pertence necessariamente a alienígenas) ficou conhecido como ‘Tic Tac’ devido ao seu formato. O Tic Tac emitia um brilho fosforescente à noite e disparava em várias direções, disse um dos veteranos, Gary Voorhis, que olhou para o objeto através de binóculos do navio.

Voorhis lembrou que algum tempo depois que os oficiais gravaram esses estranhos sinais de rádio, duas pessoas apareceram em um helicóptero e, 20 minutos depois, a cadeia de comando de Voorhis (uma figura de autoridade superior) disse para ele entregar as gravações de dados. Sua cadeia de comando também lhe disse para excluir as gravações no navio.

Ele disse ele à Popular Mechanics:

Eles até me disseram para apagar tudo o que estava no local – até as fitas em branco.

Da mesma forma, o suboficial Patrick ‘P.J.’ Hughes, que era técnico de aviação, disse que seu comandante e dois homens desconhecidos pediram que ele entregasse os discos rígidos do avião.

No entanto, o comandante. David Fravor, um dos pilotos que teve uma visão mais próxima do OVNI Tic Tac em um avião de combate, contou uma história diferente. Em várias entrevistas anteriores, Fravor disse que as fitas de vídeo do OVNI desapareceram – não por causa de ‘homens de preto’, mas porque as pessoas gravaram sem querer sobre eles.

Fravor disse anteriormente ao The New York Times que ele e o tenente-coronel Jim Slaight avistaram o objeto, que tinha cerca de 12 metros de comprimento. Quando eles desceram com o avião de caça, o objeto subiu para encontrá-los, mas depois se afastou abruptamente e desapareceu, disse ele ao Times.

Os detalhes do que aconteceu em 2004, tanto no céu quanto embaixo, permanecem ambíguos…

(Fonte)

Colaboração: Carlos Salazar


Em qual das versões acreditar?

Penso eu que o Comandante Fravor, por sua função não ter envolvimento direto com as fitas de gravação, deve estar equivocado. Afinal, aqui temos o testemunho de várias pessoas contra o dele.

Seja como for, uma coisa é certa: o encontro com OVNIs realmente e foi registrado, com várias testemunhas dando respaldo a este fato, e isto é algo que todos que testemunharam o evento concordam.

n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Compartilhe este artigo com a galáxia!



PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS:

O OVNI Hoje precisa de sua ajuda. Você pode ajudar na manutenção do site. Clique aqui para informações de como fazê-lo, ou use o botão abaixo:


(Obs.: Se preferir utilizar depósito bancário, favor enviar e-mail para n3m3@ovnihoje.com para obter as informações. Obrigado.)



ÁREA DE COMENTÁRIOS:

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.