Anjos, dirigíveis e alienígenas: a história de 3.500 anos de avistamentos de OVNIs

Tempo de leitura: 8 min.

escreveu o artigo abaixo esta semana para o site da famosa revista Popular Mechanics, falando como os OVNIs têm sido parte da história humana, e não são algo que têm ocorrido só recentemente.

Anjos, dirigíveis e alienígenas: a história de 3.500 anos de avistamentos de OVNIs

Os OVNIs não são novidade. De fato, eles seguem a humanidade ao longo de toda a nossa história.

O governo dos EUA finalmente admitiu que os OVNIs são reais… mais ou menos.

Na semana passada, a Marinha dos EUA confirmou que vários vídeos – dois dos quais foram lançados pelo The New York Times em 2017, representando os chamados ‘Fenômenos Aéreos Não Identificados’ (de sigla em inglês, UAP*) – são autênticos. Os três vídeos (outro foi publicado posteriormente pelo Washington Post), cada um representando objetos em formato oblongo em movimento rápido, foram filmados por pilotos da Marinha durante exercícios de treinamento em 2004 e 2015. A Marinha ainda não identificou os objetos no vídeo e, juntamente com o Departamento de Defesa, disse que os vídeos nunca deveriam ter sido publicados.

*[Em português seria FANI]

Embora um ‘UAP’ possa ser um termo desconhecido, esse é o ponto. Os UAPs são essencialmente o novo OVNI – mas com muito menos bagagem histórica. Um porta-voz da Marinha disse ao Washington Post que o acrônimo ‘OVNI/UFO’ carrega tanto estigma que desencoraja alguém de relatar um avistamento.

“Esse termo está tão carregado neste momento que você nunca mudará a compreensão das pessoas sobre o que significa”, disse a jornalista Leslie Kean, que co-escreveu a investigação do New York Times de 2017 sobre o programa OVNI (ou UAP) do Pentágono, ao Popular Mechanics. “Tudo o que você pode fazer é adotar [termo] um novo.”

Mas os humanos não começaram a ver OVNIs voando acima de nossas cabeças nas últimas semanas … ou em 2015, 2004, 1947 ou até 1639. Os seres humanos viram e encontraram objetos voadores não identificados por milênios.

Começos bíblicos

história de 3.500 anos de avistamentos de OVNIs
Jacob lutando com o Anjo por Gustave Doré, 1885. WIKIMEDIA COMMONS

Objetos voadores não identificados foram registrados ao longo da história da humanidade. A única coisa que mudou foi a maneira como as pessoas – ao longo de milhares de anos – interpretaram esses eventos inexplicáveis.

“O catolicismo, o judaísmo, o budismo, o hinduísmo e todas as principais religiões realmente têm imagens e contos sobre o fenômeno ariel”, disse Diana Walsh Pasulka, autora do livro American Cosmic: UFOs, Religion, Technology, e professora de filosofia e religião da UNC Wilmington, disse ao Popular Mechanics.

Alguns deles eram cometas, asteroides, meteoros e outros fenômenos ópticos atmosféricos que eram cientificamente desconhecidos por nossos ancestrais, mas outros ainda desafiam as explicações modernas.

Pasulka explica em quase todas as religiões, existem “eventos de contato” em que uma figura importante faz contato com uma figura celestial. Moisés e a sarça ardente, Maomé e o anjo Gabriel, e a própria visita angelical da Virgem Maria.

QUANDO A RELIGIÃO É UMA LENTE PARA EXPLICAR O UNIVERSO, FENÔMENOS INEXPLICÁVEIS PODEM SE TONAR RELIGIÃO.

Este é o primeiro contato humano com algo que eles interpretam como não humano ou deste planeta. E, se eles [não são deste planeta], são de fato extraterrestres.

Pasulka diz que o conto da Torá sobre a luta de Jacó com um anjo é um bom exemplo de um encontro com um fenômeno aéreo que se transformou em uma narrativa religiosa. “Quando você volta para a fonte original e a lê em seu idioma original … não se parece com a representação dos artistas na história ocidental”, diz Pasulka, “parece que ele está lutando de algum tipo de ser do espaço sideral.”

Pasulka não está dizendo que uma figura bíblica lutou com um alienígena e se transformou em um texto religioso, mas que a visão de uma figura descendo do céu poderia ter vindo de uma experiência ou observação humana compartilhada. Quando a religião é uma lente para explicar o universo, fenômenos inexplicáveis ​​podem se tornar religião.

A era dos dirigíveis

GETTY IMAGES

Em seu livro de 2010, “Wonders in the Sky: Unexplained Aerial Objects from Antiquity to Modern Times” (‘Maravilhas no Céu: Objetos Aéreos Inexplicáveis da Antiguidade até os Tempos Modernos’ – título em tradução livre), o engenheiro e astrônomo francês Jacques Vallée analisa 500 relatos históricos de avistamentos de fenômenos aéreos.

O primeiro avistamento no livro, que remonta a quase 3.500 anos no Sudão moderno, é de uma estela (laje de granito) de Gebel Barkal que conta a história de como uma estrela cadente “semelhante nunca havia acontecido antes” atingiu os núbios em derrota. Para os vencedores egípcios, foi encarado como um milagre e intervenção espiritual.

história de 3.500 anos de avistamentos de OVNIs
Dirigível misterioso ilustrado na Chamada de São Francisco em 1896. WIKIMEDIA COMMONS

Esses avistamentos misteriosos pontilham a história humana em todo o livro de Vallee, culminando em um fenômeno em Dubuque, Iowa, em 1879. É um ‘dirigível grande e inexplicável’ que ficou visível por uma hora na cidade antes de ‘desaparecer no horizonte’.

Pasulka diz que, no final do século XIX, os humanos começaram a mudar sua interpretação do desconhecido de uma estrutura religiosa para outra tecnológica. Ao longo do século XIX e início do século XX, o que estava acontecendo na Terra estava se infiltrando na maneira como interpretamos o que vimos no céu. Em 1896 e 1897, misteriosas ‘aeronaves’ foram novamente vistas em todos os EUA, com muitas testemunhas até assinando depoimentos.

Até Thomas Edison comentou, dizendo: “Você pode tirar de mim que é uma pura farsa … Não tenho dúvidas de que aeronaves serão construídas com sucesso em um futuro próximo, mas … é absolutamente impossível imaginar que um homem poderia construir uma aeronave de sucesso e manter o assunto em segredo.”

No final do século XIX, dirigíveis cheios de hidrogênio estavam em desenvolvimento e, alguns anos depois, em 1900, o primeiro Zeppelin faria sua primeira viagem. Qualquer que fosse o fenômeno aéreo que as pessoas em 1897 estavam vendo, parecia bastante uma maravilha tecnológica moderna do dia, e foi assim que se tornou.

A aurora do OVNI

BETTMANN GETTY IMAGES

Em novembro de 1944, no final da Segunda Guerra Mundial, os pilotos de caça americanos começaram a observar luzes alaranjadas e brilhantes. Algumas semanas depois, um piloto viu um objeto vermelho, sem asas, em forma de charuto. Os pilotos nomearam esses ‘foo fighters‘ após uma frase sem sentido usada em um desenho animado popular sobre bombeiros (e, sim, a banda recebeu o nome desse incidente). A mídia conheceu a história e as teorias não estavam muito para trás.

Poderiam esses objetos ser ilusões de ótica? Ou uma alucinação do cansaço da batalha? Ou esses fenômenos aéreos poderiam ser armas nazistas super-secretas? A última teoria foi o que chamou a atenção do público. Afinal, os pilotos estavam voando no território do Eixo e muitos rumores cercaram o gosto do alemão por projetos científicos estranhos, como uma base lunar nazista, por exemplo. No final, nunca foi estabelecido exatamente o que esses foo fighters eram (e um painel de 1953 acabaria concluindo que era provavelmente um fenômeno eletrostático ou eletromagnético).

história de 3.500 anos de avistamentos de OVNIs
Kenneth Arnold, no meio, e dois outros pilotos examinam uma foto de OVNI. BETTMANN GETTY IMAGES

Mas 24 de junho de 1947 mudaria tudo.

Enquanto procurava um avião de transporte C-46 do Corpo de Fuzileiros Navais, o experiente piloto Kenneth Arnold desviou-se de sua trajetória original para ajudar a procurar a encosta sudoeste do Monte Rainier. Durante a busca, Arnold observou nove objetos de aparência peculiar e possivelmente ‘completamente redondos’ voando em uma formação que o lembrava de gansos. Mais tarde, foi estimado que eles estavam voando além de 1.600 quilômetros por hora. Quando ele os relatou (e presumindo que eles eram um novo tipo de jato ou aeronave militar experimental), o Corpo Aéreo do Exército descartou o evento como uma miragem ou alucinação.

Em poucos dias, outros apoiaram Arnold dizendo que viram um fenômeno aéreo semelhante. Arnold, perturbado com o fato dos militares terem descartado seu relato, fez entrevistas com a imprensa local. Quando descreveu ao repórter Bill Bequette, do jornal leste do Oregon, o que viu ‘parecido com um disco’, Bequette os chamou de ‘discos voadores’, na primeira vez em que o termo foi usado.

Alguns anos depois, o termo ‘U.F.O’* foi cunhado pela Força Aérea. Proeminentemente usado no relatório do Painel Robertson de 1953, o mesmo painel que dispensou os ‘foo fighters‘, a sigla mostrou-se proposital por sua falta de clareza.

*[Unidentified Flying Objects, em português: Objetos Voadores Não Identificados = OVNIs]

ERA INIMAGINÁVEL QUE OS RUSSOS TIVESSEM ALGO ASSIM.

“Era para significar algo não identificado. Ponto final”, diz Kean. “E é um termo bastante razoável de usar. Ele pode significar qualquer coisa.”

A primeira suposição dos militares e do público dos EUA daquilo que Arnold e outros viram foi que eram os soviéticos. A Guerra Fria estava se aquecendo rapidamente em 1953 e testes de bombas atômicas, exercícios militares secretos e acúmulo de armas eram todas possibilidades.

“Havia toda uma questão sobre se eles eram russos, mas eles descartaram isso bem cedo por causa da extrema sofisticação da tecnologia”, diz Kean, que junto com os relatórios para o New York Times é o autora do livro UFOs: Generals, Pilots, And Government Officials Go On The Record. “Era inimaginável que os russos pudessem ter algo assim.”

Uma ameaça extraterrestres?

As luzes de Lubbock eram um fenômeno aéreo acima de Lubbock, Texas. Um episódio da mania OVNI que dominou os EUA no início dos anos 50. BETTMANN GETTY IMAGES

Em resposta a esses avistamentos do final da década de 1940, a Força Aérea montou um projeto secreto com o codinome “Sign” para investigar esses incidentes. Mas quanto mais a Força Aérea pesquisava, mais perplexos ficavam. “Existem tantos documentos que mostram nos níveis mais altos [que as forças armadas dos EUA] não sabiam o que eram”, diz Kean.

Segundo o livro dela, havia uma divisão entre aqueles que pensavam que havia uma resposta mais convencional – como uma miragem, fenômenos naturais, imprecisão ou tecnologia militar secreta – para aqueles que acreditavam que esses fenômenos aéreos não eram deste planeta.

Uma série de avistamentos em julho de 1952, incluindo Washington DC, levou à admissão mais ampla de que o governo e as forças armadas dos EUA fariam com que houvesse algum tipo de fenômeno aéreo pairando no espaço aéreo dos EUA. Com o projeto agora chamado de Blue Book (Livro Azul), o FBI foi informado pelo escritório do major-general John Samford, diretor de inteligência da Força Aérea.

Alguns funcionários militares consideram séria a possibilidade de naves planetáras.

Como o livro de Kean descreve, um departamento das forças armadas dos EUA disse ao Federal Bureau of Investigation – FBI que “não era inteiramente impossível que os objetos avistados pudessem ser naves de outro planeta como Marte”. Outros memorandos do FBI afirmaram que “algumas autoridades militares estão considerando seriamente a possibilidade de naves planetárias.”

A verdadeira preocupação – não importa se eram russos ou extraterrestres – era se se tratava de uma ameaça à segurança nacional. Em 29 de julho de 1952, o major-general Samford realizou uma conferência de imprensa, na qual afirmou que examinaram quase dois mil relatórios e foram capazes de responder adequadamente pela maioria deles. Mas eles ainda estavam analisando as poucas “coisas relativamente incríveis” que eles não podiam explicar.

No entanto, eles conseguiram chegar a uma conclusão sobre esses avistamentos e foi a de que isto “não contém nenhum padrão de propósito ou consistência que possamos relacionar a qualquer ameaça concebível para os Estados Unidos”.

“Acho que eles nunca acreditaram que não era uma ameaça à segurança nacional. Eles simplesmente não sabiam o que mais fazer naquele momento”, diz Kean. “O que eles vão dizer às pessoas? Eles simplesmente não vão dizer: ‘Bem, há coisas voando em nosso céu que demonstram a tecnologia que não podemos explicar’. Isso não é algo que você deseja anunciar ao público.”

O mistério continua

história de 3.500 anos de avistamentos de OVNIs
JOSHUA ROBERTSGETTY IMAGES

Quando o Painel Robertson apresentou seu relatório no início de 1953, ele apresentou as duas conclusões sobre como lidar melhor com esses avistamentos relacionados ao público: treiná-los para identificar adequadamente o fenômeno natural (meteoros, miragens, nuvens noctilucentes) e objetos feitos pelo homem (balões meteorológicos, aeronaves refletivas) e desmistificação.

E foi exatamente isso que as autoridades federais fizeram por mais de seis décadas. Em todos os avistamentos, incidentes, relatórios, ocorrências inexplicáveis ​​- de Roswell à Área 51 e avistamentos do Aeroporto O’Hare em 2006 – o governo e as forças armadas dos EUA desmascararam ou, com a mesma frequência, permaneceram em silêncio, mas eventos recentes sugerem uma nova estratégia em andamento.

O que tornou o artigo do New York Times de 16 de dezembro de 2017 tão chocante não foi o fato de ter registrado várias fontes muito credíveis dizendo que o governo havia investigado OVNIs recentemente. Provavelmente, isso poderia ser presumido com base na história das Forças Armadas dos anos 40 e 50. Foi o que eles potencialmente descobriram e encontraram desde então.

Naquele momento, Elizondo disse que o programa havia investigado vários UAPs, inclusive aqueles que a Marinha dos EUA confirmou como autênticos. O programa também estudou os efeitos físicos de encontros com os objetos, a tecnologia que poderia, em teoria, fazer o que eles disseram que observaram e a possível ameaça que isso representava para a segurança nacional.

Mas o detalhe mais impressionante é um que está um pouco enterrado: o programa recuperou materiais desses UAPs/OVNIs.

Kean diz que acredita que muita coisa acontece nos bastidores. Ela acha que está sendo feita uma pesquisa sobre esses materiais recuperados para entender o que são. Aludindo ao fato de que os EUA podem não ser o único país de posse desses materiais – que existe uma corrida global secreta associada a eles.

“Pelo que me disseram, é uma coisa competitiva. Quem entender a tecnologia primeiro terá uma vantagem real”, diz Kean. “Meu sentimento é que há uma corrente oculta atual de concorrência entre a Rússia, a China e os EUA.”

Fontes também disseram a ela que a física de como esses objetos se movem já foi, teoricamente, resolvida.

“O que eles descobriram é muito futurista. Seria uma coisa muito difícil de replicar, mas eles podem entender como isso é feito.” Cientistas e especialistas médicos também estão tentando entender os efeitos biológicos daqueles seres humanos que se aproximaram desses fenômenos.

Kean acha que o governo está mudando a maneira como lida com esses relatos de fenômenos aéreos. Nesta era do YouTube e das câmeras de celular, está se tornando mais comum ver esses tipos de vídeos. Afinal, mais de dois terços dos americanos acreditam que o governo dos EUA sabe mais sobre OVNIs do que está dizendo ao público.

Kean está convencida de que existem fenômenos aéreos inexplicáveis, mas não convencida de que seja extraterrestre. “É uma hipótese válida, mas acho que nem por um momento sabemos o que é [ainda].”

Outras hipóteses e especulações por aí incluem interdimensões, viajantes no tempo ou armas ou aeronaves super-secretas desenvolvidas por outra nação neste planeta. Mesmo após décadas de pesquisa, ainda é algo desconhecido. O que antes era um mistério nos tempos antigos, permanece um mistério hoje.

No final, Kean só pode ter certeza de uma coisa: “Você está preso com algo que não pode explicar”.

(Fonte)


Uma coisa é certa, se esses objetos fossem tecnologia humana, eles estariam participando ativamente nos campos de batalha do mundo, pois essa é a natureza humana. Mas esse não é o caso.

Já passou da hora deste mistério ser decifrado.

n3m3

Você pode ajudar na manutenção do OVNI Hoje. Clique aqui para saber mais.

ATENÇÃO: Este site publica notícias que estão sendo disponibilizadas na Internet a respeito do fenômeno OVNI, bem como assuntos alternativos relevantes ao nosso planeta/Universo e à raça humana. Antes de criticar um artigo aqui publicado, entenda nossa missão clicando neste link.



PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…

-------

BOMBANDO NO planetaabsurdo.com.br:

PORCOS VIVOS SÃO USADOS EM TESTES DE COLISÃO DE AUTOMÓVEIS

-------

AVISO: Todos são bem-vindos a participar da área de comentários abaixo. Contudo, os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprios autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências ou conflitos por eles causados.

Também informamos que, a fim de não causar distrações e conflitos desnecessários, comentários, avatares e pseudônimos com viés político, seja de qual ideologia for, serão prontamente apagados quando encontrados pelos moderadores. O foco dos comentários deve ser mantido no assunto de cada artigo e somente desviado quando for pertinente ao tema do OVNI Hoje.

Assim, colabore com o bom andamento dos comentários, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando comentários fora do padrão como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado direito de cada comentário.

Obrigado.