Meteorito estranho descoberto na Sibéria contém um cristal “não natural”

Tempo de leitura: 2 minutos


Apesar do nível de compreensão e conhecimento que o mundo tem sobre tantas coisas, todos nós ainda ficamos entusiasmados com novas descobertas e essa não é uma exceção.

Meteorito estranho descoberto na Sibéria contém um cristal "não natural"

Um meteorito estranho e raro, encontrado na Sibéria, contém um cristal, ou pelo menos o que parece ser um cristal. O mineral em si também é bastante raro e é um mistério.

Embora cristal seja o termo usado para descrevê-lo, ninguém sabe ao certo o que realmente é, mas aqui está o que eles sabem até agora:

A descoberta

Há alguns anos, cientistas descobriram um pequeno pedaço de mineral que foi criado logo após o sistema solar, cerca de quatro bilhões e meio de anos atrás. O mineral foi trazido para a Terra pelo meteorito Khatyrka, que aterrissou no leste da Sibéria.

Obviamente, um mineral de 4 bilhões de anos seria incrivelmente interessante para quase todos, mas não tanto neste caso. Ainda era bastante intrigante, mas não por sua idade, como muitos esperariam, mas por sua estrutura atômica.

Os painéis 1, 2 e 3 mostram as diferentes associações de minerais nas três juntas metálicas. Crédito: Scientific Reports (2016). DOI: 10.1038 / srep38117

A estrutura que esse mineral possui nunca foi encontrada na natureza, embora tenha sido criada em ambientes de laboratório. Ela foi referida como um quase-cristal, porque do exterior se assemelha a um cristal, mas por dentro é algo totalmente diferente.

Cristal ou não cristal?

Muitas pessoas provavelmente estão se perguntando – o que constitui um cristal? Um mineral precisa ter propriedades definidas, especificamente com a estrutura atômica, para ser considerado um cristal. Ou seja, ele precisa de redes. Os átomos de um cristal são arranjados em estruturas de treliça, são muito previsíveis e continuarão se repetindo. No entanto, embora esse novo mineral possa parecer um cristal por fora, não é um cristal por dentro. O quasicristal tinha treliças, no entanto, eram ordenadas e não consistentes e idênticas. Portanto, não pode ser um cristal, ou pode?

Os átomos estavam dispostos em uma variedade de configurações diferentes, as quais, com base no entendimento humano da ciência e da composição química, simplesmente não eram possíveis na natureza. No entanto, aqui está.

Apesar de quase-cristais serem criados em laboratórios desde os anos 1960, muitos cientistas ainda duvidam do fato de que eles possam existir na natureza. É com isso em mente que as equipes que estudam o cristal concluíram que ele foi formado fora do planeta e viajou para cá. Mesmo assim, se foi formado sob condições astrofísicas há mais de 4 bilhões de anos, ainda é uma prova de que essa fase da matéria pode permanecer estável por enormes períodos de tempo, talvez até indefinidamente.

A descoberta desses quasicristais realmente coloca em perspectiva o quanto achamos que conhecemos como uma espécie inteligente, mas também nos lembra que não sabemos tanto quanto pensamos.

O universo é um lugar enorme, com diversidade em cada esquina e ainda há muito mais para descobrir. Pesquisando esses quasicristais seria um bom lugar para começar, mas ainda há muito mais a descobrir

(Fonte)


Este meteorito estranho é somente mais um mistério do Universo. Há muitos mais lá fora, talvez em números além da compreensão humana.

n3m3

Você pode ajudar na manutenção do OVNI Hoje. Clique aqui para saber mais.

ATENÇÃO: Este site publica notícias que estão sendo disponibilizadas na Internet a respeito do fenômeno OVNI, bem como assuntos alternativos relevantes ao nosso planeta/Universo e à raça humana. Antes de criticar um artigo aqui publicado, entenda nossa missão clicando neste link.



Participe dos comentários mais abaixo…