Astronauta da Apolo 11, Michael Collins, confirma crença em extraterrestres

Tempo de leitura: 2 min.


Veterano do primeiro pouso lunar tem certeza de que a verdade está lá fora.

Michael Collins entre Neil Armstrong (à esquerda) e Buzz Aldrin (à direita), antes de partirem para sua missão lunar. Crédito: NASA

Na época, Michael Collins foi o astronauta mais solitário de todos os tempos quando, em 1969, ele orbitou a Lua quando Neil Armstrong e Buzz Aldrin deram os primeiros passos no satélite desolado.

Sozinho no Módulo de Comando Apolo 11, ele teve tempo de sobra para pensar sobre a vida no espaço sideral. E o astronauta veterano decidiu firmemente a favor dos extraterrestres.

Em um bate-papo online nesta semana, marcando o 50º aniversário da primeira missão da Lua, os usuários do Twitter perguntaram a Michael sobre a comida que os astronautas comiam, a música que eles ouviam e o lado técnico de pilotar o módulo lunar.

Mas um curioso questionador perguntou:

Você acredita em vida fora da Terra?

E Michael simplesmente respondeu:

Sim.

Os entusiastas do OVNI enlouqueceram com uma conversa aparentemente inócua entre a tripulação da Apolo 11 e o Controle da Missão em 1969. No terceiro dia da missão, o comandante da Apolo 11, Neil Armstrong, viu um objeto se movendo em um percurso aproximadamente paralelo enquanto eles se aproximavam da Lua.

O melhor palpite da equipe foi o de que o objeto misterioso era o terceiro estágio dos enormes foguetes Saturno-V que os lançaram no espaço.

Armstrong enviou uma mensagem de rádio para o Mission Control em Houston e perguntou:

Você tem alguma ideia de onde o S-IVB está em relação a nós?.

Alguns minutos depois, os controladores da missão responderam:

O S-IVB está a cerca de 6.000 milhas náuticas de você agora. Câmbio.

Armstrong disse 12 segundos depois:

Tudo bem. Obrigado.

Mas isso não satisfez os teóricos da conspiração, que estavam convencidos de que aquilo que os três pioneiros haviam visto não era nada menos que uma espaçonave alienígena que os acompanhava enquanto faziam sua jornada inovadora.

Aldrin divulgou mais tarde uma declaração negando que a tripulação da Apolo 11 tivesse visto um OVNI, mas essa simples observação de seu colega de equipe, Collins, certamente excitará novamente os que procuram pela verdade sobre alienígenas.

(Fonte)


Bem, é óbvio que se o estágio do foguete estava a 6.000 milhas de distância dos astronautas (o que equivale a 10.000 quilômetros), o que eles estavam vendo era um OVNI, ou seja, Objeto Voador Não Identificado, mas não necessariamente uma nave extraterrestre.

Porém, considerando que naquela época havia pouco tráfego no espaço, e que a União Soviética, a única outra potência terrestre capaz de enviar coisas para o espaço, estava sendo monitorado de perto pelos Estados Unidos, fica sim a dúvida se esse OVNI que acompanhou a nave estadunidense não era mesmo de visitantes de fora da Terra (ou de dentro dela, como alegam alguns pesquisadores).

Também, é óbvio que uma pessoa estudada com Michael Collins acredita que há vida lá fora no Universo. É uma simples questão de probabilidade.

A verdade está na nossa cara, mas muitos ainda se recusam a aceitá-la.

n3m3

P.S.: Por que o OVNI Hoje publicou este artigo? Clique aqui para saber.

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Compartilhe este artigo com a galáxia!



PARTICIPE DOS COMENTÁRIOS MAIS ABAIXO…


O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS:

O OVNI Hoje precisa de sua ajuda. Você pode ajudar na manutenção do site. Clique aqui para informações de como fazê-lo, ou use o botão abaixo:


(Obs.: Se preferir utilizar depósito bancário, favor enviar e-mail para n3m3@ovnihoje.com para obter as informações. Obrigado.)



ÁREA DE COMENTÁRIOS:

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.