Agência espacial da Índia cancela missão à Lua apenas uma hora antes do lançamento

Tempo de leitura: 2 minutos


Autoridades dizem que ‘problema técnico’ foi observado em sistema de lançamento com contagem regressiva já em andamento

Agência espacial da Índia cancela missão à Lua apenas uma hora antes do lançamento
Cientistas em Bangalore trabalham no veículo orbital da primeira missão lunar da Índia (EPA)

A Índia abortou sua missão planejada para a Lua com menos de uma hora antes de decolar, com autoridades citando “um problema técnico de última hora”.

A espaçonave Chandrayaan-2 devia ter sido lançada às 2h01 da segunda-feira, mas a contagem regressiva na sala de controle da Organização de Pesquisas Espaciais da Índia (de sigla em inglês, ISRO) parou abruptamente.

A ISRO disse em um tweet que um problema foi observado no lançador de foguetes de 14 andares e 640 toneladas da espaçonave, e que “como medida de precaução abundante, o lançamento do Chandrayaan-2 foi cancelado…”.

Um porta-voz disse que a agência anunciaria uma data de lançamento revisada em breve.

Se for bem sucedida, a missão teria feito da Índia apenas o quarto país a alcançar um pouso suave, ou controlado, na Lua, depois dos EUA, Rússia e China.

A Chandrayaan-2 é a segunda missão de exploração lunar da Índia, depois que Chandrayaan-1 orbitou a Lua em 2018 e ajudou a confirmar a existência de uma bacia contendo água gelada.

Assim como o sistema de lançamento, a espaçonave carrega duas cargas principais – uma nave orbital com uma vida útil de até um ano, e uma sonda projetada para pousar perto do pólo sul lunar e explorar a superfície da água e fazer outras leituras.

A missão de 110 milhões de libras já foi atingida por atrasos, significando que a Índia perdeu o marco de se tornar o primeiro país a fazer um pouso suave no outro lado da Lua. A missão Chang’e 4, da China, conseguiu colocar um módulo de pouso e um jipe-sonda em janeiro passado, enquanto uma missão semelhante da nave israelense Beresheet fracassou e caiu na Lua em abril.

Desde a sua criação em 1962, o programa espacial da Índia tem sido criticado como um gasto desnecessário para um país em desenvolvimento com uma vasta população e alto índice de pobreza. Mas décadas de pesquisa espacial permitiram que a Índia desenvolvesse tecnologias de satélite, comunicações e sensoriamento remoto que estão ajudando a resolver problemas cotidianos em casa, desde a previsão da migração de peixes até a previsão de tempestades e inundações.

O programa espacial também é visto como uma fonte de orgulho nacionalista, e que o primeiro-ministro Narendra Modi repetidamente tem atraído para grandes anúncios públicos.

O Sr. Modi estabeleceu um prazo de até 2022 para o primeiro voo espacial tripulado da Índia.

Com o 50º aniversário da missão Apolo 11 este mês, as maiores agências espaciais do mundo estão voltando seus olhares para a Lua, vistos como locais de testes ideais para tecnologias necessárias para exploração do espaço profundo e, com a descoberta da água, como possível pit stop ao longo do caminho.

“A Lua é uma espécie de nosso quintal para treinamento para ir a Marte”, disse Adam Steltzner, engenheiro-chefe da Nasa responsável por sua missão em 2020 para Marte.

Os EUA estão trabalhando para enviar uma espaçonave tripulada ao pólo sul da Lua até 2024.

(Fonte)

Colaboração: MaryH

Este site publica notícias que estão sendo disponibilizadas na Internet a respeito do fenômeno OVNI, bem como assuntos alternativos relevantes ao nosso planeta/Universo e à raça humana. Antes de criticar um artigo aqui publicado, entenda nossa missão clicando neste link.


Morte de 14 marinheiros russos em submarino com missão secreta, falhas em satélites europeus, problemas no lançamento da missão lunar da Índia, tudo sem explicação detalhada.

Pode não ser nada, mas estou com a pulga atrás da orelha aqui.