web analytics

“Fui informado que há quatro espécies violentas no universo, os seres humanos é uma delas” – diz ancião nativo

Tempo de leitura: 4 minutos


Seriam os humanos uma das quatro espécies violentas no Universo? Uma nativa norte americana conta sua história, como relatado neste artigo de Arjun Walia .

“Fui informado que há quatro espécies violentas no universo, os seres humanos é uma delas” - diz ancião nativo 1

Venho estudando o tema dos OVNIs e extraterrestres há muito tempo, e uma das coisas que mais me fascina é quando me deparo com histórias corroborativas que não têm absolutamente nenhuma conexão umas com as outras. Encontrei corroborações mais interessantes em minha pesquisa lendo outro livro que explora o assunto, escrito pelo Dr. Ardy Sixkiller Clarke, professor emérito da Montana State University. O Dr. Clarke é Cherokee/Choctaw e tem pesquisado o Povo das Estrelas por muitos anos, coletando encontros entre eles e índios nativos.

Recentemente publiquei dois artigos detalhando histórias indígenas de encontros com o “Povo das Estrelas”. Um deles foi sobre um ancião indígena que compartilhou uma história sobre o “Povo da Estrela” que caiu em sua reserva, que você pode ler aqui (em inglês). O segundo artigo, publicado há poucos dias, era sobre um ancião que mostrou ao Dr. Clarke um coração alienígena petrificado, que ele alegou pertencer ao Povo das Estrelas. Eu escrevi um terceiro artigo intitulado “Eles vivem no subsolo, indígenas anciões compartilham histórias sobre ‘poso das estrelas’ vivendo dentro da terra ‘” usando o mesmo livro, e você pode ler isso aqui (em inglês).

O livro chama-se Encounters With Star People, Untold Stories of American Indians (Encontros Com o Povo das Estrelas, Histórias Não Contadas dos Índios Americanos), que é de onde vem esta informação.

Enquanto escrevia o terceiro artigo desta série, uma corroboração interessante foi que um Ancião estava contando ao Dr. Clarke uma história sobre um grupo antigo de extraterrestres de aparência humana que vivia no subterrâneo perto de Montet Hayes, Alasca (ou naquela área geral). Isso instantaneamente me lembrou do programa do governo dos EUA em conjunto com a CIA e o Stanford Research Institute chamado STARGATE. Uma de suas funções era estudar a visualização remota, que é a capacidade de perceber e descrever um local distante, independentemente da distância. É uma habilidade que permite que o ‘visualizador’ possa descrever uma localização geográfica remota a várias centenas de milhares de quilômetros de distância (ou, em alguns casos, até mais) de sua localização física – um local no qual nunca estiveram.

Depois que o programa foi desclassificado e eles começaram a dar entrevistas, descobriu-se que um tema comum entre os telespectadores do exército era experiências extraterrestres. Vários espectadores como Pat Price Lyn Buchanan deram a localização de múltiplas bases ET localizadas na Terra, que também eram subterrâneas. Uma deles estava embaixo do Monte Hayes. Isso obviamente me fascinou.

Ao longo de seu livro, a Dra. Clarke entrevista muitos povos indígenas que compartilham experiências semelhantes com milhares de outros contatados e abduzidos. Estas são pessoas que não tiveram contato entre si, mas compartilharam histórias que são muito similares com relação ao contato extraterrestre e detalhes específicos como a aparência desses seres e porque eles estão aqui, etc. De acordo com o historiador e professor aposentado da Temple University, Dr. David M. Jacobs, “a consistência é espantosa”.

Como expressei em meus artigos anteriores sobre o Dr. Clarke, ele está pesquisando sobre o Povo das Estrelas e colecionando encontros entre eles e índios por muitos anos, mas eu gostaria de destacar um artigo específico neste artigo. Nesta história, o Dr. Clarke relata visitar uma pessoa idosa de nome “Talie” em uma reserva, que lhe disse que:

“Eu tenho visto os seres das estrelas toda a minha vida. A primeira vez eu tinha uns 8 anos de idade. Eu estava colhendo amoras no rio. Observei a nave descer e aterrissar do outro lado do rio. Atravessei o rio, pisando com cuidado nas rochas para não molhar os pés. Eu estava curioso; nunca tinha visto nada assim.

Quando cheguei em 20 pés (3 metros), uma porta se abriu e eu entrei. Eu lembro que os seres das estrelas me fizeram sentir bem-vinda. Havia duas mulheres. Uma escovou meu cabelo e me disse que era lindo. Às vezes eu levava flores a elas e às vezes pedras. Minha avó me disse que as rochas tinham almas e tentei explicar isso para elas. Eu não acho que elas entenderam. Mas me ensinaram como curar com minhas mãos. Os médicos da estrela me ensinaram como curar doenças com minhas mãos. Eles ensinaram a minha avó a curar também. As pessoas costumavam vir de todas as partes para as curas.

Ela fala sobre como quando sua avó faleceu, os seres das estrelas estavam muito tristes, e que ela foi encarregada de continuar seu trabalho e aprender sobre ervas e curar as pessoas naturalmente e metafisicamente. Quando perguntado pelo Dr. Clarke para descrevê-los, ela disse:

Eles são claros, altos e magros. Eles são muito mais espertos do que nós, mas estão interessados ​​em nossos modos. Eles viajam as estrelas aprendendo com os outros em todo o sistema estelar. Eles coletam informações sobre o processo de envelhecimento das pessoas da Terra. Eles estão tentando aprender porque morremos tão jovens. As pessoas da estrela vivem muito mais tempo do que vivemos. Uma idade normal para eles é de 1.000 anos terrestres. Eles não têm doenças como nós. Álcool e tabaco não são utilizados por sua civilização. Indivíduos escolheram seus empregos cedo na vida e permanecem nesse emprego para sempre. Eles se tornam especialistas em seu campo, o que resulta em muitas descobertas que melhoram suas vidas. Os doutores das estrelas visitam a Terra o tempo todo. Eles observam principalmente, mas há ‘ajudantes’ em todo o mundo que servem como contatos. Minha avó e eu fomos suas ajudantes. As pessoas das estrelas chamam a si mesmas de ‘observadores’. Eles trouxeram vida a este planeta e estudam como isso mudou.

 Esta é outra peça que corrobora com muitas das histórias que ouvi pessoas explicando que afirmam ter tido experiências de contato. Parece que alguns desses seres são simplesmente observadores curiosos do planeta Terra, coletando dados, quase como se alguns deles estivessem em missões científicas para trazer informações sobre outros planetas e civilizações de volta ao seu próprio planeta.

Quando o Dr. Clarke perguntou a Talie se ela podia lembrar de qualquer outra coisa que ela aprendeu com eles, ela respondeu:

Sim. Eles não eram violentos. Disseram-me que havia quatro espécies violentas no (nosso) universo. Os humanos é uma delas.

Dr. Clarke termina este capítulo do livro, explicando:

Nos cinco anos seguintes, muitas vezes parei para ver Talie quando visitei a reserva. Ela permaneceu forte e alerta até sua morte aos 95 anos. No dia de seu funeral, várias pessoas viram um OVNI aparecer no céu e pairar ali. Eu fui uma dessas pessoas.

O que se deduz disso

Agora temos milhares de documentos, rastreamentos de radar, fotos e vídeos de objetos voadores não identificados, junto com centenas de indivíduos de “alto escalão” de universidades, militares, governo, etc., enfatizando que não estamos sozinhos. Esta é a maior história da história da humanidade, com enormes implicações, e realmente levanta tantas outras questões. É por isso que é sempre interessante explorar o conhecimento que existe nesse campo e ler sobre as supostas histórias de contato. Talvez um dia seremos os extraterrestres explorando outro planeta.

No que diz respeito aos comentários feitos sobre seres humanos como uma das espécies mais violentas do universo, ainda há muito bem aqui. Somos seres empáticos, com tanto potencial para o bem. Estamos de fato mudando, mas se você fosse um ET olhando para o que acontece em nosso planeta, você provavelmente teria medo de vir e visitar.

Também é importante ter em mente que há muitas histórias de muitas espécies diferentes, e este é um assunto muito importante.

(Fonte)

Este site publica notícias que estão sendo disponibilizadas na Internet a respeito do fenômeno OVNI, bem como assuntos alternativos relevantes ao nosso planeta e Universo. Antes de criticar um artigo aqui publicado, entenda nossa missão clicando neste link.


É óbvio que os humanos devem ser uma das espécies violentas no universo, quando querem ser violentos. Se a anciã estava contando a verdade, fica aqui a grande dúvida: Quais seriam as outras três raças? Elas já teriam capacidade de viajar pelas estrelas?

Enquanto não temos comprovação, tudo isso fica como uma simples estória para ser relembrada ao longo do caminho da coleta de informações sobre este fenômeno que é, como diz o autor acima, “a maior história da história da humanidade“.

n3m3

Você pode ajudar na manutenção do OVNI Hoje. Clique aqui para saber mais.

O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS: