web analytics

EXCLUSIVO: OVNI Hoje entrevista operador de radar que detectou os OVNIs do Encontro Nimitz

Tempo de leitura: 7 minutos


O OVNI Hoje trás até você mais uma reportagem exclusiva, desta com uma entrevista eletrizante com o operador de radar da Marinha dos EUA, que foi o primeiro indivíduo a perceber a manifestação de OVNIs sobre o Pacífico, em novembro de 2004.

OVNIs do Encontro Nimitz
Kevin Day, ex-militar E-8/Chefe Sênior, Especialista em Operações da Marinha dos Estados Unidos. (Foto: Captura de vídeo – documentário The Nimitz Encounter)

Kevin M. Day é um militar veterano que serviu a Marinha dos Estados Unidos por vinte e dois anos. Servindo toda a sua carreira em San Diego e no Havaí, ele completou 7 desenvolvimentos do Pacífico e visitou muitos dos países que tocam o mar entre a Costa Oeste dos Estados Unidos e o Oriente Médio. Aposentado do serviço ativo em novembro de 2007, ele agora é engenheiro de sistemas de uma Empreiteira do Departamento de Defesa do Estados Unidos.

Mas o que torna a carreira militar de Kevin ainda mais interessante? Acontece que Kevin foi uma das testemunhas de um dos eventos de contato imediato com OVNIs mais bem documentados pela Marinha dos EUA (pelo que sabemos), que ocorreu em novembro de 2004 na costa da Califórnia, nos EUA. Trata-se do famoso evento do OVNI Tic-Tac – chamado assim por se parecer com a mundialmente famosa balinha Tic-Tac.

Para quem ainda não tem conhecimento desse extraordinário evento, ontem foi publicado aqui no OH um importante documentário legendado onde vários militares, inclusive Kevin, fala a respeito desse impressionante encontro com OVNIs.

Novamente, através do parceiro colaborador do OVNI Hoje, Marcelino, conseguimos contato com Kevin Day, o qual concordou em dar uma entrevista para nós.

Abaixo está a tradução para o português da envolvente entrevista, com algumas revelações de Kevin Day que não foram apresentadas no vídeo documentário The Nimitz Encounter:

EXCLUSIVO: OVNI Hoje entrevista operador de radar que detectou os OVNIs do Encontro Nimitz 1
Porta-aviões nuclear USS Nimitz (CVN 68) acompanhado pelo USS Princeton (CG 59). Crédito: Marinha dos EUA/marinheiro de 3a Classe Shannon E. Renfroe.

OVNI Hoje: Kevin Day, em primeiro lugar, muito obrigado por doar um pouco de seu tempo e estar conosco para esta entrevista.

Kevin, por favor, fale um pouco sobre sua posição e trabalho na Marinha, no momento em que o misterioso evento aconteceu. Você estava em um dos navios ou em terra? Você foi chamado quando isso aconteceu, ou você já estava no seu posto? Se sim, você foi a primeira pessoa a detectar os objetos estranhos?

Kevin Day: Minha patente na Marinha dos Estados Unidos era E-8/Chefe Sênior. Minha classificação de trabalho foi Especialista em Operações. Eu fui atribuído ao USS PRINCETON CG-59. Meus cargos a bordo do navio incluíam o de Oficial Assistente de Guerra Aérea e Suboficial Chefe Líder do Departamento de Operações. Meus deveres e tarefas de observação incluíam Coordenador da FORÇA de Guerra Anti-Aérea e Supervisor de Controle de Interceptação Aérea.

Eu estava na vigília de rotina no Centro de Informações de Combate quando detectei as formações de UAPs* no radar.

Sim, acredito que fui a primeira pessoa a detectá-los.

[*UAPs e a sigla em inglês para Unidentified Aereal Phenomena, ou, em português FANIs – Fenômenos Aéreos Não Identificados, conhecidos popularmente como OVNIs ou UFOs]

OH: Como foi realizada a detecção dos objetos anômalos: olho nu, binóculos ou radar?

KD: De 10 a 16 de novembro de 2004, vários grupos diferentes de contatos com UAPs foram detectados com o radar SPY-1 do PRINCETON e confirmados visualmente em 14 de novembro pelo F/A-18 Superhornets lançado do USS NIMITZ CV-68.

OH: Estes objeto já estavam sobre o oceano, ou vieram de outro lugar?

KD: Os contatos UAP foram observados descendo do espaço. Então, assumindo vários blocos de altitude, incluindo 80.000 pés (24.000 m), 28.000 pés (8.500 m) e nível do mar.

OH: Quantas testemunhas você estima que viram o evento?

KD: Havia aproximadamente 5.000 testemunhas potenciais a bordo do NIMITZ e 400 testemunhas potenciais a bordo do PRINCETON.

OH: Você conseguiu ver pelo menos um dos objetos a olho nu? Em caso afirmativo, você pode descrevê-lo para nós?

KD: Sim. No dia seguinte à interceptação do Comandante Fravor com o objeto UAP, eu já estava convencido de que tínhamos todos observados algo extraordinário. Nós observamos OVNIs reais, vivos, “sem-exagero”! E quando uma nova formação de UAPs foi detectada no radar, e bastante perto também, decidi tentar ver um com meus próprios olhos.

Eu obtive a direção, alcance, altitude, curso e velocidade no objeto mais próximo do grupo e rapidamente fui até a ponte do navio. Encontrei o objeto no céu que se correlaciona precisamente com o que é mantido no radar usando o binóculos Big Eye do navio.

Eu visualmente observei um único objeto UAP. Embora fosse apenas uma luz branca achatada se movendo muito lentamente em direção ao Sul, eu sabia que estava observando um deles. E lembro ter pensado também, será que ele sabe, que eu sei [que ele está lá]?

OH: O principal ativo do Grupo de Ataque do Porta-Aviões, liderado pelo USS Nimitz, era o USS Princeton, cujo papel era a proteção da defesa aérea para o grupo de ataque. Este navio tem o melhor radar e melhor consciência situacional de todos os objetos aéreos; quantos operadores de radar estavam monitorando os objetos além de você?

KD: O Radar SPY-1 e o Sistema de Armas AEGIS são o mais avançado sistema de defesa aérea da Marinha dos Estados Unidos. Então, possivelmente, o melhor sistema defensivo do mundo.

Três equipes de observação de radar altamente treinadas e separadas a bordo do PRINCETON observaram formações de UAPs durante vários dias.

OH: Quantos objetos foram detectados”?

KD: De aproximadamente 10-16 de novembro de 2004, várias formações de grupos diferentes de UAPs consistindo de 5 a 10 objetos foram detectadas. Um total aproximado de 100 objetos separados foram rastreados e relatados pelo PRINCETON ao longo de vários dias

OH: Uma das testemunhas, o comandante Fravor, afirma ter visto uma zona de perturbação de até 100 metros de diâmetro na água do mar, você poderia dizer se algum objeto submerso foi detectado naquele momento?

KD: Minha própria percepção situacional durante o encontro não incluiu a entrada do UAP e/ou movimento sob a superfície do mar.

No entanto, recentemente ouvi relatos confiáveis ​​de outras testemunhas relatando que, de fato, objetos UAP entraram na água e foram rastreados no sonar viajando pelo oceano a 500 nós (926 km/h). No entanto, este não é meu próprio testemunho.

OH: Para onde os objetos foram depois de serem interceptados pelos caças? Eles foram para o espaço?

KD: Quando os caças do NIMITZ chegaram ao local, os objetos UAP caíram repentinamente de 28.000 pés até a superfície do oceano em menos de 1 segundo. Quando os caças deixaram a cena, os objetos subiram do nível do mar de volta para 28.000 pés em menos de 1 segundo. E continuaram indo para o sul a 100 kts (185 km/h) como se nada de interessante tivesse recém acontecido.

Nós mantivemos os UAPs no radar, originados em torno da Ilha Catalina, ao norte de nossas unidades. Os objetos UAP apagaram do radar ao largo da costa do México para o nosso sul, sobre a Isla de Militar.

OH: Qual foi sua primeira reação quando você percebeu que os objetos estavam voando de uma maneira totalmente diferente de qualquer aeronave conhecida?

KD: Minha primeira reação foi verificar novamente se os dados do radar do evento estavam sendo gravados pela Capacidade de Engajamento Cooperativo do navio. O evento inteiro foi de fato capturado com sucesso, embora esses dados tenham sido aparentemente removidos do navio e não foram liberados pelo governo.

OH: Você pode descrever para nós o comportamento desses objetos desconhecidos que seria surpreendentemente diferente das nossas aeronaves?

KD: Estes UAPs exibiram todos os cinco “observáveis ​​UAP” —- sustentação antigravidade, aceleração repentina e instantânea, velocidades hiper sônicas sem assinaturas, baixa observabilidade ou cloaking (camuflagem) e viagens transmídia.

OH: Estes objetos mostraram algum comportamento agressivo em relação aos pilotos que foram despachados para investiga-los? Se sim, você poderia descrever isto?

KD: Negativo. Em nenhum momento um comportamento agressivo foi exibido pelos objetos. De fato, os objetos agiam como se simplesmente queria ficar sozinhos. Como um bando de pássaros?

OH: Você acha que alguma superpotência, inclusive os EUA, poderia, através de seus projetos secretos, ter construído essas máquinas? E se não, qual você acha que é a origem desses objetos?

KD: Essa é a pergunta de US$ 64.000. Eu não tenho outra resposta além da verdade. Eu não fiz então nem agora eu reivindico saber o que são esses objetos UAP. Não tenho ideia da sua origem. Durante o evento, minha única sensação foi que eu estava de alguma forma observando algo vivo, biológico?

OH: Na sua opinião pessoal, é totalmente absurdo pensar que esses objetos têm uma origem extraterrestre, ou mesmo intraterrestre, se é de todo possível que outras civilizações nos visitem?

KD: Minha opinião pessoal é que esses objetos poderiam, de fato, ter uma origem diferente da humana. Também é minha opinião pessoas de que podemos não estar sozinhos no Universo. Essa é apenas a minha opinião e eu estou sem evidências para apoiar isto.

OH: Parece que o Comandante Fravor, o piloto enviado para investigar os objetos de perto, agora parece um pouco relutante em continue falando sobre isso. Por que você acha que isso aconteceu?

KD: Em primeiro lugar, o Comandante Fravor é um herói americano e um dos melhores pilotos de caça já produzidos pela Marinha dos Estados Unidos. Criado no mundo de operações de defesa antiaérea e operações de guerra da Marinha, ele também é, provavelmente, um pouco ‘sub-preparado’ para o que está acontecendo agora no mundo civil. De repente, se tornando uma figura pública em um palco mundial tem seus próprios desafios! Também é bem provável que o seu próprio objetivo sem se manifestar provavelmente já foi realizado. Nomeadamente, fazer com que a Marinha dos Estados Unidos acorde e mude a política relativa aos relatos sobre UAPs.

OH: Os dados adquiridos deste evento foram confiscados pelos seus superiores? Como eles reagiram à coisa toda? Eles disseram a todos para ficarem em silêncio sobre isso?

KD: Pessoalmente, nunca me disseram para não falar sobre esse encontro e nunca assinei acordos de não divulgação. No entanto, outras testemunhas estão relatando que aconteceram a elas e, de fato, todos os dados de radar e comunicações agora está faltando ou ainda não foram liberados. Ondo foram parar os dados de radar e comunicações do evento? Quando foram removidos dos navios? Como? Por quê? Onde estão os dados agora? [Kevin se pergunta.]

OH: Você acha que agora, com a Marinha declarando que estará aberta para ouvir relatos de marinheiros e pilotos, nós teremos algum tipo de reconhecimento oficial de que esses objetos existem pelo Pentágono ou outros? Onde você acha que isso vai nos levar?

KD: Eu mantenho que há uma enorme diferença entre os conceitos de CONFIRMAÇÃO e DESACOBERTAMENTO. A recente mudança para a política da Marinha dos EUA é, com efeito, CONFIRMAÇÃO; ou admitir publicamente que UAPs existem e têm sido observados repetidamente pelo pessoal da Marinha. A Marinha dos EUA não divulgou, isto é, não confirmou nem negou que eles sabem o que os UAPs realmente são ou não são.

OH: Você está ciente ou tem testemunhado quaisquer outras ocorrências similares com a Esquadra da Marinha, ou em particular, antes ou depois de 2004?

KD: Não. O encontro do NIMITZ de 2004 foi meu único envolvimento com UAPs durante meus 23 anos de carreira. Estranhamente, o encontro ocorreu durante o meu último percurso no mar, ainda de uniforme. Interceptar um OVNI acabou sendo minha última interceptação ar-ar no mundo real, de centenas.

OH: Na sua opinião, independentemente de onde essas coisas vêm, qual você acha que é a intenção das pessoas/seres por trás disso para nós? Você sentiu que eles representam algum perigo para a raça humana, mesmo se forem de origem é humana?

KD: Minha crença pessoal é esta, e é apenas a minha opinião, pois eu não sei. O encontro NIMTIZ constituiu um entrega de mensagens de qualquer inteligência que esteja por trás desses objetos UAP. Eles demonstraram a capacidade de saber a respeito — e reagem às nossas intenções. Seu comportamento não era de forma alguma hostil como definido sob as regras de batalha das forças armadas dos Estados Unidos.

Pessoalmente, acredito que a mensagem deles foi essa – nossa melhor ‘defesa’ contra esses objetos UAP é nossa própria mentalidade quando os encontrarmos. Para ter cuidado com o que estamos pensando quando os encontramos. E só abrigar intenções próprias e justas para com eles antes, durante e depois de encontrá-los.

Eu não acredito que os UAPs representem qualquer perigo direto para a raça humana. No entanto, os UAPs representam um perigo para a navegação aérea segura. E também uma ameaça assimétrica às nossas forças armadas, simplesmente a partir do choque, admiração, e potencial para má interpretação e reação exagerada. Uma guerra de tiro não intencional poderia resultar puramente de erros tão facilmente feitos. E porque a nova política da Marinha é uma vitória tão grande para as pessoas que agora defendem nossa nação no mar e no nosso espaço aéreo.

OH: Há alguma outra observação que você gostaria de fazer?

KD: Obrigado pelo seu interesse neste caso. O encontro do NIMITZ em 2004 certamente se transformou num movimento de base mundial! E embora eu tenha sido apenas uma testemunha de muitos, eu considero o papel que estou desempenhando agora nisso ser a maior honra da minha vida. Não só os Cinco Observáveis ​​foram realmente observados por especialistas durante o próprio encontro Nimitz. pelo especialista. Todas as seis camadas do modelo de Vallee-Davis, incomensurabilidade, ortodoxia e a física da alta estranheza: um modelo de 6 camadas para fenômenos anômalos, Jacques F. Vallee e Eric W. Davis, 2005, também já foram observados. Este é o melhor caso de encontro UAP em história sob qualquer perspectiva. Na minha opinião.

Por fim, acredito que a mensagem ‘deles’ foi cristalina para qualquer mente aberta que realmente deseja compreendê-la. Com ou sem qualquer necessidade de entender o que eles realmente são.

OH: Kevin Day, foi um prazer e uma grande honra te-lo aqui respondendo a essas perguntas. Tenho certeza que todos os leitores ficarão encantados com sua participação no OVNI Hoje. Meus mais sinceros agradecimentos a você e ao seu agente, Dave Altman, por terem nos agraciado com esta oportunidade de trazer mais informações ao público sobre este fenômeno que é de suma importância para a humanidade.

Este site publica notícias que estão sendo disponibilizadas na Internet a respeito do fenômeno OVNI, bem como assuntos alternativos relevantes ao nosso planeta/Universo e à raça humana. Antes de criticar um artigo aqui publicado, entenda nossa missão clicando neste link.