web analytics

Coração alienígena petrificado foi mostrado por nativo norte americano

Tempo de leitura: 4 minutos


Teria um coração alienígena petrificado sido exibido por um ancião nativo norte americano. O artigo abaixo, escrito por Arjun Walia para o site collective-evolution.com, conta a história:

Coração alienígena petrificado foi mostrado por nativo norte americano
Imagem meramente ilustrativa. Crédito: David Grim

O Dr. Ardy Sixkiller Clarke, professor emérito da Universidade do Estado de Montana que é nativo Cherokee/Choctaw, tem pesquisado o Povo das Estrelas por muitos anos e colecionado encontros entre eles e os nativos norte americanos. Este artigo compartilha um dos muitos encontros…

Aqui está uma ótima citação no início de seu livro, “Encounters With Star People, Untold Stories of American Indians” (Encontros com o Povo das Estrela, Histórias Não Contadas dos Índios Americanos), de onde vem essa informação:

Eu aprendi pela primeira vez sobre o ‘Povo das Estrelas’ quando minha avó me contou as antigas lendas do meu povo. Minha realidade infantil incluía narrativas que traçavam as origens dos povos indígenas das Américas até as Plêiades; histórias de pessoas pequenas que intervieram na vida das pessoas; e lendas sobre o dom mágico do DNA do ‘Povo das Estrelas’ que fluía nas veias das tribos indígenas da Terra. Abracei as histórias dos visitantes celestes que viviam entre os índios como parte da minha herança.

O livro é fascinante, para dizer o mínimo, e descreve muitos encontros de ‘seres estelares’, ambos benevolentes e malévolos por natureza. Como sou um pesquisador de OVNIs / UFOs / extraterrestres há muito tempo, é muito interessante ver como algumas dessas histórias corroboram algumas das informações que encontrei em outras fontes ao longo dos anos.

A história a seguir vem de um ancião que acreditava que “os alienígenas não apenas uma vez caminharam sobre esta terra, mas continuaram a fazê-lo. Para provar sua declaração, ele exibiu um artefato alienígena de natureza muito pessoal – um coração petrificado, que ele acreditava pertencer a um antigo alienígena”.

Seu nome era Sam e ele era um ancião respeitado em sua comunidade. Ele trabalhou em sua escola comunitária como um avô substituto que aconselhava jovens problemáticos. Clarke tinha desenvolvido um relacionamento com Sam, que tinha 92 anos na época dessa experiência que Clarke compartilhou em seu livro. Um dia, eles tiveram uma conversa muito espiritual, e a vida em outros planetas surgiu. Ele disse a Clarke:

…nossos ancestrais sabiam muito mais sobre o Universo do que qualquer outro sabia; eu tenho algo que quero mostrar a você.

De acordo com Clarke, ele puxou o cobertor em seu colo e ergueu um pacote:

Meu avô me deu isso quando eu era menino. Ele tinha quase 90 anos na época. Eu tinha seis ou sete anos. Ele desembrulhou o objeto e me entregou. “É um coração petrificado”, eu disse, um pouco chocado com o objeto que eu estava segurando.

Clarke então fez várias perguntas. O ancião respondeu, como Clarke descreve abaixo:

“Este é o coração de um viajante de estrelas. Se você olhar de perto, verá que não é exatamente como um coração humano.”

Virei-o em minhas mãos e olhei para ele. Dentro do coração de um adulto existem dois sistemas independentes paralelos, cada um consistindo de um átrio e um ventrículo. Este coração era diferente. Em vez de quatro câmaras, como as encontradas no coração humano, tinha cinco câmaras com três aurículas e três ventrículos. Quando eu indiquei isso para Sam, ele assentiu.

“Os Povos das Estrelas têm corações ligeiramente diferentes dos nossos. Eles bateram muito mais devagar também. Segundo meu avô, o coração pertencia a um viajante de estrelas. Foi dado a ele por seu avô que obteve de seu avô e assim por diante. Nos velhos tempos, o povo das estrelas vivia na Terra. Eles se acasalaram com nossas mulheres e nos tornamos um com eles.”

O último ponto é interessante: eles moravam aqui entre as populações indígenas. Isso corrobora com várias outras histórias indígenas compartilhadas de muitas outras também. Quanto ao acasalamento e cruzamentos, as histórias sobre o cruzamento de ‘deuses’ com seres humanos também estão no folclore de não apenas povos indígenas, mas também podem ser encontradas no folclore cristão, especificamente os ‘nefilins‘.

O ancião prosseguiu explicando a Clarke que eles estavam aqui até o homem branco chegar:

Eles sabiam que o homem branco estava vindo para esta terra. Eles nos avisaram e sugeriram que deixássemos este planeta. Muitas naves espaciais vieram para levar as pessoas embora. Algumas pessoas voltaram para as estrelas para lá viverem. Muitos eram obstinados e teimosos e decidiram ficar para trás. Eles acreditam que poderiam resistir aos homens brancos já que sabiam que eles estavam vindo. Eles teriam a vantagem da surpresa. Não foi assim. As armas do homem branco eram maiores, suas palavras mais fortes, seus números maiores. Algumas pessoas até acreditavam que eram deuses e os escolheram sobre seu próprio povo. Nossos ancestrais das estrelas nunca voltaram para nos salvar. Nós fomos deixados para o nosso próprio destino.

Em seguida, ele descreveu suas experiências com os astros e como ele foi levado a bordo de embarcações e viu muitos mundos. Muitos mundos e civilizações que viviam no passado, da Terra e não tecnologicamente avançadas ainda.

Ele também foi informado sobre os que abduzem pessoas e quantos grupos das estrelas os evitam, alegando que “eles não são mais humanos. Eles intencionalmente extraíram de sua raça a capacidade de sentir amor, compaixão e dor – todas as emoções. Eles acreditavam que isso faria um mundo melhor. Um mundo sem emoções poderia levar a um maior avanço.”

O fenômeno da abdução é muito real e apoiado por muitas pesquisas de grande número de professores e pesquisadores.

Sam faleceu com a idade de 97 anos. Uma foto apareceu no jornal local dele em um cocar de penas de águia e uma camisa de contas. A manchete dizia:

O último chefe das planícies do norte morre.

Se essa história e outras no livro de Clarke são verdadeiras ou não, não é o ponto, embora eu tenha muito pouca dúvida de que muitas delas são. É realmente uma pena o que aconteceu em nosso passado recente em relação à colonização, levando à perda de muitas histórias que já foram proeminentes na cultura indígena, porque a doutrinação se seguiu. Esse foi um período sombrio, uma época em que a humanidade está apenas começando a sair e sinto que é importante compartilhar histórias que antes eram uma forte tradição entre os povos indígenas.

Não estamos sozinhos e somos muito mais do que fomos feitos para acreditar que somos.

(Fonte)

Este site publica notícias que estão sendo disponibilizadas na Internet a respeito do fenômeno OVNI, bem como assuntos alternativos relevantes ao nosso planeta/Universo e à raça humana. Antes de criticar um artigo aqui publicado, entenda nossa missão clicando neste link.


Tão importante quanto uma prova real de que um coração alienígena petrificado tenha realmente estado em posse de um ancião nativo norte americano é o fato de que as lendas de muitos povos nativos das Américas menciona o Povo das Estrelas. Teriam esses extraterrestres realmente vivido junto com os nativos e oferecido “caronas” em suas naves espaciais para eles verem o Universo?

Nunca saberemos com certeza se esses relatos não passam de lendas, mas, como diz o ditado popular, “onde há fumaça, há fogo”… ou pelo menos havia fogo.

Infelizmente, mesmo se pudéssemos ter em nossas mãos tais objetos – como o referido coração alienígena petrificado – para que fossem examinados, ainda assim seria uma grande batalha provar sua autenticidade. Prova disso foi o caso do crânio da criança das estrelas, cujo pesquisador Lloyd Pye dedicou sua vida para descobrir a verdade, mas infelizmente faleceu durante o processo. Após seu falecimento, o crânio parece ter caído no esquecimento.

n3m3

Você pode ajudar na manutenção do OVNI Hoje. Clique aqui para saber mais.



ATENÇÃO: Os comentários abaixo são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprios autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências por eles causados, como também reserva o direito aos seus moderadores de banir qualquer usuário que bem determinarem. Ao usar a área de comentários abaixo, você concorda com esses termos.

Assim, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando tais comentários como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado superior direito de cada comentário.

Obrigado.