web analytics

O que eles escondem de nós após a queda da sonda israelense ‘Beresheet’ na Lua?

Tempo de leitura: 2 minutos

A sonda Beresheet, primeira de Israel e destinada à superfície lunar, caiu na quinta-feira passada no satélite depois de apresentar uma série de falhas técnicas durante a manobra de descida.

* Conteúdo da matéria baseado em opiniões pessoais, ou declarações de testemunhas ou pesquisadores sem o respaldo de provas concretas, mesmo se tratando de vídeo ou foto. (Missão do OVNI Hoje)

após a queda da sonda israelense 'Beresheet' na Lua

Enquanto a nave se aproximava da Lua, a empresa israelense SpaceIL perdeu contato em várias ocasiões. Os cientistas esperavam que a missão pousasse em poucos minutos, mas ela colidiu com a superfície da Lua depois de apresentar falhas no motor.

‘Beresheet’, que em hebraico se refere à frase bíblica ‘No começo’, viajou pelo espaço por sete semanas em uma série de órbitas em expansão ao redor da Terra antes de passar para a influência gravitacional da Lua na semana passada.

Até agora, apenas três países conseguiram fazer um pouso ‘suave’ na superfície lunar: os Estados Unidos, a antiga União Soviética e a China.

Por trás disso, há um jogo de poder por outros países que possuem a mesma capacidade tecnológica. Chegar à Lua antes dos russos era fundamental. Começar a remover metais de um asteroide é fundamental. Ter satélites espiões é fundamental.

A luta é para demonstrar que você tem poder sobre os outros países do mundo. E mais uma vez é, com sondas, de volta à Lua, como pretendia fazer Israel com a Baresheet.

Na verdade, pode-se dizer que esse país não tem tecnologia suficiente para enviar sondas para o espaço. De qualquer forma, a SpaceIL, uma organização israelense, decidiu fazê-lo, mesmo que houvesse possibilidades de fracasso.

Mas e se chegarmos a um ponto em que aqueles que estão no poder não permitirão mais os pousos de outros países, como a que Israel pretendia quando estava associada a uma empresa sem fins lucrativos, e apenas nações como a China, a Rússia e os Estados Unidos seriam aqueles que poderiam fazer essas viagens espaciais?

Estaríamos enfrentando outra hegemonia, e desta forma, será advertido que na Lua o pouso de sondas de outros países não é mais possível e, portanto, desencorajado? Que se pretende apenas que esses três países tenham uma carta aberta para a mineração do satélite?

Estamos diante do isolamento do espaço, como é o caso da Antártica, onde nenhum país é autorizado a entrar, exceto os países associados que têm suas bases de pesquisa e/ou militares?

Estaria escondido na Lua algo que não querem que seja visto por outros países?

De qualquer forma, continuamos no obscurantismo informativo; a verdadeira tecnologia aeroespacial ainda está escondida para o conhecimento da humanidade.

(Fonte)


Ao bem da verdade, o que ocorreu foi mesmo falta de experiência por parte da equipe israelense. Nada que não possa ser corrigido para uma próxima missão, se houver.