Agora que um buraco negro foi fotografado, o que aqueles que negavam sua existência farão?

Tempo de leitura: 3 minutos
“Os buracos negros são os objetos mais misteriosos do universo. Nós vimos o que pensávamos ser invisível. Tiramos uma foto de um buraco negro.”

* Conteúdo da matéria com veracidade comprovada, de fontes originais fidedignas. (Em se tratando de tese ou opinião científica, só pode ser garantida a veracidade da declaração da pessoa envolvida, e não o fato por ela declarado.) (Missão do OVNI Hoje)

Agora que um buraco negro foi fotografado, o que aqueles que negavam sua existência farão?

Sheperd Doeleman, diretor do Telescópio Event Horizon (EHT) – uma rede de oito radiotelescópios em todo o mundo que capturou a imagem de um buraco negro – revelou a fotografia em 10 de abril em uma conferência de imprensa com os principais cientistas e astrônomos esperando para ver a prova definitiva daquilo que eles todos acreditavam com base em fé, indicadores e modelos científicos – que existem buracos negros.

Ou será mesmo que existem?

Espere, você diz … você não viu a foto? Claro, mas existem dezenas de milhares de fotografias da Terra do espaço exterior mostrando que ela é um globo. Alguma delas convenceu os terraplanistas?

Conheça Laura Mersini-Houghton, autora de “Backreaction of Hawking radiation on a gravitationally collapsing star I: Black holes?”, um artigo que ela escreveu em 2014, em que ela usou duas teorias aparentemente conflitantes para provar que buracos negros não existem, porque eles não podem vir a existir em primeiro lugar. Mersini-Houghton é professora de física na Universidade da Carolina do Norte em Chapel Hill:

Este trabalho investiga a reação reversa da radiação de Hawking no interior de uma estrela gravitacionalmente colapsada, em um vácuo inicial de Hartle-Hawking. Isso mostra que, devido à radiação Hawking de energia negativa no interior, o colapso da estrela pára em um raio finito, antes que a singularidade e o horizonte de eventos de um buraco negro tenham uma chance de se formar. Ou seja, a estrela salta em vez de desmoronar em um buraco negro.

Um comunicado de imprensa da faculdade intitulado “Carolina’s Laura Mersini-Houghton shows that black holes do not exist” (‘Laura Mersini-Houghton da Carolina mostra que buracos negros não existem’) dá uma explicação simples, referenciando Stephen Hawking na tentativa de validá-lo:

Ela e Hawking concordam que, quando uma estrela entra em colapso sob sua própria gravidade, ela produz a radiação Hawking. No entanto, em seu novo trabalho, Mersini-Houghton mostra que, emitindo essa radiação, a estrela também perde massa. Tanto é assim que ao encolher não tem mais a densidade para se tornar um buraco negro. Antes que um buraco negro possa se formar, a estrela moribunda incha uma última vez e depois explode. Uma singularidade nunca se forma e nem um horizonte de eventos. A mensagem para levar para casa é clara: não existe um buraco negro.

“She and Hawking both agree that as a star collapses under its own gravity, it produces Hawking radiation. However, in her new work, Mersini-Houghton shows that by giving off this radiation, the star also sheds mass. So much so that as it shrinks it no longer has the density to become a black hole. Before a black hole can form, the dying star swells one last time and then explodes. A singularity never forms and neither does an event horizon. The take home message of her work is clear: there is no such thing as a black hole.”

Aí está. Não é necessário dizer que os que acreditavam na existência de buracos negros reagiram fortemente contra o trabalho. Em 1974, Stephen Hawking propôs que um buraco negro temporariamente retém matéria e energia que podem eventualmente ressurgir como radiação de saída – Radiação de Hawking. A maioria das respostas ao artigo de Mersini-Houghton centrava-se na ideia de que um buraco negro não emite Radiação de Hawking suficiente para reduzir a sua massa ao nível de Mersini-Houghton, o que impediria a formação de um buraco negro.

Quase isso, mas não é real.

Mersini-Houghton não era a única a negar a existência de buracos negros. Ela apenas a última e mais famoso. Todos tiveram um argumento – se buracos negros existem, por que não há uma fotografia de um? Bem, agora há e certamente haverá mais.

O que você acha? A foto da Terra tirada da Lua, há 50 anos, convenceu os terraplanistas?

(Fonte)


Claro que a foto da Terra tirada a partir da Lua não convenceu os terraplanistas, pois estes acham que a raça humana nem mesmo é capaz de sair daqui da Terra.

Mas deixando isso de lado, o próprio Hawking não acreditava na existência dos buracos negros.

Então, por mais que Hawking tenha contribuído grandemente para a ciência – e não está aqui para se defender – o placar está Einstein 10 X Hawing 0.

Ah, e lembre-se: Hawking foi o cara que disse que os ETs viriam aniquilar nossa existência do universo. Mal posso esperar para que essa tese também seja derrubada, pois eles já estão aqui há milênios e ainda não nos aniquilaram. No máximo, nos controlam de uma forma ou de outra.