web analytics

Não são humanos aqueles que dominam o mundo

Tempo de leitura: 7 minutos

* Conteúdo da matéria baseado em opiniões pessoais, ou declarações de testemunhas ou pesquisadores sem o respaldo de provas concretas, mesmo se tratando de vídeo ou foto. (Missão do OVNI Hoje)

Já que a existência dos OVNIs (Objetos Voadores Não Identificados) com capacidades muito além da tecnologia de voo humana atual já se provou verdadeira, sem sobra de dúvidas, entre tantas questões levantadas está a razão desta misteriosa presença aqui em nosso planeta, e se sua pretensão é nos invadir.

Obviamente, se quisessem nos invadir como é mostrado nos filmes de Hollywood, eles já o teriam feito há muito tempo, antes mesmo de termos desenvolvido armamentos nucleares. Mas será que na agenda dessas misteriosas entidades, responsáveis por esses objetos voadores, já não implementaram uma outra forma de controle sobre a raça humana, a qual nem sequer desconfiamos? Algo como se aproveitar das fraquezas humanas, inversamente projetadas nas mentes de alguns poucos humanos como sendo um uma vantagem, para então, controlando essas pessoas, obterem controle do mundo?

O seguinte artigo, escrito por Brandon Smith, (que diga-se de passagem, é muito controverso) fala a respeito de algo que, embora pareça não estar relacionado ao tema principal deste site, pode muito bem estar associado à questão alienígena… ou não. Como sempre, você é o juiz, e sua opinião é bem vinda na área de comentários, desde que seja educada, sempre respeitando as opiniões alheias:

Não são humanos aqueles que dominam o mundo

Costuma-se dizer que alienar outras pessoas em geral pode ser perigoso e que alienar seus inimigos pode ser taticamente prejudicial. Por um lado, isto pode levar a uma falsa sensação de superioridade sobre essas pessoas quando você afirma algum tipo de vantagem genética imaginada. Também pode levar a perigosas generalizações de vastos grupos, à medida que você categoriza e classifica milhões como sendo exatamente o mesmo, quando isso é racionalmente impossível.

No entanto, alienar talvez seja a única opção quando nos confrontamos com um tipo muito particular de pessoa que abraça uma marca muito particular de ideologia; alienar pode tornar-se uma questão de sobrevivência.

Estou falando, é claro dos globalistas.

Não estou falando dos comparsas de baixo nível e idiotas úteis dentro do impulso ou ‘movimento’ globalista, porque muitos deles simplesmente representam uma ingenuidade ou estupidez subjacente entre as pessoas atraídas para o mundo inato da academia. Em vez disso, estou falando sobre as pessoas por trás da cortina; autoproclamados “globalistas” ou internacionalistas, as quais se posicionaram em centros estratégicos de poder.

Eu estou falando sobre as pessoas que influenciam ou controlam completamente a política do governo quando estão sobre os ombros das autoridades supostamente livremente eleitas. Estou falando das pessoas que influenciam a segurança econômica ou a insegurança por meio de conglomerados bancários não contabilizados. Estou falando dos homens e mulheres que desejam ditar o destino de bilhões.

Essas pessoas não são facilmente identificadas por outra coisa senão suas retóricas e ações. Elas são compostas por vários grupos étnicos. Elas operam a partir de todos os cantos do planeta.

Elas não concordam com nenhuma doutrina espiritual, mas se dedicam publicamente a muitas religiões diferentes como meio de se “encaixar” com o cidadão comum. O globalismo é a religião deles. E o deus deles? Bem, eles se vêem como deuses.

Para ser um globalista, no entanto, é preciso fazer mais do que apenas subscrever os princípios do globalismo; Há uma questão de traços de caráter e ações que devem ser examinados.

Depois de estudar o comportamento dos globalistas e suas organizações há algum tempo, tenho notado que seus padrões psicológicos tendem a combinar com uma faixa estreita de pessoas que são melhor descritas como “criminalmente insanas”. Mais precisamente, os globalistas se comportam como narcisistas de alto desempenho. sociopatas e psicopatas. Mas quais são os traços de tais pessoas? Vamos dar uma olhada em alguns deles …


Falsa sensação de superioridade – auto-engrandecimento

Toda pessoa quer ser vista como importante ou única. Mas os sociopatas narcisistas acreditam ter direito a um tratamento especial e se vêem acima das leis e sutilezas da sociedade normal. Às vezes, eles buscam sustentar essa atitude por meio de “conquistas”, escavando posições de poder e influência, a fim de reforçar a noção de que são especiais em comparação com os outros.

É claro que o poder é geralmente uma construção artificial, porque o único poder que temos sobre os outros é o poder que eles nos dão, consciente ou inconscientemente. O poder não torna uma pessoa especial. O sociopata narcisista não faz tais distinções, no entanto.

Ele/ela só distingue entre as pessoas que lutam pelo domínio e todos os outros. Em suas mentes, as pessoas que desejam poder são uma subespécie superior, enquanto as pessoas que não desejam poder são consideradas insetos.

Francamente, não vejo razão para não fazermos a mesma afirmação absoluta, apenas ao contrário.

Sociopatas e psicopatas narcisistas são atingidos por visões de grandeza assumida. Eles não vêem o conteúdo de suas realizações como necessariamente importante.

Ou seja, eles pensam que nasceram grandes, portanto, não é para eles realizarem qualquer coisa que sirva para ajudar os outros ou para avançar o conhecimento da humanidade. Eles não se importam em provar sua grandeza através de realizações legítimas, eles só se importam que as pessoas ACREDITEM que eles são especiais, que são ungidos.


Manipulação e coerção

Um sociopata narcisista geralmente prefere obter o que quer facilmente. Ele espera que as pessoas lhes adore e entreguem controle automaticamente. Mas se ele não conseguir o que quer, ele usará qualquer meio à sua disposição.

Isso geralmente inclui a ameaça da força ou o uso da força, o uso de tortura, o uso de mentiras elaboradas e esquemas para empurrar seu alvo para um canto (para fazê-los se comportar de uma maneira específica), o uso de condicionamento psicológico (moldagem comportamento, geralmente através de respostas de medo) e também o uso de ‘gaslighting‘ (acusando o alvo de ser ‘louco’, se este não concordar com a visão distorcida do narcisista do mundo).

Naturalmente, esse tipo de pessoa perturbada nunca está realmente satisfeita, mesmo quando consegue o que quer. Ela sempre quer mais, sempre há algo mais que precisa para preencher o vazio interno infinito.


Falta de empatia pelos outros

Nem todos os narcisistas são sociopatas, mas a maioria dos sociopatas é narcisista. Quando falamos de narcisistas, é importante lembrar que existem vários graus desse câncer psicológico. Quando menciono os globalistas em particular como sendo “narcisistas”, refiro-me à sua propensão a serem narcisistas de alto funcionamento com tendências sociopatas.

Em outras palavras, eles são narcisistas que não apenas têm um senso inflado de autovalor, mas também são desprovidos de empatia e consciência. Eles estão dispostos a prejudicar os outros em qualquer grau para conseguir o que querem no momento, desde que achem que possam evitar as consequências de fazê-lo.

Há também a questão da distinção entre sociopatas e psicopatas. Isto é um pouco difícil de descrever, sendo que eles são tão semelhantes em muitos aspectos. Eu colocaria desta forma – enquanto sociopatas perseguem uma meta e estão dispostos a pisar nas pessoas para chegar a ela, os psicopatas pisam nas pessoas mesmo quando não têm uma meta em mente. Ou seja, o psicopata desfruta do ato de destruição; o que eles mais querem é a dor de outras pessoas.

Sociopatas e psicopatas parecem permear as fileiras das instituições globalistas. Alguns deles querem construir um ídolo para si mesmos e não se importam com quem eles prejudicam no processo. Alguns deles tiram grande proveito de simplesmente ferir o maior número de pessoas possível.


Necessidade desesperada de adoração

Não é suficiente para o sociopata narcisista atingir um nível de respeito através da coerção. Em última análise, o que ele quer é que as massas humildes aceitem voluntariamente sua grandeza como absoluta, como um fato óbvio e inegável da vida.

O que eles querem é reverência e devoção. Como mencionado anteriormente, eles querem ser tratados como deuses pelas pessoas ao seu redor, e se eles são particularmente ambiciosos, por todos no mundo.

Esta é uma dinâmica estranha, pois requer um conjunto altamente elaborado de esquemas e manipulações. Se alguém não é uma pessoa excelente, quanto mais como um deus, a quantidade de condicionamento psicológico necessário para convencer as pessoas do contrário é substancial.

Isso torna o sociopata narcísico um escravo em potencial de suas próprias conspirações incessantemente planejadas; mentiras acumulam-se sobre mentiras e esquemas em cima de esquemas na procura de algo que nunca conseguirá verdadeiramente.


Globalistas são não-humanos psicologicamente divididos

No mundo da análise alternativa e do jornalismo investigativo, não é incomum encontrar pessoas que atribuem um status de outro mundo a globalistas. Algumas pessoas os vêem como uma representação do Apocalipse bíblico – minions das profundezas do inferno.

Outros os vêem como literalmente alienígenas – seres interdimensionais posando como humanos. E embora muitos vão rir de tais pessoas como conspiracionistas extravagantes, acho que é importante entender porque eles veem os globalistas dessa maneira.

Quando confrontados com o mal verdadeiro e organizado, vazio de todo cuidado ou remorso, uma pessoa pode estar tentada a aplicar explicações sobrenaturais. Não tenho certeza se sou contra a ideia.

Os globalistas exibem na maior parte, se não totalmente, os sinais reveladores dos sociopatas narcísicos, incluindo estarem desprovidos de consciência e bússola moral. Embora existam muitas definições do que é que nos torna humanos, existe um tipo de requisito universal, independentemente da cultura; ou seja, a exigência de algo como uma alma.

O que faz uma alma? Que tal um desejo básico de fazer o certo pelos outros, mesmo que isso signifique não conseguir o que queremos o tempo todo? Este é um bom ponto de partida, mas há mais do que isso.

Psicólogos e cientistas têm descoberto, ao longo de muitas décadas, um padrão de traços de caráter inerentes à psique humana; traços presentes nos seres humanos desde o momento do nascimento, fora das influências do ambiente social.

Carl Jung foi o principal especialista neste campo de “qualidades arquetípicas”, com um vasto catálogo de estudos de caso de todo o mundo, inclusive estudos na África tribal.

Uma parte importante do conhecimento e das características arquetípicas ou inatas é a noção do bem e do mal; nascemos entendendo que certos comportamentos são construtivos, enquanto outros são destrutivos e abomináveis. Esta é provavelmente a fonte do que chamamos de ‘consciência’.

Infelizmente, nem todas as pessoas nascem com uma consciência. Em algumas pessoas, a diferença entre o bem e o mal, ou o comportamento construtivo e destrutivo, é tratada como embaçada ou frívola. Jung e outros psicólogos marcam esse subconjunto de nossa espécie como sociopatas e psicopatas ‘latentes’.

Juntos, eles formam cerca de 10% de qualquer cultura ou grupo. Muitos deles permanecem “latentes” e mais ou menos inofensivos durante todas suas vidas, a menos que certas condições ambientais instáveis ​​forneçam combustível para o seu mau funcionamento. Cerca de 1% nascem como sociopatas e psicopatas completos. Estes são o que eu chamaria de “não-humanos”.

Isso ocorre porque o narcisismo de alto nível e a sociopatia não são “doenças mentais” tradicionais, mas traços de caráter arraigados. Um sociopata narcisista não pode ser ‘curado’ de sua doença porque não é uma doença, é quem eles são. Se você fosse tirar o narcisismo e a sociopatia deles, não restaria nada à sua personalidade.

Quando uma pessoa normal entra em contato com alguém que não tem consciência inerente, há um recuo imediato; uma sensação de que eles acabaram de encontrar um monstro. Isso não é um exagero, isso é totalmente preciso.

Narcisistas e sociopatas de alto nível são fisicamente humanos, é claro, mas se fôssemos observar uma representação visual de sua psique, encontraríamos uma terra árida – um lugar onde fantasmas espreitam. Eles não sonham como pessoas normais sonham.

Eles não sentem alegria da maneira que as pessoas normais o fazem. Eles não se sentem satisfeitos com as coisas que comumente levantam o resto de nós. Eles são incapazes de amar os outros. Eles são incapazes de se arrepender por suas ações, e só se arrependem de não conseguir o que querem. Eles não veem as outras pessoas como indivíduos, eles as veem como ferramentas a serem exploradas.

Ser sociopata, porém, não significa que ser ignorante do que faz o resto de nós funcionar. Pelo contrário, os sociopatas são muito bons em identificar os desejos e impulsos pessoais dos outros, e imitar as pessoas de uma forma que os faz parecer “humanos”. Eles são parasitas por natureza e, portanto, precisam ser capazes de se aproximar de suas vítimas, se quiserem sobreviver.

A dinâmica globalista é interessante na medida em que é um exemplo de sociopatia narcísica organizada. Globalistas têm estado à frente de numerosas guerras, colapsos econômicos e tiranias ao longo dos anos, todos terminando em grande sofrimento para as massas. Ao contrário da crença popular, sociopatas e psicopatas trabalham juntos em direção a um objetivo comum, desde que haja um sentimento de benefício mútuo.

Na verdade, essas pessoas parecem gravitar umas às outras de formas estranhas. Acredito que as hierarquias globalistas realmente buscam pessoas com personalidades narcísicas e sociopatas; que eles fazem isso deliberadamente quando desejam expandir suas fileiras. Estes parecem ser os únicos aspectos que todos eles têm em comum.

É uma ‘teoria da conspiração’, eu sei. Mas olhe dessa maneira, de que outra forma podemos explicar suas tendências e comportamentos? Se a aniquilação organizada era um valor intrínseco da humanidade, então teríamos morrido há muito tempo. Os globalistas não são humanos, no entanto. Eles são algo oposto, e se você não entende essa verdade fundamental, eles podem ser desconcertantes e aterrorizantes.

Por Brandon Smith

(Fonte)


Se o que o autor escreveu acima for verdade, e pode muito bem ser, fica fácil compreender porque a maioria dos políticos agem como o fazem, sempre legislando em causa própria, dando a ilusão às massas de que estão do lado da população, somente jogando migalhas a ela. 

Daí, pensou eu, se eu fosse um alienígena querendo controlar um planeta, tudo que eu teria que fazer é ter na palma da minha mão um punhado dos mais poderosos sociopatas naquele mundo, manipulando-os em troca de favores, que a eles pareceriam como grandes e exclusivas vantagens.

Talvez isso explicaria o esforço incomum daqueles que realmente estão no poder para manterem a realidade extraterrestre longe das massas. Afinal, se tudo fosse descoberto, eles perderiam seus benefícios, não é mesmo?

Ou talvez tudo que escrevei não passe de uma teoria maluca da conspiração. Mesmo assim, um bom exercício mental em busca da verdade.