web analytics

Agência espacial aumenta o risco de colisão entre asteroide e a Terra

Tempo de leitura: 2 minutos

* Conteúdo da matéria com veracidade comprovada, de fontes originais fidedignas. (Em se tratando de tese ou opinião científica, só pode ser garantida a veracidade da declaração da pessoa envolvida, e não o fato por ela declarado.) (Missão do OVNI Hoje)

Agência espacial aumenta o risco de colisão entre asteroide e a Terra

O Centro de Coordenação de Objetos Próximos da Terra, da Agência Espacial Européia – o principal observatório do mundo para blocos de rocha que orbitam perto do planeta – elevou o nível de risco para um dos 19.563 asteroides e 107 cometas relacionados que passam pela vizinhança da Terra.

De acordo com a agência, observações recentes de um asteroide descoberto no ano passado e nomeado XB 2018, levaram a um novo cálculo de sua probabilidade de impactar o planeta.

Agora ele é considerado o quinto mais objeto próximo da Terra mais perigoso – mas ainda representa muito pouco motivo de preocupação.

Estima-se agora que o XB 2018 tenha “uma probabilidade de cerca de 1 em 7000 de colidir com a Terra no ano 2092”, informa a ESA no seu mais recente boletim.

Esta classificação de risco pode mudar novamente – para cima ou para baixo.

A posição orbital atual do objeto torna difícil sua observação, mas os astrônomos estão confiantes de que ele se tornará visível novamente no final do ano.

Nenhum desses atrasos é provável para um dos objetos próximos da Terra mais recentemente descobertos, chamado 2019 AQ3.

Detectada pela primeira vez em janeiro por astrônomos da Zwicky Transient Facility, no Monte Palomar, na Califórnia – Estados Unidos, o bólido de um quilômetro de diâmetro foi confirmado como tendo o menor período orbital de todos os asteroides conhecidos.

Ele completa sua jornada em torno do sol, aproximando-se do caminho orbital de Mercúrio em uma extremidade e passando próximo ao de Vênus na outra, em apenas 165 dias.

O 2019 AQ3 não é considerado provável que chegue à Terra, mas a Lista de Riscos oficial da ESA contém 816 objetos que têm uma probabilidade de fazê-lo em algum momento no futuro. Eles variam de rochas com um diâmetro de apenas nove metros, a monstros de dois quilômetros de diâmetro.

Um deles é o 101955 Bennu, um asteroide do grupo Apollo, identificado pela primeira vez em 1999.

Bennu é atualmente objeto de intenso escrutínio pela sonda Osiris-Rex, da NASA, que atualmente está em uma órbita próxima em torno do objeto, e irá pousar brevemente, coletar algum material da superfície e devolvê-lo à Terra.

Este asteroide tem a segunda maior classificação de risco na Escala de Risco de Impacto Técnico de Palermo – uma ferramenta de avaliação de risco usada pelos astrônomos para calcular os perigos impostos pelo Objetos Próximos à Terra. Considera-se que Bennu tenha uma chance em 2700 de atingir a Terra entre 2175 e 2199.

No geral, o número de Objetos Próximos à Terra – a grande maioria deles representando nenhum perigo – continua a crescer. A ESA adicionou 271 novos candidatos à sua lista no primeiro mês de 2019.

(Fonte)


Lembrando também que sempre há aqueles “pedregulhos” que pegam os astrônomos de surpresa, depois de passarem “raspando” pela Terra, ou então entrando mesmo em nossa atmosfera, como foi o caso do meteoro de Chelyabinsk, na Rússia, em fevereiro de 2013, que causou muitos estragos e ferimentos nos moradores daquela cidade.

n3m3

Você pode ajudar na manutenção do OVNI Hoje. Clique aqui para saber mais.

O OVNI Hoje TAMBÉM ESTÁ NAS REDES SOCIAIS: