web analytics

Inteligência Artificial descobre evidência de espécie desconhecida no DNA Humano

Tempo de leitura: 2 minutos
Inteligência Artificial descobre evidência de espécies desconhecidas no DNA Humano

De acordo com um artigo publicado na Nature Communications, cientistas do Instituto de Biologia Evolutiva (IBE), do Centro Nacional de Análises Genómicas (CNAG-CRG) do Centro de Regulação Genômica (CRG) e da Universidade de Tartu, utilizaram com sucesso algoritmos de profundo aprendizado de Inteligência Artificial para identificar a existência de uma terceira espécie humana desconhecida no genoma de indivíduos asiáticos.

Sabemos que os humanos modernos cruzaram com os neandertais na Eurásia e denisovanos na Ásia e Oceania, mas cientistas teorizaram que pode ter havido uma terceira espécie de hominídeo que entrou no genoma humano moderno. Agora, graças a esses algoritmos de aprendizagem profunda, isso foi confirmado. A identidade de terceira espécie ainda é um mistério, mas cientistas acreditam que esta espécie pode ter sido uma espécie híbrida de neandertais e denisovanos. Isso reforçaria o argumento de que os restos de um híbrido Neandertal-Denisovano, encontrado no verão passado em uma caverna em Denisova, não foi um incidente isolado, mas evidência de uma progressão evolutiva em andamento.

Segundo Mayukh Mondal, pesquisador da Universidade de Tartu:

Nossa teoria coincide com o espécime híbrido descoberto recentemente em Denisova, embora ainda não possamos descartar outras possibilidades.

O atual modelo de evolução humana sustenta que, há cerca de 80.000 anos, os humanos modernos deixaram o continente africano e começaram sua migração pelo resto do mundo. Até 40.000 anos atrás, os humanos modernos coexistiam com as outras espécies conhecidas de hominídeos, neandertais e denisovanos. Estudos recentes determinaram que essas outras espécies de hominídeos se misturaram com seres humanos, dando-nos a estranha “caçarola hominídea” que todos nós, pessoas bonitas, somos hoje. Embora as descobertas recentes não mudem isso, isso nos lembra que a imagem toda é um pouco mais complicada do que anteriormente determinada.

Embora a teoria de uma terceira espécie de hominídeo tenha existido por um tempo, foi apenas através de algoritmos de aprendizagem profunda que os cientistas conseguiram provar isso.

De acordo com Òscar Lao, investigador principal do CNAG-CRG:

[Aprendizagem profunda] é um algoritmo que imita a maneira como o sistema nervoso dos mamíferos funciona, com diferentes neurônios artificiais que se especializam e aprendem a detectar, em dados, padrões que são importantes para a realização de uma determinada tarefa. Usamos essa propriedade a fim de obtermos o algoritmo para aprender a prever a demografia humana, usando genomas obtidos por meio de centenas de milhares de simulações. Sempre que executamos uma simulação, estamos percorrendo um caminho possível na história da humanidade. De todas as simulações, o aprendizado profundo nos permite observar o que faz o quebra-cabeça ancestral se encaixar.

Esta é a primeira vez que a aprendizagem profunda tem sido capaz de explicar parte da história humana, e os pesquisadores estão entusiasmados com as implicações que isso tem na biologia, na genética e na evolução.

Eu aposto um bom dinheiro que mais à frente essa coisa de IA vai começar a nos alimentar com desinformação. Mais cedo ou mais tarde, haverá um artigo de jornal intitulado “Algoritmos de Aprendizagem Profunda Determinam que os Seres Humanos Nasceram para Servir a Grande Máquina”, e você desejará ter tido a perspicácia de ter construído uma bela cabana nas montanhas.

(Fonte)


Deixa ver se eu entendi direito. O texto diz que: “Estudos recentes determinaram que essas outras espécies de hominídeos se misturaram com seres humanos”. Mas então, de onde vêm esses humanos que se misturaram com outras espécies de hominídeos?

Certamente, uma história muito mal contada.

n3m3