web analytics

Asteroide com nome do deus da destruição tem boa chance de causar isso

Tempo de leitura: 3 minutos
Asteroide com nome do deus da destruição

Se você der o nome a seu filho de “Matador”, você deve ficar preparado para aceitar as consequências… ou pelo menos para as contas de terapia. Portanto, não é de surpreender que um asteroide com o nome de um antigo deus egípcio da destruição, escuridão e maldade (aparentemente, no caso de asteroides, isto não é redundante) esteja realmente previsto para causar destruição, escuridão e maldade. Não só isso, seu tempo estimado de chegada é de poucas décadas a partir de agora. Haverá tempo para enviar uma força de bem, luz e integridade (com uma ogiva nuclear, é claro) para pará-lo?

A aproximação [do asteroide] provoca uma dispersão significativa de possíveis trajetórias, dentre elas trajetórias indicando uma convergência em 2051. Outras reentrâncias da ressonância orbital contêm um grande número (cerca de cem) de possíveis colisões entre Apophis e a Terra, a mais perigosa delas em 2068.

Embora você possa não estar se preocupando com o 99942 Apophis, os cientistas russos estão. Em um novo relatório a ser apresentado na 43ª Korolev Readings on Cosmonautics (um fórum científico anual dedicado à memória de Sergei Korolev – um engenheiro de foguetes considerado o Robert Goddard da União Soviética e o pai da astronáutica prática), pesquisadores da Universidade Estadual de São Petersburgo preveem que o Apophis chegará a 16 milhões de quilômetros da Terra em 2044, a 760.000 de quilômetros em 2051, menos de cinco milhões de quilômetros em 2060 e 100.000 quilômetros em 2068. (Para referência, a Lua está a 385.000 quilômetros da Terra.

Asteroide com nome do deus da destruição tem boa chance de causar isso 1
Apophis batendo no buraco da fechadura em 2029

Isso não parece tão mal, certo? Mas fica pior, de acordo com o Sputnik News, (coincidência interessante – Sergei Korolev trabalhou no Sputnik 1, o primeiro satélite artificial). O Apophis também está fazendo uma passagem muito próxima pela Terra em 2029 (dentro de 37.600 km) e ela irá determinar se e quando o asteroide atingirá a Terra em uma viagem futura (e última). Assim, o Apophis poderia passar por um minúsculo buraco de fechadura gravitacional que alteraria sua trajetória o suficiente para causar uma colisão na sua passagem de 2036.

Sim, já ouvimos falar disso muitas vezes antes, desde que ele foi descoberto em 2004 (quando os observadores iniciais previram uma chance de 2,7% dele nos atingir em 2029. Revisões subsequentes nos cálculos eliminaram a probabilidade de uma colisão em 2029, mas vieram com a possibilidade do “buraco de fechadura” em vez disso.

Asteroide com nome do deus da destruição tem boa chance de causar isso 2
Apophis, o deus egípcio da destruição, é frequentemente descrito como uma serpente

Que tipo de impacto teria essa rocha com o diâmetro de 350 metros? A Sentry Risk Table estima que o Apophis faria entrada atmosférica com 750 megatons de energia cinética. Para comparações, o evento siberiano de Tunguska, em 1908, foi na faixa de 3 a 10 megatoneladas, e a maior bomba de hidrogênio já explodida foi de cerca de 57 megatons.

Enquanto os anti-conspiracionistas dizem que as chances de uma colisão do Apophis são muito baixas, e que não há necessidade de sequer estar falando sobre isso, os cientistas russos certamente não pensam assim, como evidenciado pela apresentação na Korolev Readings. E a “força de um bom ataque nuclear contra o asteroide do mal” é uma opção real estudada por pesquisadores da Universidade Estadual de Tomsk, na Sibéria.

Por que os siberianos estão tão preocupados? Um asteroide pode atacar duas vezes no mesmo lugar? Neste caso, por que os russos? Eles sabem algo que não sabemos? Ou algo que a NASA não nos diz?

Parece haver relatos mensais de asteroides que passam muito perto da Terra sem aviso prévio. É torcida ou medo nossa preocupação com a possibilidade de uma rocha espacial atingir a Terra?

Especialmente uma com o nome do deus da destruição?

(Fonte)


Esse números ainda vão mudar, e o asteroide que vai nos atingir chegará de surpresa, sem que ninguém o tenha visto, até ser muito tarde.