web analytics

Alienígenas humanoides – como em Star Trek – podem ser reais, argumenta pesquisador

Tempo de leitura: 2 minutos
Alienígenas humanoides - como em Star Trek - podem ser reais, argumenta pesquisador

Klingons em ‘Star Trek III: A busca por Spock’. PARAMOUNT PICTURES

É comumente aceito que a vida extraterrestre não se pareça com alienígenas em Star Trek (Jornada nas Estrelas). Alienígenas de verdade, onde quer que estejam e com o que quer que se pareçam, certamente não passaram algumas horas em uma cadeira de maquiagem para adicionar cristas ou gânglios ameaçadores. A possibilidade de que alienígenas possam ser muito estranhos, até mesmo para serem reconhecidos como vida inteligente, tem sido proposta como uma possível resposta ao Paradoxo de Fermi, que pondera porque ainda não encontramos sinais de civilização extraterrestre.

Mas embora possa ser espetacularmente improvável que o primeiro contato dos alienígenas seja com pessoas que se pareçam conosco (exceto com cortes de tigela e orelhas pontudas), um novo livro argumenta que não devemos ser tão rápidos em presumir que a vida extraterrestre será tão estranha e fora do nosso quadro biológico de compreensão. A vida alienígena pode ser mais com em Star Trek do que em Lovecraft.

The Equation of Life: How Physics Shapes Evolution  (A Equação da Vida: Como a Física Modela a Evolução), de Charles Cockell, um astrobiólogo da Universidade de Edimburgo, defende a possibilidade de uma “biologia universal”.

Via Gfycat

“Minha opinião é apoiada por uma simples proposição”, escreve Cockell. “A evolução é apenas uma interação tremenda e empolgante de princípios físicos codificados em material genético. O número limitado desses princípios, expresso em equações, significa que o final desse processo também é contido e universal”.

Cockell argumenta que carbono e água não são apenas incidentais à vida na Terra, mas estão próximos do material ideal e mídia para o surgimento da vida orgânica (portanto, não Horta baseada em silício), eles próprios limitados pelos parâmetros físicos estreitos em que as moléculas orgânicas podem existir.

Extraterrestres poderiam parecer “assustadoramente semelhantes à vida que vemos na Terra”, disse Cockell à Forbes. “A vida na Terra pode ser um modelo para a vida no universo.”

Cockell acredita que as leis físicas subjacentes à evolução provavelmente reverberam através de organismos multicelulares complexos, estabelecendo essencialmente um escopo restrito de possibilidades biológicas, muitas, ou a maioria das quais, já podem ser expressas na Terra.

Cockell até argumenta contra algumas representações comuns de extraterrestres com alta alienação, como a sempre popular “nuvem interestelar inteligente quixotesca”, que pode funcionar muito bem para Rick, Morty e Futurama, mas é improvável que seja uma forma que surgiu por processos evolutivos.

Podemos não estar mais perto de uma verdadeira compreensão da vida extraterrestre, mas a Equação da Vida, pelo menos, dá esperança de que futuras séries de ficção científica não terão que se explicar porque todos os seus alienígenas se parecem com humanos em maquiagem, como Star Trek: The Next Generation fez em um episódio, introduzindo um ancestral comum a humanos, vulcanos, romulanos, klingons e cardassianos. Embora as suposições de Cockell sejam frustrantemente não-testáveis ​​(pelo menos até Zefram Cochrane construir um motor de dobra espacial em 2063 e fazer o primeiro contato com os vulcanos), seu livro dá uma validade argumentativa surpreendente às nossas representações de alienígenas como humanoides de quatro membros e com aparatos sensoriais aproximadamente semelhantes.

(Fonte)


E pelo que as pessoas que alegam ser vítimas de abdução alienígena dizem, todos são mesmo humanoides. Talvez este seja o melhor projeto para vida inteligente neste Universo… ou não.

n3m3