web analytics

Área 122: Este laboratório secreto na Antártica oculta algo muito misterioso

Tempo de leitura: 2 minutos

Área 122: Este laboratório secreto na Antártica oculta algo muito misterioso

Existem numerosas teorias da conspiração em torno deste misterioso laboratório secreto. A área 122 está localizada na ilha de Ross, na Antártica congelada e enigmática, e também não é acessível a todos.

Esta área pertence à ASPA – que significa Área Especialmente Protegida da Antártica. No total há 170 laboratórios ASPA distribuídos em toda a Antártica, a maioria dos quais são usados para pesquisa científica. Uma das teorias da conspiração diz ela é usada para a busca por alienígenas, mas esta tese não pode ser confirmada no momento. A instalação secreta serve os cientistas que trabalham lá para explorar a aurora astral e a camada de ozônio.

A instalação tem uma cúpula que se assemelha a um sistema de radar, mas seu interior é inofensivo e nada misterioso. Os pesquisadores mantêm contato com suas famílias, empregadores, amigos e parentes via satélite.

O mistério está na vigilância militar rigorosa da instalação de pesquisa, que fica nas profundezas das montanhas do Pólo Sul. A área 122 está sob controle militar 24 horas por dia e foi hermeticamente fechada.

Intrusos em potencial, sem liberação de segurança, não teriam a oportunidade de entrar na base. Os soldados em guarda prenderiam a pessoa imediatamente e provavelmente a interrogariam.

A Área 122 é operada pelo Programa Antártico dos Estados Unidos e a Antártica da Nova Zelândia. A equipe de pesquisa tem que trabalhar com computadores antigos que não estão equipados com uma porta USB, mas com uma unidade de disquete. Os computadores funcionam e são usados.

As clarabóias são distribuídas no telhado e oferecem acesso direto ao mundo fora do laboratório secreto. No canto há um espectrômetro de Dobson com um grande periscópio que se projeta dele. O espectrômetro é usado para analisar a camada de ozônio, enquanto outros instrumentos exploram a atmosfera superior e as luzes do norte.

Desde 1959, 122 cientistas da Nova Zelândia trabalham na Área 122, perto da estação de pesquisa norte-americana McMurdo. A estação McMurdo é a maior instalação de pesquisa e logística na Antártida, operada pelo Programa Antártico dos Estados Unidos desde 1955. Quer saber mais? Assista ao vídeo abaixo e deixe seu comentário abaixo.

(Para informações de como ativar a legenda em português do vídeo abaixo, embora ela não seja precisa e possa não funcionar em dispositivos móveis, clique aqui):

(Fonte)


Como sempre, devido ao seu afastamento do resto do mundo, a Antártica sempre levanta muitas teorias nas mentes humanas.

n3m3