“Plutão é mais dinâmico e vivo do que Marte”, diz astrônomo

Tempo de leitura: 2 min.
Plutão é mais dinâmico e vivo do que Marte
Ilustração da superfície de uma das luas de Plutão, com foto de Plutão ao fundo.

“É mais dinâmico e vivo do que Marte”, diz o cientista planetário da Universidade do Centro da Flórida, Philip Metzger. “O único planeta que tem geologia mais complexa é a Terra.” A razão pela qual Plutão perdeu seu status de planeta não é válida, de acordo com uma nova pesquisa da Universidade da Flórida Central em Orlando (de sigla em inglês, UCF).

Em 2006, a União Astronômica Internacional, um grupo global de especialistas em astronomia, estabeleceu uma definição de um planeta que precisava “limpar” sua órbita, ou, em outras palavras, ser a maior força gravitacional em sua órbita.

Como a gravidade de Netuno influencia seu vizinho planeta Plutão, e Plutão compartilha sua órbita com gases congelados e objetos no cinturão de Kuiper, significou que Plutão estava fora do status de planeta. No entanto, em um novo estudo publicado na quarta-feira (5) na revista Icarus, o cientista planetário da UCF Philip Metzger, do Instituto Espacial da Flórida, informou que esse padrão de classificação de planetas não é apoiado na literatura de pesquisa.

Metzger, que é o autor principal do estudo, revisou a literatura científica dos últimos 200 anos e descobriu apenas uma publicação – de 1802 – que usava o requisito da órbita para classificar os planetas, e baseava-se num raciocínio desde então refutado.

Ele disse que luas como Titã de Saturno e Europa de Júpiter têm sido rotineiramente chamadas de planetas por cientistas planetários desde a época de Galileu.

Metzger disse:

A definição da International Astronomical Union – IAU, diria que o objeto fundamental da ciência planetária, o planeta, deve ser definido com base em um conceito que ninguém usa em suas pesquisas, e deixaria de fora o segundo planeta mais complexo e interessante do nosso sistema solar.

Agora temos uma lista de mais de 100 exemplos recentes de cientistas planetários usando a palavra planeta de uma forma que viola a definição da IAU, mas eles estão fazendo isso porque é funcionalmente útil.

É uma definição malfeita. Eles não disseram o que queriam dizer com “limpar sua órbita”. Se você tomar isso literalmente, então não há planetas, porque nenhum planeta limpa a sua órbita.

O cientista planetário disse que a revisão da literatura mostrou que a divisão real entre planetas e outros corpos celestes, tais como asteroides, ocorreu no início da década de 1950, quando Gerard Kuiper publicou um artigo que fez a distinção baseada em como eles foram formados.

No entanto, mesmo este motivo não é mais considerado um fator que determina se um corpo celeste é um planeta, disse Metzger.

O co-autor Kirby Runyon, do Laboratório de Física Aplicada da Universidade Johns Hopkins em Laurel, Maryland (EUA), disse que a definição da IAU era errônea, pois a revisão da literatura mostrou que a órbita de limpeza não é um padrão usado para distinguir asteroides de planetas, como a IAU reivindicou ao elaborar a definição de planetas de 2006.

Runyon disse:

Nós mostramos que esta é uma afirmação histórica falsa. Portanto, é falacioso aplicar o mesmo raciocínio a Plutão.

Metzger disse que a definição de um planeta deve basear-se em suas propriedades intrínsecas, em vez de em mudanças que podem mudar, como a dinâmica da órbita de um planeta.

Ele disse:

A dinâmica não é constante, ela está mudando a todo o momento. Então, ela não é a descrição fundamental de um corpo, ela é apenas a ocupação de um corpo na era atual.

Em vez disso, Metzger recomenda classificar um planeta com base em se ele é grande o suficiente para que sua gravidade o torne esférico em forma.

Metzger continuou:

E isso não é apenas uma definição arbitrária. Acontece que este é um marco importante na evolução de um corpo planetário, porque aparentemente quando isso acontece, ele inicia a geologia ativa no corpo.

Plutão, por exemplo, tem um oceano subterrâneo, uma atmosfera multicamada, compostos orgânicos, evidência de antigos lagos e múltiplas luas, ele disse.

(Fonte)


Então, quando irão mudar Plutão novamente ao status de planeta?  E se isto acontecer, teremos novamente e oficialmente 9 planetas no sistema solar… sem contar é claro com aquele elusivo Planeta 10, ou Planeta X, ou Ni… …bem, deixa para lá. Isto é tema para outro artigo.

n3m3

-------

BOMBANDO NO planetaabsurdo.com.br:

PRESENTE PARA BEBÊ COMPRADO EM LOJA DA FLÓRIDA CONTINHA UM RIFLE CARREGADO

-------

AVISO: Todos são bem-vindos a participar da área de comentários abaixo. Contudo, os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprios autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências ou conflitos por eles causados.

Também informamos que, a fim de não causar distrações e conflitos desnecessários, comentários, avatares e pseudônimos com viés político, seja de qual ideologia for, serão prontamente apagados quando encontrados pelos moderadores. O foco dos comentários deve ser mantido no assunto de cada artigo e somente desviado quando for pertinente ao tema do OVNI Hoje.

Assim, colabore com o bom andamento dos comentários, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando comentários fora do padrão como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado direito de cada comentário.

Obrigado.