web analytics

Rocha extraterrestre sobrevive ao incêndio do Museu Nacional do Brasil

Tempo de leitura: 2 minutos

(Como todos já devem saber), um grande incêndio ocorreu no Museu Nacional do Rio de Janeiro, um dos mais antigos do Brasil. No entanto, no meio da enorme tragédia, os fotógrafos registraram uma foto que surpreendeu a todos.

Rocha extraterrestre sobrevive ao incêndio do Museu Nacional do Brasil

O que sobrou da sala que continha o meteorito (TV Globo)

O desastre do Museu Nacional do Brasil, fundado em 1818, não tem como ser reparado. As peças históricas que foram perdidas incluem documentos do Império, artefatos greco-romanos, fósseis e a maior coleção de peças egípcias da América Latina.

No entanto, a imagem de um pequeno milagre surpreendeu os especialistas: um meteorito resistiu às chamas e permanece intocado no meio do desastre de proporções incalculáveis.

Rocha extraterrestre sobrevive ao incêndio do Museu Nacional do Brasil 1

Os especialistas explicaram que as pedras que caem do espaço para a superfície do planeta são fragmentos de corpos extraterrestres, como asteroides ou cometas, que sobrevivem à entrada da atmosfera terrestre e às altas temperaturas. Mas sua origem é um mistério, além das teorias que acionam a análise de sua composição.

No museu estava a maior coleção de meteoritos no Brasil, com 62 peças. O mais famoso se chama Bendegó e foi encontrado na Bahia no século XVIII, diz O Globo.

Rocha extraterrestre sobrevive ao incêndio do Museu Nacional do Brasil 2

O incêndio começou por volta das 19h30, horário local, no domingo (02), por razões desconhecidas, quando fechou as portas ao público.

As cenas de trabalhadores da instituição lamentando o incidente são impressionantes. Lilian, bióloga e vice-reitora do museu, exclamou entre lágrimas:

São 200 anos do museu, este é o trabalho de vida de muitas pessoas; são coleções de zoologia, botânica … tudo perdido, tudo perdido’,

Rocha extraterrestre sobrevive ao incêndio do Museu Nacional do Brasil 3

Uma sala do museu, antes do desastre.

Outras peças valiosas foram um esqueleto de dinossauro encontrado em Minas Gerais, e Luzia, o fóssil humano mais antigo do Brasil. Mensalmente, de 5 mil a 10 mil pessoas, visitavam o local.

(Fonte)


Obviamente as rochas espaciais sobreviveram ao incêndio, pois passam por provas de resistência muito mais intensas do que foi este terrível incêndio. Mas a imagem que vemos nessa foto é realmente chocante.

Quanto a esta tragédia cultural que foi o incêndio, talvez seja um sinal de que já passou da hora de passarmos o Brasil a limpo. E não estou me referindo só na questão política, mas também pessoal.

Mas este não é o foco do OVNI Hoje.

n3m3