Gravações da viagem à Lua são descobertas depois de 49 anos

Tempo de leitura: 2 min.

Gravações da viagem à Lua são descobertas depois de 49 anos

A NASA fez história em 20 de julho de 1969, quando pousou com sucesso dois humanos na superfície da Lua e os retornou para casa.

O mundo inteiro testemunhou o momento em que o astronauta Neil Armstrong pôs os pés na Lua através de seus televisores, prendendo a respiração enquanto ele dizia: “Um pequeno passo para o homem…”

Mas pesquisadores da Universidade do Texas, Dallas (UT Dallas) ), agora lançaram centenas de gravações de áudio gravados durante a missão de oito dias e três horas.

As fitas, que até agora estavam trancadas em cofres especiais controlados pelo clima, revelam as conversas sinceras realizadas entre os astronautas da Apolo 11 e o Controle da Missão em Houston.

A missão Apolo 11 decolou da Terra com os astronautas Neil Armstrong, Buzz Aldrin e Michael Collins em 16 de julho de 1969, antes de mergulhar de volta no Oceano Pacífico em 24 de julho.

Durante essa jornada monumental até a Lua, centenas de conversas de áudio eram transmitidas entre os astronautas e a NASA pelos chamados loops de comunicação.

Até agora, as gravações dos bastidores e as discussões sobre os sistemas técnicos eram mantidas em segredo. Mas um esforço colaborativo entre a NASA e a UT Dallas recuperou e digitalizou meticulosamente mais de 19.000 horas de áudio que agora estão disponíveis para serem ouvidas on-line.

NASA astronautas Neil Armstrong e Buzz Aldrin foram os dois primeiros homens na lua (Imagem: NASA)

Entre as gravações de áudio estão verdadeiras pérolas, tais como Buzz Aldrin pedindo aso Controle da Missão para girar a Terra, a fim de que ele tenha uma visão melhor.

Ele pode ser ouvido dizendo sobre a estática:

Ei Houston, eu achei que você poderia girar a Terra um pouco para que pudéssemos ver um pouco mais do que apenas água?

Ao que o Controle da Missão responde:

Entendido, e eu não acho que temos muito controle sobre isso. Parece que você terá que se conformar com a água.

Greg Wiseman, engenheiro de áudio principal do projeto para o Gabinete de Comunicações e Relações Públicas da NASA, revelou que o incrível esforço para restaurar as fitas começou no final de 2013.

Ele disse:

Foi uma tarefa tão intensa, tantos desafios, muitos problemas para resolver.

Wiseman disse que o desafio só foi possível graças a muitas pessoas que se preocuparam em preservar a história do pouso na Lua e encontrar uma maneira de compartilhá-lo com o público.

Cada uma das fitas de áudio enviadas on-line vem com uma transcrição das várias vozes que chegam nos intercomunicadores.

Uma fita gravada em torno da fase de ventilação de combustível do módulo de pouso lunar diz:

– Entendido, lemos cinco por cinco aqui.

– Sim, ela pousou. Á Águia da Base Tranquilidade está em Tranquilidade, câmbio.

(Fonte)

Colaboração: Diana Artemis


A NASA tem um histórico conturbado sobre a preservação dos dados e da tecnologia que teria levado a humanidade até a Lua nas décadas de 1960 e 70, muitas vezes alegando ter “jogado no lixo” informações históricas do que teria sido um dos maiores feitos da humanidade.

Mas assim é a NASA.

n3m3

-------

BOMBANDO NO planetaabsurdo.com.br:

JOSEPH PUJOL: O PEIDADOR PROFISSIONAL QUE ENTRETINHA ATÉ A REALEZA

-------
-------

AVISO: Todos são bem-vindos a participar da área de comentários abaixo. Contudo, os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprios autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências ou conflitos por eles causados.

Também informamos que, a fim de não causar distrações e conflitos desnecessários, comentários, avatares e pseudônimos com viés político, seja de qual ideologia for, serão prontamente apagados quando encontrados pelos moderadores. O foco dos comentários deve ser mantido no assunto de cada artigo e somente desviado quando for pertinente ao tema do OVNI Hoje.

Assim, colabore com o bom andamento dos comentários, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando comentários fora do padrão como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado direito de cada comentário.

Obrigado.