NASA pode ter descoberto e então destruído matéria orgânica em Marte, em 1976

descoberto e então destruído matéria orgânica em Marte
Esta visão do Viking 2 mostra a Utopia Planitia em Marte em 1976. Alguns pesquisadores acreditam que o principal instrumento da sonda Viking pode ter queimado moléculas orgânicas em amostras de solo coletadas. Crédito: NASA / JPL-Caltech

Mais de 40 anos atrás, uma missão da NASA pode ter destruído o que teria sido a primeira descoberta de moléculas orgânicas em Marte, de acordo com uma reportagem da New Scientist.

Recentemente, a NASA causou grande comoção quando anunciou que seu jipe-sonda Curiosity descobriu moléculas orgânicas – que compõem a vida como a conhecemos – em Marte. Isso ocorreu após a primeira confirmação de moléculas orgânicas em Marte, em 2014. Mas, como pequenos meteoritos ricos em carbono atacam com frequência o Planeta Vermelho, os cientistas suspeitam há décadas de que os orgânicos existem em Marte. Mas os pesquisadores ficaram chocados em 1976, quando a NASA enviou duas sonda Viking a Marte para procurar pela primeira vez por matéria orgânica e não encontrou absolutamente nenhuma.

Os cientistas não sabiam o que fazer com as descobertas dos Vikings – como não poderia haver matéria orgânica em Marte? “Foi completamente inesperado e inconsistente com o que sabíamos”, disse Chris McKay, cientista planetário do Ames Research Center da Nasa, ao New Scientist.

Uma possível explicação surgiu quando a sonda Phoenix da NASA encontrou perclorato em Marte, em 2008. Este é um sal usado para fazer fogos de artifício na Terra; torna-se altamente explosivo sob altas temperaturas. E embora a superfície de Marte não seja muito quente, o principal instrumento a bordo das sondas da Viking, o espectrômetro de massa com cromatógrafo a gás (GCMS), teve que aquecer as amostras de solo marciano para encontrar moléculas orgânicas. E porque o perclorato está no solo, o instrumento teria queimado qualquer material orgânico nas amostras durante este processo.

A descoberta do perclorato reacendeu as convicções dos cientistas de que as sondas Viking poderiam ter encontrado compostos orgânicos em Marte. “Você tem uma nova visão e percebe que tudo o que descobriu estava errado”, disse McKay.

Entretanto, descobrir que o perclorato não forneceu uma prova concreta de que as sondas Viking encontraram e acidentalmente destruíram moléculas orgânicas, de modo que a investigação continuou.

A variedade de moléculas orgânicas que o Curiosity descobriu recentemente no Planeta Vermelho incluiu o clorobenzeno. Essa molécula é criada quando moléculas de carbono queimam com perclorato, então os cientistas suspeitam que ela poderia ter sido criada quando as amostras de solo foram queimadas, de acordo com o New Scientist.

Pesquisadores foram inspirados por essa evidência indireta a cavarem um pouco mais e encontrar mais evidências de que as sondas Viking poderiam ter encontrado e destruído os orgânicos. Em um novo estudo, publicado em junho no Journal of Geophysical Research, Melissa Guzman, do centro de pesquisa LATMOS, na França, McKay e um punhado de colaboradores revisitaram os dados da sonda Viking para ver se alguma coisa estava faltando.

Esta equipe descobriu que as sondas Viking também detectaram o clorobenzeno, que, segundo os pesquisadores, poderia ter se formado a partir da queima de material orgânico nas amostras de solo.

Ainda assim, isso não é prova de que as sondas Viking encontraram moléculas orgânicas e depois as queimaram acidentalmente, disseram os pesquisadores ao New Scientist. Até mesmo os cientistas que completaram esta investigação estão divididos.

Guzman disse que ainda não está completamente convencida de que o clorobenzeno que eles detectaram se formou quando os orgânicos no solo marciano foram queimados. Ela disse que a molécula poderia ter vindo da Terra a bordo do equipamento da NASA.

Mas, apesar desse ceticismo, outros estão convencidos:  “Este artigo realmente selou o acordo”, disse Daniel Glavin ao New Scientist, um astrobiólogo do Goddard Space Flight Center da Nasa, que não esteve envolvido no estudo.

(Fonte)


Se eu fosse um teórico da conspiração, diria que em 1976 a NASA decidiu que a notícia da descoberta de matéria orgânica em Marte não seria adequada para aquele momento, e assim a omitiu.  Mas como não sou (bem, só um pouco, porque ninguém é de ferro 😀 ), diria que foi somente um lapso da agência espacial.

Mas não podemos esquecer como a NASA age, quando seus próprios cientistas descobrem sinais de vida em Marte:

Sim, a NASA ocultou a existência de vida em Marte!

n3m3

AVISO: Todos são bem-vindos a participar da área de comentários abaixo. Contudo, os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprios autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências ou conflitos por eles causados.

Também informamos que, a fim de não causar distrações e conflitos desnecessários, comentários, avatares e pseudônimos com viés político, seja de qual ideologia for, serão prontamente apagados quando encontrados pelos moderadores. O foco dos comentários deve ser mantido no assunto de cada artigo e somente desviado quando for pertinente ao tema do OVNI Hoje.

Assim, colabore com o bom andamento dos comentários, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando comentários fora do padrão como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado direito de cada comentário.

Obrigado.