Surpreendentes informações a respeito do documentário sobre OVNIs da Disney e outras coisas ainda mais surpreendentes

Tempo de leitura: 13 min.

Na primeira parte deste artigo, apresentei a história interna do documentário sobre OVNIs de 1995 da Disney, Alien Encounters, que supostamente foi produzido com o único propósito de promover a nova atração “ExtraTERRORestrial Alien Encounter” da Disneyworld em Orlando, Flórida. O documentário rapidamente se tornou englobado em uma lenda da conspiração de OVNIs, com muitos na comunidade OVNI especulando que era uma espécie de “desacobertamento suave”, pretendido como um teste de reação pública a um possível anúncio futuro de contato extraterrestre. Apesar de a Disney ter estreitos vínculos históricos com o governo e o exército dos EUA, simplesmente não há evidências para apoiar a teoria da aclimatação para o documentário da Disney, embora, certamente, as especificidades de seu conteúdo tenham reforçado fortemente as ideias que até então haviam sido semeadas na comunidade OVNI por agentes de desinformação, datando de pelo menos o início dos anos 80. De acordo com o escritor / produtor, Andrew Thomas, o conteúdo de seu documentário foi criado inteiramente por ele, e a ele foi dado liberdade pela Disney para fazer essencialmente o que quisesse, e foi o que ele fez.

Ainda assim, por razões detalhadas na primeira parte do artigo, o documentário Alien Encounters continua a ser uma estranheza, tanto pelo conteúdo, quanto pelo que seu diretor, Andrew Thomas, descreve como programação de TV “completamente contra-intuitiva” da Disney. Ele transmitiu em apenas um punhado de cidades dos EUA, em horários inoportunos, em datas selecionadas em fevereiro e março de 1995, sem aviso prévio. O resultado, diz Thomas, era que “ninguém estaria assistindo isso”. Uma estratégia de marketing incrivelmente estranha considerando que seu objetivo era promover uma atração principal do parque temático para as famílias.

A atração “ExtraTERRORESTRIAL Encounter” da Disney, que encerrou em 2003.

A Disney, uma das maiores corporações do mundo, não é conhecida por estratégias de marketing pobres e, no entanto, não só mostrou habilidades terríveis de promoção para seu documentário sobre OVNIs de 1995, mas essa mesma e chocante ausência de know-how de relações públicas também foi exibida pela Disney em outro projeto relacionado aso OVNIs durante o mesmo período.

Alguns meses antes da transmissão do documentário Alien Encounters, em janeiro de 1995, a Disney fez uma ação sem precedentes de organizar uma grande conferência de OVNIs em seu balneário de Orlando, intitulado “UFOs: The Reality of the Phenomenon” (OVNIs: A Realidade do Fenômeno). Como com o documentário, o objetivo oficial da conferência foi o de ajudar a promover sua nova atração “ExtraTERRORestrial“. A Disney procurou reunir os especialistas mundiais em OVNIs durante várias semanas. Estes incluíram nomes principais da época, como Budd Hopkins, George Knapp, Don Schmitt, Kevin Randle e Zecharia Sitchin, entre outros. Tal alinhamento, no auge da histeria OVNI na América normalmente teria atraído muitas centenas, senão milhares, de participantes. Curiosamente, a Disney escolheu não anunciar seu caro evento. Como resultado, os principais oradores de OVNIs do mundo falaram para quase ninguém.

A entrada para a conferência sobre OVNIs da Disney de 1995. Foto cortesia de Don Ecker.

O homem encarregado de organizar a conferência para a Disney foi Don Ecker, Diretor de Pesquisa da UFO Magazine, na época a publicação OVNI mais popular do mundo. Eu entrevistei Ecker em 2015. “De certa forma”, disse Ecker, “a conferência da Disney é um incidente lendário sombrio na história dos OVNIs nos Estados Unidos”.

Ecker lembrou:

Este seria um evento de duas semanas e a Disney queria que eu fosse o anfitrião. Eles me levariam para Orlando. Eu seria a pessoa que escolheria todos os palestrantes e organizando a sequência dos mesmo. Havia dois grupos de palestrantes. Um grupo para a primeira semana, o segundo grupo para a segunda semana. A Disney havia separado um auditório para tudo isso.

[NOTA: David Halperin, cujo trabalho é referenciado na Parte Um, tem o evento com duração de quatro semanas, e não dois].

Palestrantes na conferência sobre OVNIs da Disney de 1995, em Orlando, Flórida. Daa esquerda para a direita: Russ Estes, Vicki Ecker, Yvonne Smith, Don Ecker, George Knapp, Kevin Randle e Zecharia Sitchin. Foto cortesia de Don Ecker.

Não foi até que a conferência começou que Ecker soube da não promoção do evento da Disney. Ele me disse, ainda com descrença:

A Disney nunca deu a isso um mínimo de promoção. Eles não promoveram nada. Nas duas semanas em que estávamos lá, o dia mais frequentado para palestrantes em um auditório que poderia ter sentado várias centenas, talvez tínhamos no máximo de 10 ou 12 participantes. Não tínhamos praticamente nenhuma audiência. Que a Disney não promoveu, não teve sentido para mim, e agora ainda não faz sentido para mim.

Ecker disse que o investigador de abdução Budd Hopkins estava particularmente indignado com a falta de participantes: “Ele apenas levantou e saiu no meio da semana. Nem sequer se despediu ou agradeceu”. Apesar da falta quase total de participantes, os outros oradores (aproximadamente vinte no total) ainda deram suas palestras preparadas a cada dia, com base em suas pesquisas.

Mais conferencistas da Disney. Da esquerda para a direita: Don Ecker (em pé), Jesse Marcel Jr., Don Schmitt, Bruce Cornet, William Bramley, Budd Hopkins, Barry Taff, Clifford Stone, Stanley McDaniel. Foto cortesia de Don Ecker.

A conferência não poderia ter sido barata. “Esses oradores receberam passagens de avião para voar, hospedagem e refeições por duas semanas, tudo pago pela Disney”, disse Ecker.

Na noite final, durante uma refeição de despedida no balneário, Ecker recebeu um agradecimento oficial da Disney World. Ecker me disse com desgosto:

Eles me presentearam com um “Mousker“. Este drone da Disney – esse auxiliar – veio correndo até mim e disse: “Sr. Ecker, temos algo que queremos lhe presentear.” Então, eu o segui literalmente para um corredor atrás de uma das grandes salas. Um executivo da Disney veio até mim, junto com outra criança carregando uma caixa de papelão. O garoto alcançou a caixa, tirou esta estátua do Mickey Mouse e me apresentaram. Essa foi a maneira deles agradecerem pelo trabalho que fiz durante duas semanas, montando esse evento. Olhando para isso em retrospectiva, senti que me levaram ao banho, deixaram cair o sabonete na minha frente e me pediu para me inclinar e pegá-lo.

O “Mousker” apresentado a Don Ecker pela Disney, por ter organizado a conferência OVNI. Sua placa diz: “Para Don Ecker, UFO, Agradecimentos da equipe de publicidade, Walt Disney World Resort, ‘UFO Summit – 1995.”

Tudo parecia desafiar a lógica do ponto de vista do marketing. A Disney criou uma atraente atração temática alienígena e afirmou querer promovê-la através de uma campanha de marketing de duas vertentes que consistiam em uma conferência de várias semanas na Disney World e um documentário associado (Alien Encounters). No entanto, inexplicavelmente, a Disney não promoveu a conferência, nem o documentário, tornando-os inteiramente inúteis como ferramentas de marketing. “Era basicamente como se a Disney tivesse levado dezenas de milhares de dólares, queimando-os em uma fogueira”, disse Ecker.

Poderia ter havido um motivo oculto por detrás da conferência? Ela foi realizada em meados da década de 1990, antes do domínio global da Internet e do e-mail, antes que os ovniólogos começassem a compartilhar todo o trabalho on-line. Com isso em mente, a conferência poderia ter sido uma oportunidade orquestrada para que as agências de inteligência montassem sob um mesmo teto as principais figuras em ovniologia por um longo período de tempo para simplesmente tomar o pulso atual da subcultura OVNI e, talvez, continuar a semear e orientar isso a serviço de seus próprios objetivos de guerra psicológica? Estamos profundamente em território especulativo aqui, mas as justificativas lógicas para a conferência são difíceis de encontrar. Não foi promovida. Não teve platéia. Na minha opinião, não serviu nenhum propósito óbvio, a menos que seu propósito tenha sido a coleta de informações. Dado o histórico documentado de interseções entre OVNIs, Disney e o oficialismo, essa teoria pode fazer pelo menos algum sentido. Em seu livro, The Trickster ande the Paranormal (O Embusteiro e o Paranormal – em tradução livre), George P. Hansen observa:

Qualquer análise legítima que tente explicar a crença sobre os OVNIs deve reconhecer que a subcultura OVNI está inundada de desinformação disseminada pelo pessoal do governo, e que isso tem desempenhado um enorme papel na formação da subcultura. Praticamente todos os investigadores de OVNIs que fazem apresentações públicas regulares são de tempos em tempos abordados por pessoas que afirmam ter visto materiais ou documentos no serviço militar que confirmaram que o governo tem projetos de OVNIs… Esses informantes de baixo perfil são uma das principais fontes de crenças sobre OVNIs para milhões de pessoas. Suas informações circulam silenciosamente em toda a cultura …

Como com muito mais no mundo estranho dos OVNIs, na ausência de respostas sólidas, nos encontramos percorrendo o que Lorin Cutts denomina a Zona Mitológica OVNI, “a lacuna entre fato e crença, o que vemos e o que queremos ver, o que experimentamos e a forma como interpretamos”. Na ausência de fatos, diz Cutts, “muitas pessoas simplesmente escolhem o que querem acreditar”.

Quando se trata desses casos curiosos do documentário e da conferência sobre OVNIs da Disney, de 1995 , tudo o que eu sei é que não sei no que acreditar. Estou empoleirado num parapeito na “Vila da Indecisão”, com vista para a expansão da Zona Mitológica abaixo. Convido você a se juntar a mim aqui, a balançar os pés e a pensarmos um pouco. Devemos saltar do parapeito, ou cuspir daqui de cima? De qualquer forma, é importante que olhemos com olhos claros e reconheçamos o espetáculo por aquilo que ele é.

-Robbie Graham

(Fonte)

Realmente, este artigo de Robbie Graham, com informações não divulgadas anteriormente, nos coloca para pensar. 

Graham não duvidou da palavra do autor do documentário da Disney, Andrew Thomas, mas e se Thomas simplesmente mentiu?  Muitas variáveis aqui, e muitas mais perguntas do que respostas.

Se ainda não o fez, assista o intrigante documentário da Disney, que pode ser visto no artigo abaixo (clique no título para acessá-lo).

Vídeo documentário raro da Disney falava sobre OVNIs e ETs (Vale a pena ver de novo)

n3m3

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.