Investigador principal dos slides de Roswell pede desculpas pelo fiasco

Tempo de leitura: < 1 min.
macmini_1_zpsib9x40yc
Corpo mumificado de menino de dois anos de idade.

Não vou me estender no assunto, pois na realidade nem vale muito a pena.  Porém este artigo simbolicamente fecha e prega a tampa no caixão da múmia, assim por dizer.

Tony Bragalia, principal investigador dos slides de Roswell admite que aquilo que foi mostrado era, na verdade, a múmia de uma criança.  Ele disse que o que foi apresentado como um alienígena morto, era uma criança nativa americana que viveu na cidade antiga de Mesa Verde.

Bragalia insistiu que o incidente foi um “caso sério de erro de identidade e não uma farsa.  Mas puxa vida, será que não estava na cara ao olhar o slide que se tratava de uma peça de museu?

Veja o que ele disse:

“Eu devo apresentar minhas mais sinceras e profundas desculpas ao povo nativo americano do sudoeste dos Estados Unidos.  Uma de suas crianças, uma criança morta há mais de um século, tornou-se um espetáculo.  Seja lá quem você foi, merece ser respeitado.”

E que tal todos os estudiosos e fãs da ovnilogia por este mundo afora?  Eles também não merecem ser respeitados?

Como mencionei acima, este é um breve artigo, pois não vale a pena desperdiçar tempo nele.  Ele é publicado aqui simplesmente porque nossos leitores merecem saber a verdade.

E, a propósito, a foto (gif) acima mostra com melhor resolução o que dizia na plaqueta que aparece junto ao corpo da criança no slide.

Quem quiser se aprofundar mais sobre as desculpas de Bragalia, basta acessar o seguinte site (em inglês): http://kevinrandle.blogspot.co.uk/2015/05/tony-bragalia-and-end-of-roswell-slides.html

De minha parte, o assunto já esgotou.

n3m3

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.