Teriam bases alienígenas sido descobertas nas montanhas Bucegi, na Romênia? Parte IV

Tempo de leitura: 2 minutos

Abaixo, a quarta parte do documentário:

V. Os segredos das Montanhas Bucegi – Ano 2003.

Eles foram capazes de conseguir uma penetração de aproximadamente 60 a 70 metros da primeira barreira energética, e alcançaram a primeira galeria, que parecia como um túnel de metrô.  Suas paredes eram perfeitamente polidas.  No final do túnel havia um enorme portão de pedra, que estava protegido por uma barreira energética invisível.  Três membros da primeira equipe especial de intervenção tentaram tocar a porta e imediatamente morreram de falência cardíaca.  Qualquer objeto (rocha, plástico, metal ou madeira) jogado contra a barreira imediatamente virava pó.  Dois generais do Pentágono e um conselheiro presidencial dos EUA chegaram ao local.

 

VI. A grande galeria

Além desta formidável barreira energética, que causou a morte em três pessoas, também havia um portão de rocha sólida.  Na parede do túnel, bem na frente do portão, havia uma área de 20 centímetros quadrados, sobre a qual estava desenhado um triângulo equilátero apontando para cima.  O quadrado estava localizado entre um enorme portão de rocha e uma barreira energética invisível.

Cezar sentiu que havia algum tipo de compatibilidade entre a barreira energética e ele mesmo, algo como uma ‘simpatia’ mútua.  Sua mão tocou levemente a superfície da barreira energética e ele sentiu um formigamento em sua pele.  O escudo era completamente inofensivo a ele, assim ele deu um passo a frente, passando através dele.  As autoridades dos EUA ficaram absolutamente espantados.

Cezar estimou que a barreira teria não mais do que 1 polegada (2,5 cm) de espessura.

Ele tocou o desenho do triângulo localizado no centro do quadrado, e o gigantesco portão de rocha silenciosamente deslizou para a esquerda, indo para dentro da parede.  Aquele comando também cancelou a barreira energética, dando-os acesso à enorme sala, que foi mais tarde chamada de “A Grande Galeria”.

Embora não havia uma fonte de luz visível, a Grande Galeria era perfeitamente iluminada.

Após desligar a primeira barreira energética, o enorme escudo hemisférico no outro lado da galeria de repente vibrou num tom mais alto e começou a emitir radiações mais altas.

Uma análise mais detalhada mostrou que a parede dentro da Grande Galeria parecia ser sintética, mas também parecia que algo orgânico fazia parte dela.  Ela tinha a cor de óleo, mas os reflexos eram verdes e azuis.

Testes feitos mais tarde revelaram que o material da parede era algo áspero ao toque, mas não podia ser riscado ou dobrado.  O material aguentou todas as tentativas de perfuração ou corte.  Mais tarde, os cientistas tentaram queimar o material mas, de forma misteriosa, as chamas eram absorvidas para dentro dele, deixando-o intocável.

Os cientistas estadunidenses concordaram que o material era uma combinação misteriosa de matéria orgânica e inorgânica.  Após uns 80 metros, a galeria virava repentinamente para a direita, num ângulo agudo.  Mas adiante, uma luz azul cintilante podia ser vista.  A luz azul no final da galeria era o reflexo de um escudo de energia protetor.

Prosseguiremos com a história amanhã.

n3m3

Acesse: Parte III, Parte V

Fonte: humansarefree.com

Colaboração: Ghostfile