Vida em Marte? Congresso na Argentina discutiu esta questão

Tempo de leitura: 2 min.

Pesquisadores do fenômeno OVNI indagaram a grande questão da existência de vida em Marte e sobre os seres “invisíveis”, no 17º Congresso Internacional de Ufologia / Ovnilogia em Capilla del Monte, uma cidade argentina situada a 800 km de Buenos Aires.

A reunião de quatro dias, que finalizou no domingo, atraiu pesquisadores de todo o mundo para discutir o progresso em seus trabalhos, experiências pessoais e registros audiovisuais de contatos com naves alienígenas com os quase 200 aficionados que participaram do congresso.

Completamos o objetivo de desmistificar Marte e mostrar que podemos estar mais próximos do que pensamos“, disse a organizadora do congresso, Luz Mary Lopez, para a agência de notícias espanhola, Efe.

Os participantes ficaram chocados por algumas das revelações, inclusive as dos estadunidenses Andrew Basiago e Laura Eisenhower.

Basiago, que participou da conferência, e Eisenhower, que fez sua apresentação via Skype, disseram que foram escolhidos pelo governo dos EUA para serem tele-transportados em missões secretas à Marte.

Eu estive em Marte 40 vezes e há vida marciana e humana lá“, disse Basiago durante sua apresentação de duas horas para um auditório repleto de pessoas com misturadas emoções de encantamento, ceticismo e empogação.

Deu-me calafrios, mas eles escondem tanta coisa de nós que eu acredito que poderia ser verdade.  Eu já vi OVNIs e acredito que cientistas não dizem quase nada à população“, falou uma mulher de Cordoba que se identificou somente como Mabel.

Fernando Correa, um astrônomo mexicano e repórter para o programa de TV “Tercer Milenio”, apoiou a história de Basiago.

Há evidência de que já estamos no ‘planeta vermelho’, tal como um site da Google Mars que mostra uma base humana por lá“, disse Correa ao Efe.

O cientista mexicano fez uma das palestras de fechamento, mostrando vídeos de câmeras de segurança que mostravam supostos seres ‘invisíveis’ e ‘sombras’ de todo o mundo.

Hoje, eu tenho que tentar explicar, com a ciência, os assim chamados fenômenos paranormais que, na realidade, são mais normais do que o resto“, disse Correa.

Pesquisadores argentinos também fizeram apresentações na conferência.

Silvia Simondini, que gerencia o Centro Vision OVNI, em Victoria, uma cidade localizada a 200 km de Buenos Aires, discutiu as análises feitas de fragmentos de espaçonaves, histórias locais sobre espaçonaves alienígenas e avistamentos coletivos de OVNIs por toda a Argentina.

Curiosos de toda a América do Sul participaram do evento.

–IANS/EFE

n3m3

Fonte: www.vancouverdesi.com

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.