A Hipótese de Noömass: A Matéria Escura é feita de conhecimento?

O seguinte resumo foi tirado de um artigo no site thenightshirt.com e sugere uma possibilidade que talvez não possa ser descartada:

Seria a 'Matéria Escura' conhecimentoModelos matemáticos apresentados pelos matemáticos escoceses, Arwen Nicholson e Duncan Forgan, ditam que a Terra deveria há muito tempo ter sido visitada por sondas Von Neumann alienígenas (o que eles se negam a acreditar é que provavelmente já está sendo há milhares de anos – n3m3). …Parece razoável presumir que desde muito antes de haver pessoas, e mesmo muito antes de haver vida aqui, este planeta tenha sido anfitrião de uma tecnologia de vigilância automatizada, excursionando plataformas científicas, provavelmente de múltiplas origens extraterrestres…  E nosso planeta não seria exceção – somente um de bilhões de mundos similarmente tinindo com máquinas de vigilância inteligente de vários formatos.

Não é necessário mencionar que tal  projeto de agregação de conhecimento, conduzido por bilhões de anos, por numerosas inteligências ET, separadamente produziria, por quase uma eternidade, mais do que uma montanha de dados.  Haveria a necessidade de algum substrato material ou energético, ou ‘servidor’, para armazenar este conhecimento.  E se a ‘matéria escura’ invisível, necessária para nossos atuais modelos cosmológicos, consistisse parcialmente, ou mesmo inteiramente, de matéria/energia noömass que foi metabolizada em informação e que as inteligências avançadas talvez sequestraram para dentro das dobras do espaço/tempo?

…Pode não só ser o universo conhecido, mas uma multitude de universos conhecidos – conhecidos e re-conhecidos repetidamente por muitas vezes, em tal detalhe que possa ser habitado e manipulado e refeito por inúmeras experiências alienígenas, conhecedores imortais da antiguidade, alguns dos quais se desenvolveram muito antes mesmo de nosso planeta ter sido formado.  Suas plataformas onipresentes de ciência de drones marcam e registram “tudo que é ‘conhecível’ ” e, finalmente, podem assimilar o resto do universo (o que ficou; o que ainda vemos com os nossos telescópios).

Vladimir Vernadsky, um Cosmista russo, que propôs o termo noösfera, estava se referindo à coletânea de conhecimento científico humano, a bainha da “matéria do conhecimento” que cerca a Terra.  Isto é um conceito que tem sido comparado ao “Registro Akáshico“, que é consultado por videntes nas tradições Teosóficas e Antroposóficas.  E se os registros coletados de todo o Cosmos, mecanicamente arquivados e atualizados por máquinas antigas for real lá fora (e por toda a parte)?…

…O ‘universo conhecido’, em outras palavras, poderia ser exatamente isto, literalmente: conhecido e em detalhes muito maiores, por outros, ou quantidades de outros.  O que está faltando daquilo que vemos – toda aquela ‘matéria escura’ – poderia ser precisamente o conhecimento ‘deles’ daquilo que nós vemos, inclusive seu conhecimento sobre nós.

Talvez devamos desistir de procurar por sinais de rádio e esferas Dyson (imaginando que os extraterrestres avançados ainda sejam civilizações baseadas em biologia, agrupadas ao redor de suas fogueiras estelares) e começar a procurar por informação pura; algo como os Registros Akáshicos, que é mais massivo do que o universo visível, envolvido no próprio tecido do tempo/espaço.

n3m3

Fonte: thenightshirt.com

AVISO: Todos são bem-vindos a participar da área de comentários abaixo. Contudo, os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de seus próprios autores e o site OVNI Hoje não se responsabiliza por quaisquer inconveniências ou conflitos por eles causados.

Também informamos que, a fim de não causar distrações e conflitos desnecessários, comentários, avatares e pseudônimos com viés político, seja de qual ideologia for, serão prontamente apagados quando encontrados pelos moderadores. O foco dos comentários deve ser mantido no assunto de cada artigo e somente desviado quando for pertinente ao tema do OVNI Hoje.

Assim, colabore com o bom andamento dos comentários, seja civilizado ao comentar e reporte abusos, marcando comentários fora do padrão como 'inapropriados', acessando a pequena flecha apontada para baixo no lado direito de cada comentário.

Obrigado.