Velhinha recebe visita de agentes valentões da NASA

Tempo de leitura: 2 min.
Astronauta Edwin Aldrin, descendo para a superfície lunar.

De acordo com a Associated Press, a NASA enviou agentes em uma elaborada missão para recuperar material colhido na Lua.  Para onde foi enviada a missão? Para um restaurante familiar no sul da Califórnia. E tudo isso para recuperar uma minúscula amostra de solo lunar do tamanho de um grão de arroz, em um pequeno estojo de acrílico.

E quem foi a pessoa detida pelos corajosos agentes?  Uma velhinha de 73 anos, que ficou horrorizada quando os agentes invadiram o local.

As alegações da NASA eram de que estavam tentando vender tesouro nacional, pois, de acordo com eles, todo o material coletado na Lua pela missão Apollo pertence ao governo dos EUA.

Joann Davis, uma vovó que estava tentando levantar fundos para tratar seu filho doente, diz que o material é dela por direito, e foi dado ao seu finado marido pelo comandante da missão Apollo, Neil Armstrong, em 1977.

Foi uma coisa muito perturbadora“, disse Joann à agência de notícias The Associated Press. “Foi tudo muito prejudicial, muito humilhante, tudo uma mentira.”

Por anos a NASA tem perseguido qualquer pessoa que esteja vendendo material lunar que foi coletado pelas missões Apollo, pois consideram que isso seja propriedade do governo, assim não podendo ser vendido para gerar lucro.

Mesmo assim, a própria NASA cedeu centenas de amostras de solo lunar para outras nações e para indivíduos influentes, apesar de alegarem que mesmo assim estes souvernirs continuaram sendo propriedade do governo dos EUA.

Joann Davis enviou um e-mail para uma empresa subcontratada pela NASA no dia 10 de maio passado, tentando vender a lasca de rocha, bem como um pedaço do escudo contra calor do tamanho de uma pequena moeda, que protegeu a cápsula de reentrada da missão Apollo em 1969.

Há meses eu venho procurando na Internet por um comprador“, escreveu Joann.

No final, Joann reconheceu que a amostra de solo lunar não poderia ser vendida no mercado aberto e reclamou sobre o fato do agente ter ido até ela e tomado o material.  Joann também alega que quando os agentes armados invadiram seu restaurante, ela ficou tão apavorada que não pode controlar sua bexiga e foi levada para o estacionamento do local, onde foi interrogada e detida por aproximadamente duas horas.

Eles me agarraram e me empurraram para fora“, disse Joann.  “Eu fiquei com machucaduras profundas no meu lado esquerdo“.

O agente que liderou a equipe ‘de ataque’ negou fazer comentários, bem como a NASA.

No final, Joann foi liberada, mas sem a rocha lunar.

O boletim de ocorrência diz que as autoridades acreditavam que Joann tinha em sua posse propriedade governamental roubada, mas até agora ninguém apresentou quaisquer provas.

Este é um comportamento terrível pelo governo federal, em roubar algo de uma aposentada, que lhe foi presenteado,” disse Peter Schlueter, o advogado de Joann, que está planejando processar a NASA.

Um recente levantamento mostra que 10 estados dos EUA e mais de 90 países não conseguiram encontrar as rochas cinzas que lhes foram cedidas pela NASA.

Belo exemplo dado pela nobre NASA.

n3m3

Colaboração: Osmar

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.