Einstein que se cuide: A barreira da velocidade da luz pode ter sido quebrada

Tempo de leitura: 2 min.
Cuidado Einstein!

Em agosto passado, publicamos aqui no OVNI Hoje uma matéria sobre cientistas que conseguiram fazer com que a luz viajasse mais rápido que ela mesma.  Porém, eles conseguiram fazer isso de forma artificia, e usando a própria luz.

Hoje, nos chega a seguinte notícia da Associated Press, a qual diz que cientistas descobriram partículas viajando mais rápido do que a velocidade da luz:

GENEVA (AP) –Um dos pilares da física e da teoria da relatividade de Einstein — de que nada pode viajar mais rápido do que a velocidade da luz — foi abalada na quinta-feira por uma nova descoberta de um dos laboratórios mais famosos do mundo.

Cientistas europeus disseram que mediram a velocidade de uma partícula subatômica anormal, chamada neutrino, a qual estava viajando mais rápido do que a velocidade da luz, a qual tem sido considerada o limite cósmico da velocidade.

A declaração foi recebida com ceticismo, inclusive com um físico declarando que isto seria o mesmo que declarar que a pessoa está em posse de um tapete voador.  Na verdade, os cientistas que fizeram a descoberta não estão prontos para proclamar a descoberta e estão pedindo aos outros físicos para independentemente verificar o achado.

O sentimento que a maioria da pessoas tem é que isto não pode estar certo; isto não pode ser real“, disse James Gillies, um porta voz para a Organização Européia para Pesquisa Nuclear, ou CERN, que forneceu o acelerador de partículas que enviou os neutrinos em sua viagem de subterrânea entre a Suíça e a Itália.

De acordo com a teoria da relatividade de Einstein, formulada em 1905, nada pode viajar mais rápido do que a velocidade da luz, porém ninguém está indo reescrever os livros de ciência ainda.

Isto é “uma descoberta revolucionária, se for confirmada“, disse Alan Kostelecky, um físico teórico da Universidade de Indiana, nos EUA, que trabalhou com este conceito por 25 anos.

Stephen Parke, que é um cientista chefe do Fermilab, próximo de Chicago, e não fez parte da pesquisa, disse: “É um choque. Isto irá nos causar problemas, sem dúvida alguma — se for verdade“.

Mesmo se estes resultados forem confirmados, eles não mudarão a forma que vivemos ou que o mundo funciona.

Porém, se esta descoberta for confirmada, ela mudará a idéia de como o universo se encaixa, e talvez irá abrir novas perpectivas para as viagens interestelares… pelo menos para as viagens teóricas.

n3m3

Fonte: http://hosted.ap.org

Colaboração: Luma

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.