“O filme ‘Cowboys & Aliens’ distorce a verdade sobre os ET’s”

Tempo de leitura: 4 min.

Em 15 de janeiro passado, graças ao leitor Rafael Mosciaro, divulgamos aqui no OVNI Hoje o fato de que um filme sobre ETs e cowboys estava para ser lançado.  Aliás, mais um entre os vários filmes e séries de TV sobre extraterrestres que foram lançados nestes últimos mêses.

O que todos estes filmes e séries têm em comum?  Em todos os ETs ‘são do mal’.

Encontramos a seguinte reportagem de David Moye na Internet, que fala especificamente sobre o filme ‘Cowboys & Aliens’, agora em cartaz no Brasil, que vale a pena postar aqui, pois no final critica esta tendência de mostrar ETs como nossos inimigos:

Bem como o filme ‘Cowboys & Aliens’ não foi o primeiro filme do estilo ‘faroeste’ já feito, os encontros com OVNIs não começaram com o evento de Roswell em 1947.

Na verdade, houve centenas de relatos de avistamento de OVNIs e ETs entre 1840 e 1900, de acordo com Noe Torres, um bibliotecário do sul do Texas, e John LeMay, um historiador de Roswell, estado do Novo México, EUA.

Os dois indivíduos documentaram 14 destes avistamentos em um novo livro intitulado “The Real Cowboys & Aliens: UFO Encounters of the Old West”, (‘Os Cowboys & os Alienígenas Reais: Encontros com OVNIs no Velho Oeste’ – tradução livre do título, n3m3).

O livro analisa os relatos de OVNIs que aconteceram nos Estados Unidos entre 1840 e 1900, período estes que foi mostrado no filme ‘Cowboys & Aliens’, e contrário ao do que os personagens de Harrison Ford e Daniel Craig acham dos ETs (no filme eles os chamam de ‘demônios’), LeMay disse que a idéia de que a Terra poderia ser visitada por pessoas de outros planetas não era um conceito anormal para a época.

Ele aponta a um alegado acidente com um OVNI que ocorreu perto da cidade de Aurora, no Texas em 1897.  “Uma reportagem no  jornal Dallas Morning News não os chamava de alienígenas, mas sim de marcianos, principalmente porque na época este era um planeta que se pensava ser habitável“, disse LeMay.

Diferentemente de hoje, onde os avistamentos de espaçonaves ou alienígenas são descartados pela mídia convencional cética, Torres disse que importantes jornais e revistas da época, tais como o Dallas Morning News, Kansas City Satr e o San Francisco Call, publicavam estas matérias na íntegra.

Mesmo o venerável New York Times publicou um avistamento de uma ‘serpente voadora’ em 1873, por achar o artigo adequado para tal.

O que Torres e LeMay acharam mais interessante foi como as testemunhas descreviam aquilo que viram.

Esta era uma época onde os aviões estavam sendo inventados e a viagem em balões estava só começando“, disse Torres.  “Assim, os termos usados para descrever o que viam eram muito interessantes.  Você vê descrições de serpentes voadoras, balões metálicos e uma pessoa descreveu uma espaçonave como ‘um grande fardo de algodão em chamas’ “.

Embora a terminologia pareça estranha hoje em dia, LeMay acha que aquelas descrições as tornavam mais válidas do que os relatos contemporâneos.

Elas eram mais acreditáveis porque ninguém tinha conhecimento de aeronaves ou satélites“, ele disse, adicionando que sua favorita descrição de uma aeronave alienígena foi de um OSNI (Objeto Subaquático Não Identificado), encontrado em um lago do estado de Washington.

A testemunha o descreveu como uma lagarta mecânica“, ele disse.

Outra coisa que os escritores descobriram foi a disponibilidade dos jornalistas daquela época em relatar os avistamentos, sem projetar as testemunhas com pessoas doidas.

Os jornais eram mais propensos a publicar estes avistamentos, sem tentar fazer com que as testemunhas parecessem loucas“, disse Torres. “É claro, muitas das descrições tinha uma tendência religiosa ou espiritual e os jornalistas da época eram mais abertos a este tipo de coisa“.

O caso mais convincente daquela época nos EUA, de acordo com Torres, foi o incidente de Aurora, em 1897, quando uma nave pilotada por um humanóide caiu, matando o piloto humanóide.  “As descrições dos jornais a respeito desse caso, que foi relatado em todo o país, realçavam o fato de que a testemunha podia dizer que o piloto ‘não era deste mundo“. Torres também disse que “junto com o piloto eles encontraram uma escrita estranha“.

Outro caso interessante para Torres foi o avistamento por nativos do norte da Califórnia de alguns alienígenas parecidos com ‘Bigfoot’.

Os nativos os chamaram de ‘ursos loucos’ e disseram que eles vieram até a Terra em pequenas luas“, disse Torres. “Aparentemente eles eram peludos e amigáveis“.

Na verdade, este tipo de atitude por parte dos ETs é o que diferencia os encontros com alienígenas do meio da década de 1880, dos de nossa época.

Não havia relatos de abduções, mas houve um caso onde os ETs supostamente tentaram coagir humanos a entrarem em sua nave, mas os humanos recusaram“, disse Torres.

Torres não assistiu ‘Cowboys & Aliesn’, mas acredita que a verdade é sempre mais interessante do que a ficção.  Porém, ele admite que as histórias em seu livro “não são tão dramáticas quanto raios laser ou abduções“.

LeMay assistiu o filme e, apesar da descrição das batalhas entre alienígenas e cowboys ter pouco a ver com os relatos de ETs daquela época, ele aceita que Hollywood tende a exagerar os registros históricos, mesmo quando não há alienígenas envolvidos no processo.

Poderia ter sido melhor”, ele disse.  “A filmagem foi sólida, mas não preciso assistir o filme novamente“.

Porém, pelo menos um pesquisador de OVNIs acha que as assim chamadas ‘imprecisões’ do filme poderiam ter um impacto devastador nas relações futuras entre nós e os ETs.

Alfre Webre é um pesquisador de Vancouver, no Canadá, que se especializou em ‘exopolítica’, um termo usado para descrever as implicações políticas ao redor da presença extraterrestre na Terra.

Ele disse que o filme é uma distorção de U$ 163 milhões que de forma errônea mostra como os alienígenas e humanos interagiram durante a década de 1870.

Não há evidência de abduções nocivas por parte dos alienígenas durante aquele período“,  declarou Webre.  “Isso [abduções] não começou até 1934, quando o governo dos EUA assinou um tratado com os alienígenas da raça Gray de Orion.  Após, houve um tratado em paralelo feito com o Tercerio Reich em 1941“.

Também, o filme mostra que os alienígenas procuravam por ouro. Os únicos alienígenas que estão interessados em ouro são os Anunnaki, uma raça do sistema Sirius que apareceu na antiga Suméria“, adicionou Webre.

Estas são declarações corajosas, mas nada novo para Webre, que uma vez disse que a neta do Presidente Franklin D. Roosevelt foi convidada a visitar uma base ultra secreta dos EUA em Marte.

Ainda assim, Webre insiste que a forma com que ‘Cowboys & Aliens’ mistura a informação sobre alienígenas não é somente imprecisa, mas envia uma mensagem negativa a qualquer ET que possa considerar contato com humanos.

Filmes como este enviam um sinal de que os alienígenas são nossos inimigos e que nós somos rápidos no gatilho“, disse Webre.

—–

Apesar de Alfred Webre ter feito algumas declarações sensacionais e difíceis de acreditar, não estamos aqui para julgá-lo, pois quem poderia afirmar com 100% de certeza de que elas não sejam verdadeiras? 

Afora isto, o fato permanece de que há uma corrente ‘hollywoodiana’ que projeta os ETs como nossos inimigos mortais. Por que isso acontece, não se sabe ao certo; mas pode se suspeitar.

n3m3

Fonte das informações: www.huffingtonpost.com

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.