‘Esmagador de átomos’ pode ter encontrado nova força da natureza

Tempo de leitura: 2 min.
FERMILAB, próximo de Chicago, nos EUA.

De acordo com várias fontes de notícia, dados do Laboratório Fermilab, dos Estados Unidos, podem ter revelado uma nova partícula elementar, ou uma nova força da natureza, disse um dos físicos envolvidos na descoberta.  Esta descoberta poderá oferecer pistas à charada de como os objetos obtêm massa, que é uma das respostas mais procuradas da física.

Mas peritos alertam que mais análises serão necessárias para determinar a verdadeira natureza da descoberta, a qual originou a partir de um contínuo experimento com a colisão de  prótons e antiprótons, a fim de compreender o funcionamento do universo.

Pode haver uma nova força por detrás daquela que conhecemos,” disse Giovanni Punzi, um físico da equipe internacional de pesquisa que está analisando os dados do Fermilab.

Se for confirmada, ela poderia apontar para um mundo totalmente novo de interações“, ele disse.

Apesar de muito disso ainda ser um mistério, os pesquisadores concordam que esta descoberta não se trata daquilo que é chamado de ‘Particula de Deus‘, ou Higgs-boson —  uma partícula elementar hipotética que por muito tempo tem iludido os físicos, os quais acreditam que ela poderia explicar o porquê da massa dos objetos.

“A Higgs-boson é uma peça que encaixa no quebra-cabeças, a qual já temos,” disse Punzi.  “Porém, este [recente achado] é algo que vai um pouco além — uma nova interação, uma nova força.

Punzi disse que a nova observação se comporta de forma diferente da Higss-boson, a qual estaria se decompondo em quarks pesados, ou partículas.

A nova descoberta “está se decompondo em quarks normais,” disse Punzi.  “Ela tem características diferentes,” adicionou Punzi.

Uma coisa sabemos com certeza: não se trata da Higgs-boson.  Esta é a única coisa que seguramente sabemos.

Por mais de um ano os físicos têm estudado o que parece ser um ‘pulo’ nos dados do Fermilab, que opera um potente acelerador de partículas, ou ‘esmagador de átomos’ chamado Tevatron.

O Tevatron já foi a máquina mais poderosa do mundo, até 2008, quando o Grande Colisor de Hádrons (Large Hadron Collider – LHL) entrou em operação na Organização Européia para Pesquisa Nuclear, conhecida pela sigla de CERN (European Organisation for Nuclear Research).

A máquina estadunidense começou seus trabalhos na década de 1980 e está programada para ser desligada este ano, quando seu financiamento será cortado.

Estes resultados são certamente tentadores,” disse Nigel L0ckyer, diretor do laboratório nacional de física nuclear e partícula do Canadá.

É muito cedo para seguramente dizer o que a equipe do Femilab observou,” ele disse.

Por um lado, há uma clara evidência de algo inexplicável, e por outro, há uma longa lista de explicações alternativas para o que poderia estar causando esta sutil observação.

Meu julgamento pessoal é que esta empolgação está ‘adicionando mais lenha’ no fogo para a próxima geração de resultados e descobertas que irão obter do LHC e em outros lugares.  Estamos muito próximos de descobrir algo profundo“, finalizou.

Christopher Hill, um físico teórico do Fermilab, que não faz parte da equipe disse ao New York Times: “Se isto for real, seria a mais significativa descoberta da física em meio século.

O OVNI Hoje ficará alerta se houver maiores informações a respeito desta descoberta importantíssima.

n3m3

Colaboração: Astro

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.