Nova estimativa para o número de planetas similares à Terra: 2 bilhões só em nossa galáxia

Tempo de leitura: 2 min.

De acordo com o space.com, um novo estudo aponta que, aproximadamente de 1 em cada 37 até 1 em cada 70 estrelas similares ao sol podem abrigar um planeta similar à Terra.

Estes achados indicam que bilhões de planetas como a Terra possam existir em nossa galáxia.

Os novos cálculos são baseados em dados do telescópio espacial Kepler, o qual espantou o mundo fevereiro passado, quando revelou mais de 1.200 mundos alienígenas, inclusive 68 planetas potencialmente com o tamanho da Terra.

Cientistas da NASA, em Pasadena, Califórnia, focaram em planetas aproximadamente do tamanho da Terra, dentro da zona habitável de suas estrelas, ou seja, onde a água líquida em suas superfícies possa existir.

Após os pesquisadores analisarem dados das leitoras do Kepler por quatro meses, eles determinaram que 1,4 até 2,7 por cento de todas as estrelas similares ao Sol podem ter planetas como a Terra.

Isto significa que existem vários planetas como a Terra lá fora – dois bilhões em nossa galáxia, a Via Láctea“, disse Joseph Catanzarite, um astrônomo da NASA. “Com este número tão grande, há uma boa possibilidade de vida e talvez até de vida inteligente em alguns daqueles planetas.  E isto é só em nossa galáxia. Há 50 bilhões de outras galáxias.

Após 3 ou 4 anos de investigações dos dados do Kepler, o cientistas estimam que um total de 12 planetas como a Terra serão descobertos.  Quatro destes já foram vistos nos quatro meses de dados já liberados.  Os cientistas da missão Kepler estimam que exista 50 bilhões de planetas na Via Láctea, embora nem todos seriam do tamanha da Terra, ou dentro da zona habitável.

Quando se trata das 100 estrelas mais próximas similares ao Sol, dentro de poucas dezenas de anos luz, estes estudos sugerem que somente dois possam ser similares à Terra.  Ainda assim, Cantanzarite apontou que estrelas anãs vermelhas podem também abrigar planetas como a Terra, e que este tipo de estrela é muito mais comum do que estrelas como o nosso Sol.

Embora pesquisadores tenham mais dificuldades para detectar planetas do tamanho da Terra que transitam na frente de estrelas anãs vermelhas, atualmente eles estão tentando detectar tais planetas pelo “puxão” gravitacional que exercem em suas estrelas.

Eu espero escutar um dia sobre planetas similares à Terra que orbitam essas estrelas“, disse Catanzarite.

Catanzarite e seu colega Michael Shao detalharam suas descobertas em um documento submetido ao Astrophysical Journal, no dia 8 de março deste ano.

n3m3

Fonte: www.space.com

Colaboração: Bob

AVISO: Fique alerta quanto as regras da área de comentários clicando aqui.